Dossiês

Como preparar o regresso às aulas

31 agosto 2020
carrinho de compras em miniatura carregado de materiais escolares

Fique a par de todas as regras quanto ao seguro, ao transporte e à ação social. Saiba ainda que despesas tem de começar a guardar para deduzir no IRS. 

Início

Os manuais, o material escolar (de preferência, sem químicos), a ação social, os seguros e o transporte são os problemas a resolver primeiro. Mas há aspetos práticos de alimentação, direitos ou saúde a ter em conta.

Explicamos ainda quem tem direito à bolsa de estudo e quais as regras para os trabalhadores-estudantes. E damos algumas dicas para estudar e ajudar no sucesso escolar.

Peça fatura com número de contribuinte para comprovar todas as despesas de educação. Não se esqueça de validá-las no e-fatura, para não perder no reembolso do IRS. 

Mochilas escolares e postura adequada

O peso das mochilas é uma das preocupações. Postura incorreta e mochila com excesso de peso são maus hábitos que os jovens adquirem e que podem vir a causar problemas de postura, nas costas, pescoço e ombros.

Quando for comprar a mochila, leve a criança consigo, para que esta a experimente. Certifique-se de que o tamanho é adequado para a estatura (ajuste as alças para que fique sempre acima das ancas).

Quando vazia, a mochila não deve pesar mais de meio quilo. Ao arrumar o material, coloque os objetos mais pesados e volumosos, como os livros, na vertical, o mais próximo possível das costas. O peso deve estar bem repartido e a mochila quanto mais leve, melhor. Não deverá ultrapassar 10% do peso da criança. Caso ultrapasse, opte por uma mochila com rodas, com pega regulável, para que se adapte à estatura da criança. Esta não deverá dobrar o braço ao puxar a mochila.

Quando a criança não se senta corretamente, tem mais dificuldade em concentrar-se, pode perder interação com os professores e parecer inquieta. Uma postura confortável, melhora a concentração e a destreza manual.  

Refeitórios e lanches

Para além da família, a escola desempenha um papel muito importante na adoção de hábitos alimentares saudáveis. As orientações da Direção-Geral de Educação (DGE) são claras. As cantinas devem fornecer diariamente aos alunos:

  • pão de mistura fresco;
  • sopa de legumes;
  • salada e/ou legumes;
  • peixe e carne, em dias alternados, acompanhados com arroz, massa ou batata, também em dias alternados e com confeções variadas;
  • fruta crua e, de preferência, da época.

As cantinas (Lei n.º 11/2017, de 17 de abril) têm ainda de garantir uma ementa vegetariana, que cumpre as mesmas regras que a ementa anterior quanto ao pão, sopa, salada, acompanhamentos e fruta. Em vez da carne e do peixe serem o principal constituinte do prato principal, são as leguminosas, que terão de variar diariamente.  

Uma vez por semana, as cantinas têm de incluir no menu leguminosas (na ementa normal) e uma alternativa à fruta fresca (fruta cozida ou assada, gelatina, gelado ou iogurte). A DGE aconselha ainda, no mínimo, a inclusão dos ovos na ementa duas vezes por mês e os fritos, no máximo, uma vez quinzenalmente. A água é a única bebida autorizada nos refeitórios.

Como tratar piolhos

Qualquer um pode apanhar piolhos, mas as crianças em idade escolar estão mais vulneráveis. A transmissão dá-se, principalmente, por contacto direto entre cabeças, sendo pouco comum devido à troca de roupas e objetos infestados, como toalhas e pentes. Ter piolhos não significa falta de higiene. Pelo contrário, estes bichos preferem cabelos limpos. 

Prevenção há só uma: estar atento à cabeça do seu filho. Esteja atento a sinais como comichão intensa, pequenas feridas na cabeça e dificuldade em dormir. Se encontrar resíduos castanhos nos lençóis, pode estar perante uma infestação. Na farmácia ou no supermercado, compre um champô para piolhos e aplique de acordo com as instruções.

Tablets e computadores para a escola à distância

Em tempos de coronavírus, com a escola refugiada em casa, as plataformas digitais têm sido uma grande ajuda no estudo e no contacto entre alunos e professores. Smartphone, tablet, computador ou televisão têm sido usados para encurtar distâncias e estabelecer ligações.

Reunimos sugestões dos nossos comparadores de equipamentos tecnológicos, com o título de Escolha Acertada ou de Mais em Conta. As nossas recomendações  também consideram o grau de complexidade das tarefas exigidas aos alunos.

Vantagens das contas-estudante

As contas para estudantes e jovens são, em regra, mais vantajosas do que as existentes para o público em geral: exigem mínimos de abertura reduzidos, isentam ou cobram custos mais baixos de manutenção e, muitas vezes, nem a anuidade do cartão de débito ou crédito cobram. A maioria não é remunerada, mas pode ser uma boa solução para quem estuda ou ainda não completou 30 anos, especialmente para aqueles que escolhem o homebanking como o canal privilegiado.

A maioria dos bancos cobra pelas transferências interbancárias, mesmo que realizadas através do respetivo portal na internet. Se o banco com a melhor proposta de conta estudante/jovem não coincidir com aquele onde os pais têm conta, é melhor usar o Multibanco para transferir a mesada, onde a operação é gratuita.

Para quem quer estudar mas, neste momento, não tem possibilidades, também há solução: há empréstimos que só tem de pagar quando terminar os estudos.

 

Este artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais se for indicada a fonte e contiver uma ligação para esta página. Ver Termos e Condições.

Exclusivo Simpatizantes

Para ler, basta ter conta no site (disponível para subscritores e não-subscritores).

Entrar

Não tem acesso? Criar conta gratuita