Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos. A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pela DECO PROTESTE. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização. Ao utilizar o nosso website você aceita desta Política e consentimento para o uso de cookies. Você pode alterar as configurações ou obter mais informações em aqui.

Um meio LIKE para o Facebook…

11 abr 2018

A DECO PROTESTE reuniu com o Facebook e obteve garantias do gigante de comunicação americano relativamente à salvaguarda, no futuro, dos dados dos seus utilizadores.

Poucas horas as seguir à audição de Mark Zuckerberg no Senado dos Estados Unidos da América, em que o líder do Facebook apresentou desculpas públicas sobre as falhas de funcionamento daquela rede social, cinco organizações de defesa dos consumidores de Portugal Espanha, Itália, Bélgica e Brasil, obtiveram um compromisso em três pontos:

 

O estudo de uma forma de compensação para os consumidores afetados pelo escândalo Cambridge Analytica;

 

 - Possível compensação de outros consumidores cujos dados também tenham sido abusivamente utilizados por outras aplicações que operam no âmbito do Facebook;

 

- Definição de uma colaboração conjunta, que permita aos consumidores retomarem o controlo dos seus dados e da autorização informada de possíveis utilizações. Este é, aliás, o mote da campanha da DECO PROTESTE – Os meus dados são meus –, que está em curso há mais de um ano, e que reclama, precisamente, este controlo e a criação de mecanismos que compensem os consumidores pela disponibilização ou utilização dos seus dados.

 

Nas próximas semanas, voltaremos a revisitar as propostas com o Facebook e a avaliar a sua evolução. Se não houver alterações positivas, encaramos a possibilidade de encetar outras formas de intervenção, no sentido da reposição e reparação dos direitos violados pelo Facebook.

 

No entanto, enquanto organização experiente e reconhecida na defesa dos consumidores, privilegiaremos sempre o diálogo e a procura de soluções comuns que potenciem os benefícios decorrentes das alterações tecnológicas a que temos assistido nas últimas décadas.