Ilustração de um monitor de computador

Como escolher o monitor

Ajudamos a encontrar o melhor para si.

O ecrã do portátil pode ser demasiado pequeno para quem passa várias horas em frente ao computador. Um monitor externo é uma boa aposta para ficar mais confortável em teletrabalho. Saiba como escolher o melhor monitor para as suas necessidades.

Guia de compras

Principais características

Antes de escolher um monitor, determine o uso que lhe vai dar: é para trabalhar a escrever e a navegar na internet ou é para ver filmes, jogar e fazer edição de fotos e de vídeos? Responder a esta questão é o ponto de partida, porque, dependendo da atividade, há várias características técnicas que fazem a diferença. A definição do monitor, o tempo de resposta, o brilho, o contraste, a reprodução de cores, o ângulo de visão ou a taxa de atualização são importantes. Assim como alguns critérios extra relacionados com o formato do ecrã, a diagonal, ajustes e possibilidades de ligações.
Voltar ao topo

O ecrã do monitor

Conheça os aspetos mais importantes sobre o ecrã. 

Diagonal, definição e formato 

A diagonal do ecrã é medida em polegadas (1 polegada = 2,54 cm). A maioria dos consumidores tende a escolher um ecrã com tamanho de 21 ou 28” (53 ou 71 centímetros). Esta característica vai depender muito do critério do utilizador e do que quer gastar, bem como do uso que dará ao monitor e do espaço disponível para instalá-lo. Existem, também, monitores muito maiores ou curvos, geralmente mais usados por jogadores ou analistas financeiros. Muitos modelos têm versões com diferentes diagonais, mas especificações técnicas semelhantes.

Ao multiplicar os valores de horizontal e vertical fornecidos pelo fabricante, obtém o número de píxeis do ecrã, ou seja, a respetiva resolução. Dividindo esse valor pelo da diagonal do ecrã, obtém a densidade de píxeis (ppi – pontos por polegada). Quanto maior for o número, mais detalhada será a imagem.

Quanto ao formato do ecrã, os originais 4/3 estão a ser substituídos pelos 16:9 ou 16:10.

Tempo de resposta

É a medida, em milissegundos, do tempo que um píxel leva a ir do preto ao branco e a voltar ao preto. Quanto mais baixo for este valor, mais rápida será a resposta do ecrã, característica essencial para quem quer jogar. Se o monitor for para utilizar em trabalho de escritório como e-mail, internet, word ou excel, o tempo de resposta não é um critério muito importante.

Brilho e contraste

O brilho corresponde à intensidade máxima da luz emitida pelo ecrã. Por norma, os valores medidos variam entre 200 e 400 cd/m². Um valor alto garantirá uma imagem facilmente legível, mesmo numa sala com muita luz ou se o ecrã estiver sob incidência de luz solar (algo que não deve acontecer).

O contraste expressa-se pela relação entre as zonas escuras e claras da imagem. Sendo baixo, a imagem tem um aspeto mais esbatido. Muito alto resulta em imagens muito saturadas e com menor nível detalhe nas zonas mais claras.

Com o brilho máximo esse rácio varia entre 200:1 e 800:1 na maioria dos modelos. 

Reprodução de cores

Um monitor só pode reproduzir um determinado número de cores. Quanto maior for esse número, melhor é a reprodução das imagens e dos vídeos. O espaço de cores dos ecrãs é medido em comparação com uma referência padrão (o espaço sRGB). O resultado é expresso em percentagem de sRGB. Quanto maior for este valor, mais rica será a gama de cores disponível.

Ângulo de visão 

Um ecrã deve permanecer perfeitamente legível mesmo quando visto de um ângulo apertado de cima ou de lado. Infelizmente, nem sempre é o caso e, com alguns tipos de monitores, nota-se uma rápida degradação da qualidade da imagem no brilho, no contraste e/ou nas cores à medida que nos afastamos da posição frontal. Por outro lado, um ecrã com um ângulo de visão muito grande é menos conveniente se tiver outras pessoas ao seu lado e quiser proteger a sua privacidade. Por isso, este critério pode não ser determinante se o propósito for trabalhar sempre numa posição frontal.

Taxa de atualização

Corresponde ao número de imagens exibidas num segundo. Os valores típicos são 60 ou 75 Hz.  Em monitores LCD de uso geral, estes valores são suficientes para garantir uma imagem estável. No entanto, são valores muito baixos para amantes de videojogos, que privilegiam a taxa de atualização.

Voltar ao topo

Tipos de painéis

Os fabricantes usam vários tipos de painéis principais ou variações dos mesmos. Quais são as vantagens e os inconvenientes de cada uma das tecnologias?

