Notícias

Hepatite aguda de origem desconhecida em crianças: o que motiva o alerta

Nas últimas semanas foram diagnosticados vários casos de hepatite aguda de origem desconhecida em crianças de países como Dinamarca, Espanha, Irlanda, Reino Unido ou EUA. As causas da doença estão a ser investigadas pelas autoridades de saúde. Saiba do que se trata e quais os sintomas.

04 maio 2022
pai conforta filha doente

iStock

São cerca de 160 as crianças diagnosticadas com hepatite aguda de origem desconhecida em países como Dinamarca, Espanha, Estados Unidos da América, Holanda, Irlanda e Reino Unido. A doença está a preocupar as autoridades de saúde internacionais e os casos foram confirmados pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) e estão a ser monitorizados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que lançou um alerta internacional de saúde.

De acordo com o ECDC, as causas da doença, até agora desconhecidas, estão a ser investigadas em conjunto com as autoridades de saúde dos países onde os casos foram diagnosticados. No entanto, as autoridades do Reino Unido, onde ocorreu a maioria dos casos reportados até ao momento, acreditam que se trata de causa infeciosa, tendo em conta as características clínicas dos casos em investigação.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) diz estar atenta aos casos que têm surgido na Europa, mas informa que, até ao momento, “não há registo de situações idênticas em Portugal”.

OMS e ECDC monitorizam evolução dos casos

A 5 de abril, o Reino Unido reportou um aumento no número de diagnósticos de hepatite aguda de origem desconhecida em crianças com menos de dez anos previamente saudáveis, na Escócia. Dias depois, a 12 de abril, surgiram cerca de 60 novos casos em Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte, a maioria dos quais em crianças entre os dois e os cinco anos.

Em comunicado, o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças explica que os casos diagnosticados no Reino Unido apresentavam níveis elevados de enzimas hepáticas (transaminases superiores a 500 UI/l) e, em alguns dos casos, icterícia e sintomas gastrointestinais, incluindo dor abdominal, diarreia e vómitos nas semanas anteriores. Outros necessitaram de cuidados em unidades especializadas e alguns aguardam ou foram submetidos a transplante de fígado.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), por sua vez, explica em comunicado que há a hipótese de estes casos, que já foram reportados em 12 países, terem origem numa infeção por um adenovírus, um vírus comum que causa doenças respiratórias. No entanto, a OMS não exclui que outros fatores infeciosos e não infeciosos possam estar envolvidos, sendo, por isso, necessária mais investigação. A OMS garante, ainda, que está a monitorizar a situação de perto em conjunto com as autoridades de saúde dos países onde foram diagnosticados estes casos para determinar a origem da doença.

O que é a hepatite aguda?

A hepatite aguda é uma inflamação do fígado que pode ter várias causas, nomeadamente infeções pelo vírus da hepatite. Por serem tão inespecíficos, os sintomas da hepatite aguda podem ser diferentes de criança para criança.

Os casos agora diagnosticados no Reino Unido apresentaram nos dias ou semanas anteriores ao diagnóstico sintomas como:

  • icterícia (cor amarelada da pele e dos olhos);
  • dor abdominal;
  • vómitos;
  • diarreia.

A maioria dos casos não apresentou febre.

Dúvidas quanto à origem dos casos da doença persistem

Ainda não se sabe qual a origem dos casos de hepatite aguda infantil que surgiram nas últimas semanas. Os vírus da hepatite dos tipos A, B, C, D e E já foram excluídos pelas autoridades de saúde. A principal hipótese agora considerada pelos investigadores aponta para um cofator que afeta crianças com uma infeção por adenovírus que, em circunstâncias normais, seria leve, e está a desencadear uma infeção mais grave ou lesão hepática imunomediada. A doença é bastante rara e as evidências em torno da transmissão de humano para humano permanecem por revelar. Os casos reportados na União Europeia (UE) e no Espaço Económico Europeu (EEE) são esporádicos, com uma tendência pouco clara.

Algumas das crianças diagnosticadas com hepatite aguda testaram também positivo para a covid-19. No entanto, até agora não foi identificada qualquer ligação entre estes casos de hepatite aguda infantil e a covid-19. A relação entre estes casos de hepatite aguda infantil com a vacina contra a covid-19 também já foi descartada.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.