Dicas

Comprar pela Net sem perder direitos

26 outubro 2020
Pessoa a pagar compras online com cartão de crédito

As compras online são práticas, mas nem sempre as lojas virtuais respeitam a lei. Saiba como identificar uma loja segura e conheça os seus direitos.

Início

Na altura de comprar pela internet, uma das principais barreiras é a falta de confiança em aspetos como a segurança dos pagamentos, as trocas e devoluções ou o incumprimento na entrega.

Compras online seguras em 4 passos

  1. Leia com atenção todas as informações do site.
  2. Desconfie de produtos com preços muito abaixo do valor de mercado.
  3. Faça uma pesquisa na net sobre a entidade que está a vender, para verificar se há queixas de outros consumidores.
  4. Não se comprometa com nenhum contrato, a menos que tenha a certeza sobre as características do produto, o preço e a entidade que está a vender.

As lojas online fazem parte das chamadas vendas à distância. Por isso, devem divulgar de forma clara e simples os termos e as condições de venda, com toda a informação sobre o uso dos dados pessoais e o direito de acesso, retificação e eliminação dos mesmos. 

Se não conhece o site e não tem qualquer referência de amigos ou pessoas que já realizaram compras, verifique se há comentários (confirmados) de outros utilizadores. É uma forma de obter informações sobre tempo de entrega, reembolso em caso de devolução, etc. 

Para evitar problemas, opte por lojas conhecidas: procure nome, morada, contacto telefónico, e-mail e número de contribuinte do vendedor. Não compre sem um endereço físico ou se apenas houver um apartado postal. A morada completa é essencial para localizar o vendedor em caso de problemas. Estas e outras informações são obrigatórias nas lojas online.

Se o preço for demasiado bom, desconfie. Nem sempre significa uma boa compra. Leia atentamente os termos e as condições da loja online. Por exemplo, esta pode aceitar que devolva em 14 ou 30 dias, numa loja física, num ponto de recolha ou apenas pelo correio.

Pode ser útil subscrever e-mails de sites que considere fidedignos e onde realiza compras com regularidade. É uma forma de ter acesso a condições de venda mais vantajosas ou promoções (por exemplo, custos de envio gratuitos durante um determinado período de tempo). Pode ainda seguir os sites através das redes sociais, ficando informando sobre as principais novidades.

Crie um e-mail só para as compras online, através do qual poderá receber informação relativa a promoções ou informação específica sobre a sua encomenda, nomeadamente sobre devoluções ou reembolsos. Deste modo evita que a sua conta principal de e-mail seja alvo de spam.

Em caso de conflito de consumo, pode recorrer à nossa plataforma Reclamar. A queixa será enviada diretamente para a empresa, com o apoio da DECO PROTESTE, a maior organização de consumidores do País.

Reclamar

 

Não esqueça estes direitos nas compras à distância

Nas compras à distância, se quiser anular a compra depois de o produto lhe chegar às mãos, tem 14 dias seguidos para comunicar a sua desistência. Saiba em que situações não pode desistir. Em caso de encomenda atrasada, reclame junto da loja online, pois o vendedor tem várias obrigações a cumprir.

Há um prazo para apresentar queixa das situações de burla. Existe ainda uma alternativa aos tribunais, para os casos em que o consumidor não consegue chegar a acordo com a loja online.

Se tiver dúvidas sobre os seus direitos, contacte o nosso serviço de informação. Em caso de conflito, pode expor a situação na plataforma Reclamar.

Campanha da União Europeia reforça direitos dos consumidores

Os consumidores europeus têm direitos que devem ser respeitados, mesmo quando as compras são feitas online. A campanha #yourEUright, promovida pela União Europeia, tem como objetivo divulgar e ajudar os consumidores a conhecê-los e a exercê-los quando compram na internet, seja para resolver um problema com o banco, exigir a reparação ou substituição de um produto defeituoso, ser reembolsado por uma viagem que não correu como o previsto ou defender-se da publicidade enganosa, por exemplo.

Os mecanismos ao dispor para exercer os direitos incluem ações informais online ou a resolução de litígios por meios convencionais. No site #yourEUright, além da informação, também é possível aprender com as experiências de outros consumidores, sabendo como resolveram os litígios e a que mecanismos de resolução de conflitos recorreram.

Desistir da compra online

Um dos principais direitos que a campanha #yourEUright divulga é o de desistir da compra. Desde o momento em que o produto chega a casa, tem 14 dias úteis para devolvê-lo sem custos e sem dar nenhuma explicação.

Os produtos comprados na internet têm os mesmos 2 anos de garantia de outro produto qualquer. Se a loja online não der a informação do direito de desistência, o prazo para desistir da compra sem dar explicações aumenta para 12 meses.

Viagens organizadas e serviços de viagem associados

Cada vez se viaja mais e para fora, com pacotes comprados online. Para melhorar a proteção dos consumidores, a lei europeia das viagens organizadas sofreu uma atualização em 2018 para se adaptar às novas formas de produtos e serviços de viagens através da internet.

Ao reservar um pacote de férias e/ou serviços de viagem associados, o consumidor beneficia de um nível elevado de proteção. Quando as condições contratadas não são cumpridas, é possível pedir um reembolso. A campanha #yourEUright informa, ainda, como ser repatriado gratuitamente se o operador turístico cessar a atividade enquanto estiver no seu destino de férias.

Estes direitos são válidos ao comprar o pacote de viagem online ou presencialmente a um operador turístico, agente de viagens ou qualquer outro profissional que organize este tipo de viagens. 

Proteja-se da publicidade enganosa

A publicidade enganosa é o primeiro incumprimento em matéria de publicidade e afeta, diretamente, os consumidores, por poder influenciar as decisões de compra. Para se considerar publicidade enganosa, esta tem de conter informação falsa ou que, sem ser falsa, induz ou pode induzir os destinatários em erro. Por exemplo, recorrendo a alegações confusas ou que não correspondem à realidade.

A campanha #yourEUright sugere que, perante o que suspeita ser publicidade enganosa, deve procurar informação objetiva antes de tomar uma decisão. Para que possa reclamar, deve guardar o anúncio, a publicidade ou o que viu na internet, pois é a principal prova que tem.

Em caso de problemas, deve reclamar com o estabelecimento e tentar chegar a um acordo prévio. Se não for possível, pode pedir arbitragem no caso.

Conheça e defenda os seus direitos

 

É nosso subscritor e precisa de esclarecimentos personalizados sobre este tema? Contacte o nosso serviço de assinaturas. Relembramos ainda que pode aceder a todos os conteúdos reservados do site: basta entrar na sua conta

Se ainda não é subscritor, conheça essas e as demais vantagens da assinatura.

Subscrever

 

Este artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais se for indicada a fonte e contiver uma ligação para esta página. Ver Termos e Condições.