Notícias

Euromilhões: tudo o que muda no jogo e no preço

28 setembro 2016 Arquivado
A aposta mínima no Euromilhões subiu para € 2,5 e passa a incluir a aposta no Totosorteio, o novo jogo social do Estado.

28 setembro 2016 Arquivado
O Euromilhões vai aumentar o valor do jackpot base, o preço das apostas e o número de estrelas. Uma das causas por detrás da inflação é o M1lhão, o novo jogo social do Estado que será vendido juntamente com o Euromilhões.
O Euromilhões vai continuar “a criar excêntricos todas as semanas”, mas por um preço mais alto. A partir de 24 de setembro, o custo das apostas sobe cinquenta cêntimos e o bolo de prémios vai crescer.

Também o valor de base do jackpot (primeiro prémio) aumenta, de quinze para dezassete milhões de euros. O jackpot máximo mantém-se nos cento e noventa milhões de euros.

O número de estrelas cresce, de onze para doze, uma mudança que mexe com as probabilidades de ganhar nas diferentes categorias de prémios. O primeiro prémio do Euromilhões é ganho pelo acerto em 5 números e 2 estrelas. Para uma distribuição mais equitativa, foi trocada a forma de premiar a 6.ª e a 7.ª categorias: a 6.ª categoria passa a exigir o acerto em 3 números + 2 estrelas, e a 7.ª categoria em 4 números (+ 0 estrelas).

Parte da culpa do aumento de preço é do M1lhão. Terá custo mínimo de trinta cêntimos, para um prémio de um milhão de euros, e estreia marcada para 30 de setembro. Os dois jogos vão ser vendidos conjuntamente: para jogar num, é preciso jogar também no outro.

A cada aposta simples no Euromilhões corresponderá uma aposta no M1lhão. O sistema informático passará a criar automaticamente um código (aleatório, composto por números ou números e letras) e emitirá um recibo autónomo para o Totosorteio com os principais dados da aposta.

O Euromilhões mantém, pelo menos para já, os dois sorteios semanais, ao passo que o M1lhão terá apenas um, à sexta-feira. Nesse sorteio serão válidos todos os códigos emitidos ao longo da semana que passou. Ou seja, se costuma apostar no Euromilhões às terças e às sextas-feiras, ficará, todas as semanas, com pelo menos dois códigos premiáveis no M1lhão.

Para além de subir o preço da aposta para € 2,50, a novidade obriga os jogadores a participar num sorteio que possivelmente não desejam. O combate ao jogo ilegal e a aproximação às regras dos outros países da União Europeia são os principais argumentos invocados para a mudança.

Estes dois jogos deveriam ser vendidos em separado. Ao jogar no Euromilhões o consumidor é obrigado a jogar no M1lhão, mesmo que não queira, e vai pagar mais por isso.

Outra novidade anunciada é a realização do primeiro sorteio Chuva de Milionários, que vai premiar, com € 1 milhão, 25 apostadores dos vários países que participam no Euromilhões. Está previsto para o final de outubro, em data a anunciar.

Imprimir Enviar por e-mail