última atualização: 31/10/2021

Opinião especialista Pedro Silva - Custo da Eletricidade

A ERSE está a propor medidas em linha com o que temos vindo a defender sobre o mercado de eletricidade. 

O nosso especialista, partilha a sua opinião: 

“Com os atuais níveis de preços no mercado grossista, os pequenos operadores ficam muito expostos e podem sair do mercado de forma desordenada, originando custos para o sistema, que se vão refletir nos consumidores.”

Pedro Silva, Analista de mercado

Descubra como se pode reduzir o impacto na fatura mensal da eletricidade no nosso artigo. 

Partilhem também as vossas opiniões e dúvidas acerca deste tema com a comunidade. 

 

User name

Junte-se a esta conversa

Participe nesta conversa, deixando o seu comentário ou questão em Produzir eletricidade da comunidade Energias Renováveis

3 Comentários

Filtrar por :
Faça login para aceder a este conteúdo. 
31/10/2021


A e-redes tem sido um problema. Passo a contar.
Em março, contratei uma empresa certificada e colocou 6 paineis fotovoltaicos com 2.250 de potencia, tendo comunicado à Erse (entidade reguladora). Em maio foi colocado a meu pedido um contador bidirecional. Este contador não dava ou comunicava leituras. Em junho veio um técnico da e-redes. Continuou o aparelho a não comunicar as leituras. De vários telefonemas que fiz a resposta era que: iam formalizar a reclamação; que não estava em rede; Em julho apresentei queixa ao Portal da Queixa. No fim de julho recebi um mail a dizer que já está a funcionar. Veio mais uma vez um técnico ao local e disse que o contador estava em ordem. As faturas vinham sempre com contagem por estimativa. No Portal da E-redes tem uma área reservada onde eu tenho acesso às leituras e verificava que as mesmas eram inválidas No início de agosto disseram que ainda não conseguiam ver as leituras. Estive também na EDP a questionar a situação e disseram que era com a e-redes. A partir de 5 de agosto alterou o estado das mesmas para “válida”. As faturas eram num valor médio de 78€. Nos fins de agosto recebo uma fatura de 23.35€. Pedi esclarecimentos na EDP sobre a diferença dos valores e disseram que eram acertos desde o inicio da colocação do equipamento de medida bidirecional “contador”. A 31 de agosto deixei de visualizar a página de leituras na área reservada de clientes. Liguei para a “distribuidora” e a área de microprodução responderam que estavam a proceder a migração do sistema! Dos vários contactos que fiz nos finais de setembro, enviei por e-mail um pedido de esclarecimento e recebo resposta pela mesma via a informar que “…não é possível visualizar as leituras do CPE em apreço no nosso site, devido a constrangimentos técnicos. Garantirmos-lhe que tudo faremos para a resolução com a maior brevidade possível”. Outras respostas pelo telefone era que estavam a proceder a migração! No mês de setembro não recebi a fatura para pagamento. Só na penúltima semana de outubro recebo uma fatura com leitura estimativa, no valor de 81€. O que se passa com a E-redes? Sabem-me dizer?

Faça login para aceder a este conteúdo. 
16/10/2021

A conjugação do Fundo Ambiental com os preços pagos ao produtor de energia fotovoltaica, incentiva à "injeção zero" ou ao investimento em armazenamento. Armazenamento este de discutível mérito ambiental/ecológico. É um contra-senso estimular a produção de energia limpa mas em simultâneo não criar condições para que o (micro) produtor residencial tenha interesse em a injetar na rede. Em alguns países Europeus e vários estados americanos há explícito estímulo à injeção na rede, algo muito positivo sob o ponto de vista ambiental, nomeadamente através de "net metering" em períodos de pelo menos de 24h (em Portugal é - se funcionar? - em períodos de 15 minutos).

Já existe um "Petição Online" neste sentido. A DECO planeia alguma campanha? Qual a vossa posição: preferível o mau investimento em baterias, ou injeção zero, ou...?

Faça login para aceder a este conteúdo. 
20/10/2021
, Respondeu:

Tendo em conta que as baterias aínda são caras, sou de opiniaõ de injeção zero