Dicas

Como usufruir da TDT sem problemas

Início

Conheça o equipamento mais adequado e em que caso deve pedir assistência técnica. Mostramos ainda como gravar a emissão e que mudanças haverá no serviço.

20 março 2019
televisores

iStock

Para ver emissões de TDT em casa precisa de equipamento adequado. Verifique se o seu televisor possui sintonizador DVB-T MPEG4, que o torna compatível com a receção do sinal TDT. O sintonizador DVB-T MPEG4 existe na maioria dos modelos lançados no mercado após 2010 e em todos os posteriores a 2012. Se o seu televisor não o tiver, necessitará de uma caixa descodificadora. Deve ainda ter em atenção o tipo de antena que vai usar e as suas condições. As antenas UHF exteriores são as mais adequadas.

Feita a verificação de material, certifique-se do tipo de cobertura que abrange a zona onde vive. Pode ser uma zona de cobertura TDT (por via terrestre, ou seja, com captação por antena UHF) ou por satélite. Para obter esta informação, consulte o site criado pela MEO para o efeito, ou contacte a operadora através da linha de apoio 800 200 838. A MEO fez a implementação de toda a infraestrutura de TDT e é responsável por esclarecer a situação de cobertura de cada lar.

Se a MEO confirmar que está numa zona de cobertura terrestre e tiver todo o material necessário, mas não conseguir captar o sinal TDT de forma estável, verifique a orientação da antena. Veja ainda o estado de conservação desta e dos cabos usados. Se os problemas persistirem, deve pedir a deslocação de um técnico ao local através da linha de apoio. Esta assistência não terá custos se se verificar que todo o equipamento está em boas condições e, mesmo assim, não houver uma receção estável do sinal de TDT.

Se após a confirmação da MEO tiver gastos (na compra de um descodificador de TDT e na orientação da antena, por exemplo) que se verifiquem inúteis por ter sido mal informado (ou seja, por estar fora da zona de cobertura terrestre), tem direito a ser indemnizado. Guarde as faturas dessas despesas e verifique no site da TDT qual o procedimento a seguir. 

Parte do território não beneficia de cobertura terrestre (captação por antena UHF) do sinal TDT. Nessas situações, a captação tem de ser feita via satélite – ou seja, torna-se necessário instalar um prato de satélite para garantir a boa receção do sinal. Se viver numa destas zonas, tem direito a apoio financeiro na compra de um kit satélite. Para beneficiar da verba é essencial obter um comprovativo, emitido pela MEO, que ateste a falta de cobertura TDT na sua morada. 

Ver “emissiones” do país vizinho

Em regiões perto da fronteira com Espanha é possível captar o sinal de ambos os países. Quem vive nestas zonas e possui um descodificador compatível com a norma portuguesa (DVB-T MPEG4) pode ver canais espanhóis e portugueses. Contudo, a receção simultânea dos sinais português e espanhol só acontece se, no local da receção, conseguir definir uma orientação da antena que permita receber em simultâneo sinais de estações emissoras dos dois países. Isso nem sempre será possível e está dependente da localização e direção das estações emissoras dos dois lados da fronteira.

Acompanhar as mudanças no serviço

As mudanças anunciadas para a TDT terão baixo impacto em Portugal e deverão implicar apenas uma sintonização da nova frequência. A tecnologia atual (DVB-T MPEG4) irá manter-se, pelo que, na maioria dos casos, não será necessário comprar novos equipamentos nem mudar a orientação das antenas. Conheça todos os detalhes aqui.

A 5ª geração da rede móvel é inaugurada em 2020 e traz consigo a reestruturação da TDT na União Europeia. A tecnologia utilizará a banda dos 700 MHz, que em Portugal é ocupada parcialmente pela TDT, obrigando o serviço a passar para outra faixa de frequências, uma mudança que inicia pelo fim de 2019 e será concluída em junho de 2020.

 

Este artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais se for indicada a fonte e contiver uma ligação para esta página. Ver Termos e Condições.