Notícias

Quase nove mil portugueses avaliam fornecedores de energia

Conheça o nível de satisfação com as empresas de gás natural e eletricidade e saiba como descobrir o melhor tarifário.

11 outubro 2022
chama acesa num bico de fogão a gás

iStock

Goldenergy e MEO Energia são os únicos fornecedores a ultrapassar a fasquia dos sete pontos na satisfação, num máximo de dez, entre os 15 para os quais a DECO PROTESTE obteve resultados válidos. Em conjunto com mais seis empresas, onde se inclui a SU Eletricidade (tarifa regulada), são os que deixam os clientes mais satisfeitos. Esta informação resulta do inquérito online anual realizado aos subscritores das revistas, em março e abril de 2022. Os resultados baseiam-se em 8951 respostas válidas.

Dado o período de turbulência que atravessamos devido à guerra na Ucrânia e ao anúncio de aumentos nas tarifas do gás, o Governo decidiu permitir que os portugueses voltem à tarifa regulada do gás natural. Há muito que a DECO PROTESTE pedia esta solução, já possível na eletricidade. Por isso, se não está satisfeito com o fornecedor de energia ou considera a fatura muito elevada, não fique à espera de ofertas promissoras. E, mesmo que seja contactado por um vendedor, não assine qualquer documento ou aceite a mudança sem analisar e comparar todas as opções. Para uma decisão acertada, consulte o simulador e descubra se tem o tarifário mais indicado para o consumo de eletricidade e gás natural que faz em casa. 

Muito fiéis ao fornecedor

Mais de metade dos inquiridos usam eletricidade e gás natural em casa (56%), sendo que 36% juntaram as duas energias num mesmo contrato e 16% têm fornecedores diferentes para cada uma. Alguns dos contratos incluem benefícios ou serviços extra. Os mais comuns são descontos em empresas parceiras (referidos por 21%), e são também os mais usados. Contudo, os serviços de telecomunicações conseguem um maior índice de satisfação, seguido pela assistência e manutenção de eletrodomésticos, os segundos mais usados.

Apenas 14% dos inquiridos mudaram de empresa nos últimos 12 meses. Houve mais mudanças entre os fornecedores de eletricidade e da oferta dual do que entre os utilizadores de gás natural. Na maioria dos casos, a decisão foi tomada após terem contactado diretamente o novo fornecedor. Outros fizeram-no depois de receberem propostas da concorrência, por telefone, e‑mail ou presencialmente, através de um comercial em casa. Usufruir de tarifas e serviços mais vantajosos foi o principal motivo para mudar, apontado por 65 por cento. Apenas 6% referiram tê-lo feito devido a problemas com o fornecedor anterior.

Questionados sobre o processo de troca, a satisfação global foi de 7,5 em dez pontos. A facilidade em mudar e o tempo necessário para o processo foram os aspetos que mais agradaram. Já a informação recebida durante o processo foi o aspeto menos apreciado, embora sem desagradar.

Um quinto relata problemas

Cerca de um quinto dos subscritores tiveram, pelo menos, um problema nos últimos 12 meses com o fornecedor de energia (21 por cento). Informação em falta ou incorreta (26%), fatura incorreta (24%) e problemas no pagamento (10%) foram as falhas mais apontadas. A Iberdrola, a EDP Comercial e a SU Eletricidade foram alvo de mais queixas do que a média. Já a Lusitaniagás e a Setgás distinguiram‑se pela positiva, com menos problemas do que a média. Apesar de tudo, a maioria dos inquiridos mantém‑se fiel e é cliente há três anos ou mais (69 por cento). Aliás, apenas 17% indicaram estar insatisfeitos com o fornecedor.

Procurou-se ainda conhecer, em pormenor, os aspetos que mais agradam ou desagradam em cada empresa. Informação fornecida, serviço de apoio ao cliente, site e/ou app do fornecedor e transparência e exatidão das faturas foram os critérios analisados. Entre os subscritores com fornecedores diferentes para cada energia, verificou-se que a Goldenergy e a MEO Energia foram as únicas empresas com satisfação acima da média em todos os critérios. Nas restantes, foi sobretudo a informação fornecida e o serviço de apoio ao cliente a receberem uma apreciação mais baixa, embora, para empresas como a EDP Gás, a Setgás, a Lisboagás e a Iberdrola, o site ou a app também não tenham sido muito do agrado dos clientes. A satisfação com os comercializadores que juntam eletricidade e gás natural na mesma fatura foi um pouco superior: a Iberdrola foi a única empresa a deixar os clientes um pouco menos satisfeitos. Os critérios com avaliação mais baixa neste fornecedor foram a informação fornecida, o apoio ao cliente e o site ou a app.

Poupe nos custos da energia

Se não está satisfeito com o comercializador ou considera a fatura muito elevada, use o simulador e mude. Para que a simulação seja o mais precisa possível, convém indicar o consumo anual de eletricidade e/ou gás na sua casa. Para obter um valor realista, muna-se de duas faturas com um ano de diferença que tenham uma leitura feita pela empresa ou comunicada por si. Após subtrair o valor mais alto ao mais baixo, obtém o consumo anual. Também consegue apurar este valor através do site do comercializador, na sua área pessoal.

Decidido o tarifário, contacte a nova empresa, para assinar o contrato. Seja online ou presencial, tenha consigo o número de identificação fiscal e o código da instalação, que encontra na fatura: CPE, para a eletricidade, e CUI, para o gás. A mudança irá ocorrer em menos de 15 dias, e o novo fornecedor trata de todo o processo. Não precisa de cancelar o contrato com o anterior fornecedor. Entretanto, receberá uma fatura da empresa antiga, para fechar as contas. O novo comercializador enviará as seguintes.

Caso se arrependa, o novo serviço não seja satisfatório ou surja outra proposta mais vantajosa, nada impede nova mudança. Contudo, se o contrato incluir serviços adicionais, leia com atenção as condições, para ter a certeza de que não há um período de fidelização ou alguma penalização associados a uma mudança antes do prazo estabelecido.  

Mas, para poupar, não basta trocar de fornecedor: terá também de reduzir o consumo.

  • Opte pelo programa económico na lavagem da roupa e da loiça, quando possível.
  • Evite deixar aparelhos em standby, consumo que pode representar cerca de 10% da fatura.
  • Adira à tarifa bi-horária, se o seu perfil for compatível. Para tal, verifique os consumos nas horas cheias e de vazio (de maior e menor consumo) e, se 50% da eletricidade for gasta nas horas de vazio, a tarifa bi-horária pode ser uma boa opção. Procure concentrar os consumos à noite e ao fim de semana, quando a tarifa é mais baixa.

É nosso subscritor e precisa de esclarecimentos personalizados? Contacte o nosso serviço de assinaturas. Relembramos ainda que pode aceder a todos os conteúdos reservados do site: basta entrar na sua conta

Se ainda não é subscritor, conheça as vantagens da assinatura.

Subscrever

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.