Dicas

Coronavírus: suplementos não reforçam sistema imunitário

A pandemia do coronavírus tem levado à procura de novas formas para manter o organismo saudável. Vitaminas e probióticos não reforçam o sistema imunitário.

  • Dossiê técnico
  • Dulce Ricardo e Susana Santos
  • Texto
  • Cláudia Sofia Santos e Sofia Frazoa
29 janeiro 2021
  • Dossiê técnico
  • Dulce Ricardo e Susana Santos
  • Texto
  • Cláudia Sofia Santos e Sofia Frazoa
Cápsulas de suplementos alimentares

iStock

Muitos suplementos anunciam-se como a primeira linha de ação natural para a resolução de inúmeros problemas, nomeadamente o reforço do sistema imunitário. Estas alegações têm vindo agora a ganhar força devido à pandemia causada pelo novo coronavírus. No entanto, a realidade é bem diferente do que é apregoado.

Os suplementos de que falamos, regra geral, são vitaminas e probióticos. As vitaminas, por exemplo, podem ajudar a evitar distúrbios e outros problemas de saúde, mas apenas em pessoas que estejam gravemente desnutridas (e com défice das vitaminas em causa), e esse não é o caso da maioria da população do nosso país. Por isso, ao tomar vitaminas quando não necessita delas, a única coisa que está a fazer é aumentar o seu nível no organismo.

No que diz respeito aos probióticos, há alguma verdade na ideia de que as bactérias e organismos que vivem no seu intestino podem desempenhar um papel na sua saúde. No entanto, não há evidências de que a toma de suplementos alimentares possa corrigir problemas ou melhorar o funcionamento do sistema imunitário.

A Direção-Geral da Saúde também alerta para o facto de não existir evidência científica da relação entre a alimentação e o reforço do sistema imunitário. Por essa razão, não há nenhum alimento específico ou suplemento alimentar que possa prevenir ou ajudar no tratamento da covid-19. A Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) não identificou ou autorizou, até ao momento, qualquer alegação de saúde a um alimento ou componente que se considere adequado para reduzir os fatores de risco de infeções.

Estratégias para se manter saudável

Não é possível reforçar o sistema imunitário tomando suplementos alimentares. Recorra a estratégias que, a longo prazo, vão ajudar. A adoção de determinados comportamentos ou hábitos saudáveis no seu dia-a-dia são uma excelente maneira de manter um sistema imunitário funcional.

É fundamental beber água e ter uma alimentação equilibrada com a presença diferentes nutrientes: fornecedores de energia (hidratos de carbono, proteínas e lípidos) e vitaminas e minerais (como as vitaminas A, B6, B9, B12, C e D e o cobre, ferro, selênio, zinco). Consegue esse equilíbrio ao seguir as recomendações da roda dos alimentos.

Alimentos calóricos, como bebidas açucaradas, doces ou chocolates, devem estar habitualmente fora da alimentação diária, mas sobretudo nesta fase em que adultos e crianças estão mais sedentários.

Lavar as mãos com água e sabonete com frequência

A maioria dos germes não são transmissíveis pelo ar. Por isso, se tocar numa superfície contaminada é provável que adoeça, uma vez que toca com as mãos nos olhos, no nariz ou na boca. Lavar as mãos com frequência reduz drasticamente essa probabilidade.

Controlar o stress

Inúmeros estudos têm demonstrado que altos níveis de stress podem diminuir as suas defesas. Assim que se sentir demasiado stressado, tente relaxar.

Estar vacinado

O facto de estar vacinado contra a gripe e outras doenças, estimula o sistema imunitário a proteger-se contra essas doenças. Por isso, sempre que for necessário, defenda-se vacinando-se.

Fazer exercício físico regular

E também manter uma alimentação saudável e ter um sono reparador são essenciais para manter o seu corpo forte e o seu sistema imunitário a funcionar corretamente. Se consumir álcool, faça-o de forma moderada.

Nada que possa tomar, à parte das vacinas, melhora o seu sistema imunitário. Evite suplementos alimentares que façam este tipo de alegações (a não ser que tenha alguma deficiência nutricional).

Como manter a boa forma em isolamento?

Com as medidas de contenção da covid-19, o facto de não poder sair de casa pode ser uma realidade, mas não é desculpa para deixar de estar em forma. Sempre que tiver algum tempo livre, mantenha a atividade física através de vídeos e aplicações tutoriais ou objetos do dia-a-dia.

Os vídeos e aplicações podem apresentar diversos níveis de dificuldade, mas quem não está habituado a praticar exercício físico não deve arriscar. Pode, sim, utilizar, por exemplo, o sofá ou uma cadeira para fazer agachamentos, se tiver escadas em casa também pode subi-las e descê-las diversas vezes seguidas.

Colocar música e simplesmente dançar é outra das opções bastante saudáveis para corpo e mente.

Enriqueça a dieta em vitaminas 

Uma alimentação saudável é o primeiro passo para obter o que o organismo mais precisa. Siga o consumo diário de frutas e legumes recomendado: três a cinco porções por dia de fruta e vegetais. Enriqueça a sua dieta em vitaminas e micronutrientes:

  • vitamina E: azeite e frutos gordos, tais como amêndoa e avelã;
  • vitamina C: couves, pimentos, citrinos, quivi, agrião e morangos;
  • vitamina D: peixes gordos como o salmão, a sardinha e o atum, cogumelos-shitake e gema de ovo;
  • zinco: crustáceos, algumas “miudezas”, como o fígado, a carne de vaca e de aves e os ovos.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.