Notícias

Coimbra: dois dias na cidade dos estudantes

Coimbra é conhecida pela universidade, hoje património mundial da UNESCO. Mas sabia que a cidade é historicamente uma das mais importantes de Portugal? Conheça os principais pontos de interesse. 

  • Editor
  • Sofia Cruz/Viagens à Solta
29 setembro 2022
  • Editor
  • Sofia Cruz/Viagens à Solta
Passeio de caiaque no Rio Mondego, Coimbra

Paulo Azevedo/Viagens à Solta

Depois de Madeira, Arcos de Valdevez, Serra da Estrela e Nazaré, é em Coimbra que surge mais um roteiro. Sofia Cruz e Paulo Azevedo, do blogue Viagens à Solta, contam tudo sobre os principais pontos de interesse.

Banhada pelo Mondego, o maior rio situado exclusivamente em território português, Coimbra estende-se por uma colina, o que implica subir e descer muitas ruas. Ainda assim, a melhor forma para conhecer a cidade dos estudantes é a pé. Como refere a escritora brasileira Martha Medeiros, "para sentir uma cidade, nada como colocar as pernas em funcionamento, misturar-se a outros pedestres e ficar disponível para as surpresas que o destino prepara". Essa parte não vem nos artigos de viagens, mas, para ajudar a descobrir o que fazer em Coimbra num fim de semana, elegemos as principais atrações: Baixa, Alta e Santa Clara.

Baixa de Coimbra

Começamos o passeio pelo Largo da Portagem, junto à Ponte de Santa Clara e ao rio Mondego, com edifícios que vale a pena apreciar, como o do Banco de Portugal. Ligada ao Largo da Portagem fica a Rua Ferreira Borges, a principal artéria da Baixa. Além de várias lojas de comércio, há pastelarias que vendem doces tradicionais. Vamos provar uma barriga-de-freira, uma arrufada ou um pastel de Santa Clara?

Continuando pela Rua Ferreira Borges e depois pela Visconde da Luz, chegamos à Igreja do Mosteiro de Santa Cruz, onde se encontram sepultados os dois primeiros reis de Portugal: D. Afonso Henriques e D. Sancho I.

Depois, é uma curta caminhada até à Praça do Comércio, uma das mais bonitas de Coimbra, e daí voltamos à Rua Ferreira Borges, para descobrirmos a Alta da cidade.

Alta de Coimbra

Para entrarmos na zona alta, passamos pela Porta da Barbacã e, a seguir, pela Porta e Torre de Almedina. Subindo as escadas da Rua de Quebra Costas, encontramos a Sé Velha de Coimbra, um imponente edifício do tempo de D. Afonso Henriques.

Mais um saltinho e chegamos à Universidade de Coimbra, uma das mais antigas do mundo. Após entrarmos pela Porta Férrea, podemos ver o Paço das Escolas, o espaço que albergou as faculdades a partir do século XVI, e que antes foi o primeiro Paço Real de Portugal, onde nasceram e viveram alguns dos primeiros reis. É aqui que estão os edifícios reconhecidos pela UNESCO como Património da Humanidade, como a Torre da Universidade, a Capela de São Miguel e a incrível Biblioteca Joanina. Descendo as Escadas Monumentais, vamos ter ao Jardim Botânico da Universidade de Coimbra, e não é que descobrimos um fantástico bambuzal?

Santa Clara

Só falta conhecer a zona de Coimbra situada do outro lado do rio. Atravessamos a pé a Ponte de Santa Clara, passamos pelo Mosteiro de Santa Clara-a-Velha e subimos até ao Mosteiro de Santa Clara-a-Nova, em cuja igreja está o túmulo da Rainha Santa Isabel, padroeira de Coimbra. Não muito longe, fica o Portugal dos Pequenitos, um espaço obrigatório, se viajar com crianças.

Igualmente imperdível é a Quinta das Lágrimas, associada à mais famosa história de amor portuguesa. Segundo a lenda, foi junto à Fonte das Lágrimas que Inês de Castro, a amante do infante D. Pedro, foi assassinada a mando do pai deste, o rei D. Afonso IV. O sangue terá ficado marcado nas pedras.

Terminamos o passeio num dos parques nas margens do Mondego. Depois, é só atravessar a ponte pedonal Pedro e Inês, e regressaremos à Baixa. Boa viagem!

Informações úteis em Coimbra

A melhor forma para sentir a cidade é caminhar. O ideal é ficar hospedado na Baixa de Coimbra, onde existem muitas opções de alojamento: 78 euros é o custo mínimo de uma noite para duas pessoas com pequeno-almoço em hotel de 4 estrelas. Os preços foram recolhidos online, a 25 de julho, para um quarto duplo em hotéis no centro da cidade, para o fim de semana de 8 e 9 de outubro.

Quando ir

Qualquer altura do ano é boa para visitar Coimbra, mas, se possível, evite os meses de novembro a abril, já que é o período mais frio e com maior probabilidade de chuva.

Principais festividades

  • Queima das Fitas (maio).
  • Festas da Cidade de Coimbra e da Rainha Santa Isabel (julho, em anos pares).
  • Latada (outubro). 

Não deixe de experimentar

  • Arrufadas.
  • Pastéis de Santa Clara.
  • Crúzios.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.