Dicas

Azia: como atenuar os sintomas

Não comer demais, evitar alimentos gordos, o café e o álcool e manter um peso saudável são atitudes benéficas contra a azia. De efeito quase imediato, os antiácidos dão uma ajuda.

28 dezembro 2022
Thumb_Azia_2019

iStock

Um ardor no peito que sobe até à garganta e uma sensação de desconforto podem ser sintomas de azia. Quase todos já passámos por isto, e a culpa é dos sucos ácidos do estômago que servem para digerir os alimentos. Em determinadas situações, estes ácidos sobem e causam dificuldades de digestão. Pode acontecer por termos comido demais ou por a refeição ter sido demasiado gorda, mas também devido a um relaxamento do esfíncter esofágico superior (anel muscular que separa o esófago do estômago), a uma úlcera ou a uma gastrite. Também há medicamentos, como a aspirina ou o ibuprofeno, que podem causar azia.

Se passar por isto, não tente aliviar bebendo água com gás. É um bom recurso contra a indigestão, mas não é recomendado para os episódios de hiperacidez gástrica, por distender o estômago.

4 recomendações para prevenir a azia

Para pessoas com queixas ligeiras ou ocasionais de azia, algumas mudanças de estilo de vida ou alterações da dieta podem ser suficientes para reduzir o refluxo e diminuir os sintomas de azia.

  1. Coma refeições mais frequentes e em menor quantidade.
  2. Perca peso, se tiver obesidade ou excesso de peso.
  3. Eleve a cabeceira da cama e evite refeições tardias ou comer muito antes de se deitar ou de se reclinar. Coma pelo menos duas a três horas antes de ir dormir.
  4. Evite alimentos e substâncias que promovem o refluxo, tais como cafeína ou álcool, tabaco, mentol, chocolate, alimentos gordos ou fritos, condimentados ou ácidos.

Azia: antiácidos resolvem no imediato

Os medicamentos antiácidos fazem subir os níveis de pH no interior do estômago, o que neutraliza o ácido e alivia rapidamente os sintomas de azia. Bicarbonato de sódio, carbonato de cálcio e sais de alumínio e de magnésio são os princípios ativos dos antiácidos. A maioria é de venda livre.

Estes medicamentos devem ser usados com moderação e por pouco tempo. O bicarbonato de sódio, se tomado em sobredosagem, pode alterar o equilíbrio do pH ácido e fazer com que o sangue fique demasiado alcalino (alcalose metabólica). Surgem então náuseas, dores de cabeça e fraqueza. Por sua vez, os sais de magnésio podem provocar diarreia, enquanto o carbonato de cálcio pode causar prisão de ventre.

Por interferirem com outros medicamentos, os antiácidos devem ser tomados com um intervalo de uma a duas horas de outros fármacos.

Os inibidores da bomba de protões reduzem a secreção de ácido no estômago. Substâncias como o esomeprazol, o lansoprazol, o omeprazol, o pantoprazol e o rabeprazol bloqueiam a ação da bomba de protões, através da inibição da enzima responsável pela secreção de ácido. O pantoprazol, por exemplo, além do tratamento e prevenção de úlceras, está indicado para o tratamento a curto prazo dos sintomas de refluxo, como azia ou regurgitação ácida, nos adultos.

Tome estes medicamentos como indicado pelo médico ou farmacêutico. A posologia varia. Se estiver a tomar medicamentos não receitados pelo médico, a dose habitual para omeprazol, lansoprazol, pantoprazol e esomeprazol é de 20 mg por dia, de preferência de manhã em jejum. O Infarmed aconselha a não parar repentinamente a toma destes medicamentos, sob pena de os sintomas poderem voltar de forma ainda mais forte. É aconselhado reduzir a dose para metade nas duas primeiras semanas e depois parar completamente.

Os inibidores da bomba de protões podem mascarar os sintomas de outras doenças. Alguns estudos ligam a sua utilização a efeitos adversos, como dores nas articulações e um maior risco de fraturas.

Quando ir ao médico?

Consulte o médico se:

  • perdeu muito peso sem razão aparente e tem dificuldades em engolir;
  • as dores de estômago ou a indigestão persistem;
  • vomitou alimentos ou sangue;
  • tem fezes negras ou diarreia grave ou persistente, pois o omeprazol pode aumentar a ocorrência de diarreia infeciosa;
  • já ultrapassou o prazo de tratamento que o seu médico ou farmacêutico indicaram.

Combater a azia na gravidez

Na gravidez, muitas mulheres sentem azia e má disposição, por causa das mudanças que o organismo sofre. Por um lado, a alteração dos níveis hormonais pode afetar os músculos do trato gastrointestinal e a tolerância a certos alimentos. Por outro, o aumento do volume do útero pressiona o esfíncter esofágico.

Com pequenas alterações do estilo de vida, os sintomas de azia podem ser prevenidos. Comer pouco e várias vezes ao dia é uma delas. Outra é reduzir a ingestão de líquidos às refeições e manter a cabeceira da cama elevada na hora de dormir.

Se a azia persistir, aconselhe-se com o seu médico, já que existem medicamentos que ajudam a atenuar os sintomas. Os antiácidos com hidróxido de alumínio ou carbonato de magnésio podem ser tomados durante a gravidez e a amamentação, exceto os com bicarbonato de sódio.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.