Guia de compras

Como escolher a placa de cozinha

Placa de cozinha em funcionamento

As placas de indução são rápidas a aquecer e fáceis de limpar. Mas são também mais caras e incompatíveis com utensílios de cerâmica e alumínio. Conheça as características principais antes de comprar.

As placas de indução são bastante rápidas a aquecer e consomem menos do que os outros sistemas. Nas placas de indução, o calor é gerado na base do tacho (superfície magnetizável). Mas também acusam pontos fracos: muitas são caras e só funcionam com material de cozinha magnetizável.

Não pode utilizar recipientes de alumínio, cerâmica, cobre, barro ou pírex em cima destas placas. Para fazer o teste, o truque é simples. Use um íman: se este for atraído para a base do recipiente, pode ser utilizado na placa. Os utensílios recomendáveis são de aço esmaltado, ferro fundido e alguns de aço inoxidável. Também pode verificar na etiqueta do utensílio ou na parte traseira se exibe o símbolo de indução. Para não desperdiçar energia, escolha um recipiente com diâmetro igual ao da área de cozedura. As placas já têm zonas com diferentes diâmetros, e é cada vez mais frequente encontrar placas com zonas flexíveis, juntando duas. Pode, por exemplo, utilizá-las com recipientes retangulares ou de maiores dimensões do que o diâmetro de apenas uma zona.

A maioria das placas exibe quatro zonas de cozedura e nove níveis de temperatura. Todas as placas têm uma ou várias zonas de cozedura com função boost (aumento rápido de potência). Esta funcionalidade pode ser útil para aquecer um líquido rapidamente, por exemplo. Os comandos para aumentar ou reduzir a potência são táteis e desligam automaticamente quando se retira o recipiente. Algumas têm temporizador independente para cada zona de cozedura.

Fazer uma grande poupança na loja não é missão impossível. A Escolha Acertada vale uma poupança de 120 euros face à média dos aparelhos testados. Nas lojas, descobrimos diferenças superiores a 300 euros para o mesmo modelo.

Como preservar a placa de cozinha

Preparámos uma seleção de conselhos para preservar os atributos das placas. O tempo de cozedura das placas de indução é diferente do das placas a gás ou das outras placas de vitrocerâmica, como com focos radiantes ou halogéneo. Já existem placas com multizonas, ou seja, que incluem diferentes diâmetros no mesmo foco de cozedura. Pode alternar consoante as necessidades. Alguns modelos já têm zonas extensíveis, que permitem usar recipientes de maiores dimensões, como grelhas para oito hambúrgueres.

As placas de indução só aceitam panelas e tachos com fundo plano e de material magnetizável. Não funcionam com recipientes de vidro, cerâmica, barro ou cobre.

A maioria das placas tem a função boost, indicador de calor residual e opção de bloqueio. Não são essenciais, mas podem ajudar. O boost funciona como um turbo que aumenta a potência máxima num curto período. Já o indicador de calor residual e o bloqueio são a segurança adicional, além do bloqueio automático.

Como limpar a placa de cozinha?

A área plana da placa facilita a limpeza. Limpe a superfície após cada utilização com produtos não-abrasivos e não espere que os excessos de comida sequem para os retirar. Use esponjas ou panos macios.

Consumidores com pacemakers podem aproximar-se de placas a funcionar?

Os manuais de instruções aconselham os consumidores com pacemakers a não se aproximarem das placas de indução em funcionamento. Estes equipamentos respeitam as diretrizes de segurança e compatibilidade eletromagnética. Recomendamos falar com o médico.