Notícias

Programa para o inverno no Algarve

Com mais de 300 dias de sol, o Algarve é um destino ideal para descansar nos primeiros meses do ano. Dos monumentos aos museus, passando pela observação da fauna, há programas para todos os gostos.

05 janeiro 2023
Silves e muralhas do castelo de vermelho-escuro. Tom deve-se a rocha do local, grés de Silves.

iStock

É uma das zonas mais procuradas pelos portugueses, pela beleza das praias e o calor nos meses quentes. Mas o Algarve, a última região a ser conquistada aos muçulmanos pelo reino de Portugal, já no século XIII, é também um território a descobrir no pico do inverno, pelos monumentos, pelas paisagens e pela oferta cultural. As temperaturas amenas e os dias solarengos, mesmo em janeiro e fevereiro, são um atrativo.

Começamos a viagem por Castro Marim, na zona leste do Algarve, próxima da fronteira com Espanha. Deixe-se encantar pelo centro desta vila raiana, iniciando o percurso com uma visita à Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Mártires (Praça 1.º de Maio), onde pode contemplar imagens dos séculos XV, XVI e XVIII.

Siga para o castelo e aprecie o casario algarvio. A subida é íngreme, mas a vista lá em cima, para a vila, o rio Guadiana e as salinas, vale bem a pena. O castelo velho, localizado no amplo terreiro, distingue-se pela forma quadrada, composta por torreões circulares nas extremidades. Na fortaleza, encontra também o Núcleo Museológico, que ajudará a conhecer melhor a história daquele local. Dirija-se, de seguida, para o Forte de São Sebastião, na colina em frente. Edificado no século XVII, no âmbito da Guerra da Restauração, que opôs as coroas de Portugal e Castela, tornou-se uma das praças militares mais importantes do Algarve.

Aventura no Parque Natural da Ria Formosa

Concluído o périplo por Castro Marim, nada como uma caminhada, na região centro do Algarve. Explore o Parque Natural da Ria Formosa, conhecido pela riqueza da avifauna aquática. O inverno é uma época por excelência para fazer o Trilho de São Lourenço, dado que é nesta altura do ano que um número significativo de aves, como as piadeiras e os patos-trombeteiros, procuram este espaço. O percurso de 3,3 quilómetros, que tem início na praia da Quinta do Lago, passa por um lago de água doce. Conte com uma hora e meia a andar.

Continuando a viagem, dirija-se para oeste, em direção a Almancil. Nesta freguesia do concelho de Loulé, aproveite para entrar na Igreja de São Lourenço, considerada um dos maiores tesouros artísticos do Algarve e um dos ex-líbris do barroco português. Edificada na primeira metade do século XVIII, destaca-se pelo revestimento em azulejo das paredes interiores e pelo retábulo em talha dourada no altar-mor. Atente nas cenas retratadas nos diferentes painéis. Na nave, por exemplo, encontra uma alusão ao martírio de São Lourenço.

Os encantos do Barlavento Algarvio

Mais a oeste, já no Barlavento Algarvio, sugerimos uma ida à cidade de Silves, dominada pelo vermelho-escuro das muralhas do castelo. Este tom deve-se a uma rocha local, chamada grés de Silves. A juntar à cor dos materiais de construção, que o tornam diferente da maioria dos castelos em Portugal, este distingue-se por ser uma das obras mais notáveis da arquitetura militar deixada pelos muçulmanos. Se o tempo estiver agradável, visite o castelo, que foi conquistado por D. Sancho I, em 1189, e perdido de novo para os muçulmanos dois anos depois.

Caso tenha interesse em conhecer e descobrir mais sobre a identidade islâmica da região, tire algum tempo para a Casa da Cultura Islâmica e Mediterrânica, no antigo matadouro municipal. Ainda em Silves, passe pelo Museu Municipal de Arqueologia. O espaço foi edificado em torno de um poço-cisterna dos séculos XII-XIII, hoje classificado como monumento nacional. Além desta peça, o acervo museológico reúne um conjunto de objetos de períodos tão distintos como o Paleolítico, a Idade do Ferro ou o domínio romano.

Depois deste passeio em Silves, sugerimos um momento mais relaxante, numa das propriedades vinícolas da região. Na Quinta dos Vales, em Estômbar, por exemplo, poderá fazer uma prova de vinhos, visitar a adega e aprender mais sobre a combinação de castas, entre outras atividades.

Continuando a viagem para oeste, reserve tempo para Portimão, cidade situada no estuário do rio Arade, com longa tradição piscatória. Passe pelo museu da cidade, localizado numa antiga fábrica de conservas, e saiba mais sobre a ligação da comunidade ao mar. Além de ficar a conhecer as espécies aquáticas da região, poderá explorar a história das embarcações afundadas naquela costa.

E, para terminar este roteiro, talvez já no regresso a casa, conduza até ao concelho de Monchique, conhecido como o jardim do Algarve, pela beleza das paisagens serranas. Na vila, aproveite para visitar a Igreja Matriz, construída no século XVI, e o Convento de Nossa Senhora do Desterro. Deixe-se perder nas ruas estreitas e aprecie o casario algarvio. Passe ainda por Caldas de Monchique, a sete quilómetros de distância. É lá que ficam as conhecidas termas. Desfrute de um oásis de tranquilidade e dê um pequeno passeio pelo centro. É mais um tesouro a explorar no inverno.

Informações úteis

Use roupa confortável e não se esqueça do impermeável. Sugerimos dormir em Castro Marim, Faro ou Silves, ou zona envolvente. O alojamento para duas pessoas com pequeno-almoço em hotel de 4 estrelas custa, no mínimo, 90 euros. Recolhemos os preços online, a 28 de novembro, para duas noites em quarto duplo, de 12 a 14 de janeiro. Os hotéis mais próximos de Castro Marim com disponibilidade estão em Monte Gordo, onde o preço mínimo ronda os 114 euros. Em Faro, o preço mínimo dispara para 153 euros. Por fim, em Silves, os hotéis mais próximos com disponibilidade estão no concelho de Lagoa, começando o orçamento em 90 euros.

Quando ir

Os primeiros meses do ano são uma oportunidade excelente para conhecer o Algarve num ambiente de tranquilidade sem grandes aglomerados. No inverno, as temperaturas são amenas por comparação a outras regiões.

Como ir

A melhor maneira de conhecer o Algarve no inverno é de automóvel. Pode fazer o percurso proposto, gerindo o tempo em cada sítio.

De Lisboa, apanhe a A2 e siga pela A22.

Do Porto, dirija-se para sul, primeiro pela A1, depois pela A13 e, de seguida, pela A2 e pela A22.

Não deixe de experimentar

Iguarias tradicionais, como dom-rodrigo, queijo de figo, doce fino, figos do Algarve, amêndoa, alfarroba e citrinos. Enchidos das zonas serranas (chouriço, morcela, farinheira). 

Lembranças

Artesanato e licores, doces de amêndoa e de figo.

Sites úteis para saber mais

VisitAlgarve

Câmara Municipal de Castro Marim

Parque Natural da Ria Formosa

Câmara Municipal de Silves

Museu de Portimão

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.