TN (Twisted Nematics): é a versão mais antiga e, até há pouco tempo, a mais comum. Caracteriza-se por ter um excelente tempo de resposta, mas, geralmente, não convence pelo contraste nem pelo ângulo de visão. Os monitores de PC mais baratos ainda costumam usar este tipo de painel de ecrã.

IPS (In Plane Switching): é a que proporciona melhor qualidade de imagem, cores reproduzidas com muita precisão e ângulos de visão muito amplos. O tempo de resposta é, geralmente, superior em relação aos ecrãs VA, mas inferior aos TN.

VA (Vertical Alignment): destaca-se em termos de brilho, elevado nível de contraste, boa reprodução de cores e bons ângulos de visão. Mas apresenta um tempo de resposta um pouco elevado.

OLED (Organic LED): estes ecrãs, tipicamente mais caros, já não utilizam um sistema de retroiluminação, mas fontes de luz LED orgânicas para cada píxel da imagem. Os pretos são profundos, as cores fiéis e o tempo de resposta mais rápido. Um dos defeitos é uma certa falta de brilho.

Voltar ao topo

Ligações

Dependendo da idade, do desempenho e do preço, um monitor pode receber a imagem do PC ou portátil através de vários tipos de ligações.

VGA (Video Graphics Array): este tipo de ligação analógica ainda está presente em alguns computadores, mas já obsoleta e com tendência a desaparecer rapidamente. Deve garantir que o monitor tem entrada VGA se tiver um computador de secretária ou mesmo um portátil dos mais antigos.

DVI (Digital Video Interface): existe em diversas variações, permitindo definições e desempenhos elevados. Há, até, uma versão que permite uma ligação apenas analógica (DVI-A). Este tipo de porta tem vindo a ser substituído por tecnologias mais modernas, como HDMI e DisplayPort.

HDMI (High-Definition Multimedia Interface): atualmente é uma ligação muito usual, presente nos computadores e na maior parte dos televisores. Existem duas versões: HDMI 1.4, suficiente para a maioria dos utilizadores, e HDMI 2.0, que permite melhor desempenho de vídeo (definição e taxa de atualização). Para além de vídeo, a interface HDMI também transporta som.

DisplayPort/Mini DisplayPort: integram novos computadores ou dispositivos e permitem um desempenho ainda melhor do que o HDMI 2.0.

USB 3.1 ou USB C: dada a atual proliferação de dispositivos com uma entrada de USB C, esta ligação também pode ser útil. Para além do formato muito pequeno dos terminais, permite compatibilidade com uma variedade muito grande de dispositivos (telemóveis, máquinas fotográficas, etc.).

Thunderbolt 1, 2, 3 ou 4: opção usada, principalmente, pela Apple. As versões mais recentes (Thunderbolt 3 e 4) oferecem maior desempenho do que o padrão USB C.

Voltar ao topo

Questões frequentes

Respondemos às principais dúvidas sobre monitores.

Como instalar o monitor?

Para a instalação, siga as instruções que vêm no manual do monitor. Igualmente importante, caso passe muito tempo ao computador, é poder instalar o monitor de forma a ser usado confortavelmente. O ideal é garantir um suporte ajustável em altura e a possibilidade de inclinar o monitor. Alguns monitores vêm equipados com entradas USB, convenientes para ligar facilmente um ou outro equipamento, ou servir como uma docking station para um portátil, se usar sempre rato ou teclado, por exemplo.

Como otimizar a qualidade da imagem?

Para desfrutar de uma imagem de qualidade, há alguns aspetos a ter em consideração. Evite que lâmpadas e outras fontes de luz, por exemplo o sol, incidam diretamente sobre o ecrã. Calibre o seu monitor, ajustando o brilho, o contraste, a temperatura da cor, etc. Também pode optar por modos predefindos, de acordo com o tipo de atividade (por exemplo, jogo, vídeo, escritório, são alguns do modos mais comuns). Mantenha sempre uma distância mínima de 40 centímetros entre os seus olhos e o ecrã e posicione-se sempre bem à frente para evitar movimentos rotativos do pescoço. Ajuste a altura do monitor – o ideal será que o ecrã fique ligeiramente mais baixo do que os seus olhos. Ou seja, a parte superior do monitor deve estar alinhada com os seus olhos. Faça pausas frequentes, de hora a hora, para repousar a vista.

Como escolher o monitor?

Como já foi referido, o melhor monitor depende do uso que lhe vai dar. Quando decidir a finalidade – e depois de verificar as características de que necessita - consulte o nosso comparador de monitores para ver qual é o Melhor do Teste e a Escolha Acertada. 

Voltar ao topo