Dicas

Exames de check up não são todos úteis

Os programas de check up anuais propostos pelas unidades de saúde privadas a indivíduos sem sintomas não têm utilidade comprovada. Saiba os exames de rotina que deve realizar.  

26 janeiro 2018
Exames de check up não são todos úteis

Thinkstock

Muitos estabelecimentos de saúde privados propõem programas de check up por preços que variam entre 275 e 2000 euros. Os mais caros incluem maior número de análises e exames e destinam-se a pessoas com mais de 40 anos. Contudo, uma revisão de estudos mostra que este género de programas, destinados a indivíduos saudáveis, sem sintomas, e que visam detetar as doenças, não têm benefícios comprovados: não reduziram a mortalidade em geral, nem por doenças cardiovasculares ou cancro. Aumentaram apenas o número de diagnósticos.

Além disso, a deteção precoce não resulta necessariamente em melhores tratamentos. Estes podem começar mais cedo, mas não se verificam diferenças no final. Mais: durante o processo, os exames causam ansiedade, por vezes, dão resultados errados (os chamados falsos positivos ou falsos negativos) e não estão isentos de riscos.

Os pacotes, no seu todo, são desnecessários, mas alguns dos exames incluídos podem ser úteis. É o caso quando o diagnóstico precoce aumenta a probabilidade de cura, sendo, para isso, indispensável que o exame dê resultados precisos e que haja tratamentos eficazes.

As autoridades de saúde, como a Direção-Geral da Saúde, recomendam uma lista de análises e exames a indivíduos sem sintomas, em função da idade e do sexo. 

Medição da tensão arterial

A hipertensão está na origem de complicações cardíacas, como a angina de peito, enfartes ou alterações do ritmo cardíaco e outras, como acidentes vasculares cerebrais. São considerados elevados os valores a partir de 140/90 milímetros de mercúrio.

É recomendado a partir dos 18 anos todos os três a cinco anos, em indivíduos sem fatores de risco.

Preço

Grátis nas consultas.

 

Medição da glicemia

Os valores de glicemia (açúcar no sangue) podem indicar diabetes. A partir 126 miligramas de açúcar por decilitro de sangue (análise em jejum), a situação exige acompanhamento médico.

É recomendado a quem excesso de peso, entre os 40 e os 70 anos, de três em três anos.

Preço

Privado: € 1,40 a € 4,50.
Serviço Nacional de Saúde: € 0,35.

 

Colesterol

O colesterol elevado é um fator de risco para as doenças cardiovasculares. O valor de colesterol total pouco diz. É preciso verificar a relação entre o chamado bom (HDL) e o mau colesterol (LDL).

É recomendado a homens a partir dos 40 anos e mulheres após os 50 ou após a menopausa: de cinco em cinco anos.

Preço

Colesterol total: € 2,10 a € 4,5 (privado); € 0,35 (Serviço Nacional de Saúde).
Colesterol HDL: € 2,80 a € 6 (privado); € 0,5 (Serviço Nacional de Saúde).
Colesterol LDL: € 2,8 a € 6 .(privado); € 0,65 (Serviço Nacional de Saúde).
 

Mamografia

Permite identificar o cancro da mama. Mais de 90% das doentes podem ser curadas se a doença for detetada numa fase inicial, reduzindo também a necessidade de uma mastectomia total, a cirurgia para remover a mama.

É recomendado a mulheres a partir dos 50 anos, de dois em dois anos.

Preço

Privado: € 60 a € 105.
Serviço Nacional de Saúde: € 4.

 

Citologia (exame de Papanicolau)

Permite identificar alterações nas células do colo do útero e evitar a evolução da doença. Detetadas no início, as lesões são tratáveis e não se tornam malignas. Em caso de tumor, quanto mais cedo for descoberto, maior a probabilidade de cura.

É recomendado a mulheres a partir dos 21 anos, de três em três anos.

Preço

Privado: € 40 a € 63.
Serviço Nacional de Saúde: € 3.

 

Sangue oculto nas fezes

A presença de sangue nas fezes pode sinalizar um cancro do cólon e do reto. A deteção precoce destes cancros aumenta consideravelmente o sucesso dos tratamentos e a taxa de sobrevivência.

É recomendado a homens e mulheres dos 50 aos 74 anos, uma vez por ano.

Preço

Privado: €1,40 a € 7,50. Serviço Nacional de Saúde: € 2,50. 
 

 


Imprimir Enviar por e-mail