Notícias

DECO PROTESTE e Google promovem internet segura para os mais velhos

Net & Siga é o projeto criado pela DECO PROTESTE e pela Google para levar práticas digitais seguras a casa das gerações mais velhas. Compras online, redes sociais ou cidadania digital estão à distância de um clique seguro. 

  • Dossiê técnico
  • Tito Rodrigues
  • Texto
  • Rita Santos Ferreira e Filipa Nunes
19 janeiro 2021
  • Dossiê técnico
  • Tito Rodrigues
  • Texto
  • Rita Santos Ferreira e Filipa Nunes
Logótipo do projeto Net & Siga

Direcionado para pessoas com mais de 50 anos, o site Net & Siga assume o papel de informar e divulgar práticas seguras de navegar pela internet. De novo juntas na missão de promover a utilização segura da internet, a DECO PROTESTE e a Google pretendem tornam o mundo digital num mundo seguro para todos os consumidores portugueses.

Burlas e fraudes são cada vez mais comuns no mundo virtual. No entanto, se navegar em segurança, não há perigos que superem as vantagens da internet. Com o Net & Siga, os consumidores terão acesso a todo o tipo de dicas e conselhos. A grande missão é  proporcionar ao consumidor uma boa experiência digital, sem receios de ser enganado.

A internet oferece infinitas possibilidades vantajosas que podem facilitar a vida de todos. Desde as redes sociais que permitem o contacto à distância com amigos e familiares, até ao acesso a serviços públicos por via digital, através de uma chave móvel digital, como é o caso dos balcões virtuais das finanças, por exemplo.

Entrevistámos Tito Rodrigues, um dos representantes das Relações Institucionais da DECO PROTESTE, que explicou o grande objetivo do Net & Siga e falou das perspetivas futuras do projeto.

O site Net & Siga em 5 questões

Tito Rodrigues 
Tito Rodrigues, representante das Relações Institucionais da DECO PROTESTE

Porque houve a necessidade de criar o projeto Net & Siga para este público-alvo (+ de 50 anos)?

A pandemia funcionou como um catalisador das interações de todos (jovens, adultos e idosos) com o mundo online, obrigando muitos a procurar na internet o que antes encontravam fisicamente, fossem compras, pagamentos de serviços, relacionamento com familiares e amigos e até obrigações de cidadania e fiscais. Ora, havendo um alargamento da massa de utilizadores – e estando o público mais jovem já acautelado com o projeto Net Viva & Segura –, o lançamento dum projeto vocacionado para os adultos com mais de 50 anos pareceu-nos óbvio e fundamental.

Existem dados relativos às burlas online nesta faixa etária?

Segundo algumas fontes, entre instituições bancárias e órgãos de polícia, as burlas online aumentaram mais de 250% desde o começo da pandemia. Com um aumento tão significativo, e bem sabendo da iliteracia digital de muitos dos utilizadores mais seniores neste mundo novo, estimamos que grande parte dos lesados tenham sido pessoas com mais de 50 anos, sobretudo pela impreparação e/ou desconhecimento das regras de funcionamento de algumas aplicações ou sites (como sucedeu com a fraude do MB Way, por exemplo).

De que forma os confinamentos da pandemia contribuíram para acelerar o projeto?

Bem, sabendo que Roma e Pavia não se fizeram num dia, olhámos para as lições tiradas do confinamento de março de 2020 no sentido de perceber que áreas seriam fundamentais trabalhar para garantir que os consumidores que utilizam a internet o fazem de forma segura, assim tirando o máximo partido de todas as suas potencialidades. Por isso, agrupámos o essencial da informação em quatro grandes áreas: segurança online, redes sociais, compras online e homebanking e serviços do Estado e cidadania digital.

Que competências os consumidores podem adquirir através do Net & Siga?

A ideia central passa por entregar ferramentas aos consumidores mais seniores para que consigam utilizar a internet de forma o mais natural possível, sem receio de esquemas fraudulentos (mais ou menos) habituais. Nesse sentido, e seguindo os nossos conselhos, esperamos que (re)aprendam (ou revisitem) a melhor forma de criar uma palavra-passe segura, como e onde podem guardar todas as palavras-passes, como podem proteger-se das “fake news”, como evitar o “phishing”, como encriptar o router (de forma simples, passo a passo), como usar as redes sociais, como tirar o máximo partido do “homebanking”, como interagir com o Estado (e as Finanças) em alturas de confinamento, etc.

Vai haver mais ações? Como vão alimentar o projeto a longo prazo?

Nesta primeira fase, queremos sobretudo divulgar, no máximo da nossa capacidade, toda esta informação que consideramos fulcral para uma utilização segura e plena da internet, e pretendemos fazê-lo utilizando justamente o canal digital, seja através dos nossos meios próprios, seja através das redes sociais. Em momento ulterior – e assim que a pandemia o permita – contamos levar este projeto junto das populações, afirmando a proximidade como um valor que nos é tão caro e que tão bons resultados produz junto dos consumidores.

A segurança na internet é um dos temas que a DECO PROTESTE tem vindo a abordar ao longo dos anos. Evitar fraudes bancárias online é possível, aceder a redes wi-fi gratuitas não tem de ser sempre um perigo, e há formas seguras de navegar pelo Facebook. Em 2021, as compras online vão passar a ser mais seguras devido a alterações no processo de pagamento. É importante escolher lojas online seguras e que garantam os direitos dos consumidores. 

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.