Dicas

Transferências bancárias: tudo o que precisa de saber

A transferência bancária é uma forma de movimentar dinheiro numa conta à ordem. Saiba que tipos de transferências existem, como se fazem e quanto custam.

21 novembro 2022
Homem utiliza caixa automática com a mão direita enquanto olha para telemóvel que segura com a mão esquerda

iStock

As transferências bancárias, a par da utilização do cartão de débito e (cada vez menos) dos cheques, são uma forma de movimentar o dinheiro de uma conta à ordem. Com uma transferência bancária, pode pagar produtos e serviços, enviar dinheiro para um filho que está a estudar fora ou movimentar fundos entre duas contas suas, entre outras utilizações. 

Que tipos de transferências bancárias existem

Existem dois tipos de transferências bancárias realizadas entre contas nacionais:

  • transferências intrabancárias: a conta de origem do dinheiro e a conta para onde o mesmo é transferido são do mesmo banco;
  • transferências interbancárias: as contas de origem e de destino do dinheiro pertencem a bancos diferentes.

Existem ainda as transferências internacionais, destinadas a enviar dinheiro para o estrangeiro. No caso de contas sediadas em qualquer um dos 19 países que utilizam o euro como moeda, os procedimentos são idênticos aos das transferências interbancárias.

Como fazer uma transferência bancária?

Existem três formas de movimentar dinheiro através de transferência bancária, seja entre contas do mesmo banco ou de bancos diferentes:

  • ao balcão do banco, ficando sujeito ao horário de funcionamento do mesmo, mas contando com um atendimento personalizado em caso de dificuldade ou dúvida. Leve sempre o seu documento de identificação;
  • através de computador e smartphone, na plataforma de homebanking ou na aplicação do seu banco, sendo a forma mais prática de realizar uma transferência, pois não tem de se deslocar. Deve ter à mão os dados de acesso e as coordenadas ou códigos de validação das operações;
  • numa caixa automática, onde as transferências são gratuitas e pode confirmar o nome do destinatário antes de confirmar a operação. Precisa de ter consigo o cartão de débito.

Para dar a ordem de transferência de fundos, necessita de saber o Número Internacional de Conta Bancária (IBAN, da sigla em inglês de International Bank Account Number). Tratando-se de uma transferência entre contas do mesmo banco, basta saber o número da outra conta, embora o IBAN também se aplique.

Quanto tempo demora o dinheiro de uma transferência bancária a ficar disponível?

Depende do tipo de conta e do banco. Regra geral:

  • numa transferência intrabancária, o dinheiro fica disponível de imediato;
  • numa transferência interbancária, o dinheiro fica disponível no dia útil seguinte a ser dada a ordem de movimentação.

Surgiram, mais recentemente, as transferências imediatas, que permitem que o dinheiro fique disponível na conta de destino no espaço de alguns segundos, em qualquer dia da semana, mesmo entre bancos diferentes. A generalidade dos bancos portugueses já disponibiliza esta função, mas cobra mais pelo serviço. A União Europeia pretende que este tipo de transferências se torne a regra e que tenha custos mais acessíveis para os consumidores.

Quanto custa fazer uma transferência bancária?

O custo de fazer uma transferência bancária varia muito, dependendo do banco e do tipo de transferência. Consulte o preçário da sua instituição bancária. Em regra:

  • as transferências bancárias realizadas numa caixa automática são gratuitas;
  • uma transferência interbancária feita ao balcão do banco pode custar, em média, 7,35 euros;
  • a mesma transferência realizada através de homebanking custa menos de 1 euro. Se for uma transferência imediata, o custo sobe para 1,50 euros a 2 euros;
  • caso seja realizada uma transferência intrabancária entre contas do mesmo titular através da internet, geralmente não são cobrados custos.

É possível cancelar uma transferência bancária?

Por vezes, pode sentir necessidade de cancelar uma transferência bancária, porque se enganou no destinatário ou transferiu um montante superior ao que queria, entre outros motivos. Tenha o cuidado de confirmar os dados do destinatário e os valores a transferir antes de concluir a operação.

Se tal não for suficiente para impedir um erro, cancelar uma transferência bancária não é tarefa fácil, mas também não é totalmente impossível. O fator que mais conta nesta situação é o tempo.

Se o dinheiro ainda não tiver sido recebido pelo destinatário, pode solicitar que a operação seja cancelada. A situação é mais complexa se o dinheiro já tiver chegado ao destino, pois deixa de ser um cancelamento, para passar a ser um pedido de devolução de dinheiro.

Em qualquer caso, assim que detetar o erro, deve contactar o serviço de apoio ao cliente do seu banco. No caso de a transferência ter sido concluída, a devolução dependerá da autorização do destinatário. Se este recusar, resta-lhe tentar reaver o dinheiro em tribunal.

Geralmente, os bancos cobram um valor por estes serviços, que poderá oscilar entre os 15 e os 75 euros, dependendo do tipo de transferência e do estado da mesma à data do pedido. O valor pode variar muito entre instituições bancárias, pelo que convém consultar o preçário da sua.

Que alternativas existem à transferência bancária?

São cada vez mais populares as aplicações para smartphone que permitem a realização de transferências de dinheiro de forma instantânea.

A Glase e a PayPal funcionam de forma semelhante, permitindo fazer transferências instantâneas entre utilizadores, sem custos nem limites de montantes ou de número de transações. Mas esta funcionalidade só é possível na modalidade de contas pré-pagas. A app do PayPal também permite que um utilizador peça dinheiro a outro, usando um método semelhante ao do envio: seleciona um contacto, define um montante e o destinatário recebe uma notificação com o pedido.

O mesmo se passa com a MB Way. Pode enviar e pedir dinheiro, mas sem estar limitado ao saldo disponível numa conta pré-paga. As transferências instantâneas através da MB Way não podem exceder os 750 euros por operação, ainda que seja possível fazer duas transferências seguidas neste valor. Além disso, o somatório das operações realizadas ao longo de um mês tem um teto de 2500 euros. Também não é permitido a um mesmo utilizador receber mais de 20 transferências mensais. Por fim, as transferências só podem ser efetuadas entre os utilizadores da aplicação.

Precisa de abrir uma conta à ordem?

Uma conta à ordem é um serviço imprescindível para fazer a gestão diária das despesas e dos ganhos. Com esta conta, pode receber o ordenado ou a pensão, depositar cheques e notas, levantar dinheiro, pagar contas, fazer transferências, etc. A DECO PROTESTE ajuda a encontrar a melhor conta à ordem para o seu perfil de utilização.

COMPARE E ESCOLHA A CONTA À ORDEM

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.