Dicas

Rent-a-car: saiba como evitar problemas

01 fevereiro 2019
rent-a-car

01 fevereiro 2019

Contrato escrito, seguro contra todos os riscos e verificação do estado de conservação do veículo antes e depois da viagem são obrigatórios para prevenir situações inesperadas.

Em viagens de férias ou negócios, ou para substituir o carro que está na oficina, pode usar o serviço rent-a-car e ser confrontado com o pagamento de serviços ou de arranjos. Siga as dicas abaixo para evitar problemas. Em caso de conflito, faça queixa na nossa plataforma Reclamar. 

 

Ir para a plataforma Reclamar

 

Se é titular do cartão DECO+, conheça as vantagens da nossa parceria com a Europcar, que permitem poupar até 20% no aluguer de viaturas. 

O que os sites devem indicar

Confronte tarifas em diferentes empresas de rent-a-car. Ao visitar os sites, compare o que é comparável (por exemplo, carros da mesma gama) e verifique se há extras escondidos. Tenha em atenção que os preços anunciados podem corresponder a serviços distintos.

Um bom site deve: 

  • referir os seguros incluídos na tarifa de base; 
  • dar uma ideia aproximada do tamanho e da capacidade do veículo; 
  • fornecer um mapa e o horário para levantar o carro; 
  • mostrar as tarifas aplicadas aos extras (como condutores adicionais);
  • permitir que inclua os pormenores do seu voo, para levantamentos ou entregas no aeroporto;
  • não cobrar taxas adicionais por pagamentos com o cartão de crédito.

Recorra apenas a empresas autorizadas. O portal do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) indica quais são.

Antes de tomar qualquer decisão, a empresa de rent-a-car deve informar, através de um documento (em papel ou noutro suporte, como o e-mail), sobre as características da viatura, as modalidades da caução, as coberturas do seguro, o modo de entrega, o cancelamento da reserva ou eventuais penalizações.

Esteja atento às restrições para alugar ou conduzir o carro. Algumas empresas limitam a condução a quem celebra o contrato e ao cônjuge. Outras exigem a identificação de todos os possíveis condutores. Há ainda as que cobram um montante extra por condutor adicional. Também podem existir limites de idade, por exemplo, o aluguer só ser permitido a partir dos 21 anos ou a quem tem carta de condução há, pelo menos, 2 anos. Certas empresas não autorizam a condução a maiores de 70 ou 75 anos, ou definem preços diferentes em função da idade do condutor. Noutros casos, há restrições na quilometragem ou nos locais de circulação. Se viajar para o estrangeiro, certifique-se de que os países a visitar estão cobertos pelo seguro.

Informações do contrato 

Leia as letras pequeninas antes de assinar o contrato. Se não tem a certeza do que vai assinar, exija que lhe expliquem os termos que suscitam dúvidas.

Informe-se ainda sobre:

  • a caução, que pode ser elevada; 
  • as condições de cancelamento. Algumas empresas de rent-a-car aceitam fazê-lo num curto espaço de tempo sem impor comissões, mas outras são menos generosas;
  • o que fazer em caso de avaria ou danos que não sejam da sua responsabilidade;
  • o abastecimento. O ideal é entregarem-lhe o veículo com o depósito cheio e exigirem-lhe que devolva da mesma forma, mas as políticas variam;
  • se o excesso de carga tem um custo à parte, passível de ser reduzido caso contrate uma cobertura extra.

Assine o contrato escrito em duplicado. O original fica com a empresa e a cópia consigo. No documento devem constar a identificação da companhia de rent-a-car, do consumidor e do veículo, o preço, os serviços abrangidos e os valores entregues (como a caução). Confirme se inclui o local e o horário para a devolução.

O contrato pode ser feito ao balcão da empresa, junto de um operador com quem esta tenha acordo ou numa agência de viagens. Mas também é possível fazê-lo pelo telefone ou pela net.

Entrega do carro

Assegure-se de que o modelo contratado está disponível. Caso contrário, a empresa deve apresentar um da mesma gama ou superior, sem cobrar mais por isso. Quando o veículo lhe for entregue, verifique o seu estado e, se houver danos visíveis, peça que fiquem registados. Deve ser-lhe entregue o documento único automóvel, o comprovativo da apólice de seguro e, se aplicável, a ficha de inspeção. Caso contrário, cabe à empresa de rent-a-car pagar multas ou coimas decorrentes da falta de apresentação desses papéis, se forem solicitados pelas autoridades.

Seguro e responsabilidades

A empresa de rent-a-car nunca pode responsabilizá-lo por danos que não tenham sido causados por si. Daí a importância de verificar o estado do carro quando lhe é entregue. O automóvel tem de estar coberto por um seguro de responsabilidade civil, contratado pela empresa. O prémio está incluído no preço base. Se quiser, pode contratar uma cobertura para danos provocados pelo condutor (choque, colisão ou capotamento), situações de roubo ou de furto, atos de vandalismo e fenómenos da natureza. Nalguns casos, essas situações estão incluídas no preço base, noutros são pagas à parte. Apure ainda a percentagem ou o valor dos danos a pagar em caso de acidente da sua responsabilidade.

Se possível, opte por um seguro completo. Mas atenção: a cobertura extra pode não abranger os pneus e o para-brisas. Pergunte se é possível fazê-lo e, quando for levantar o veículo, analise o estado desses equipamentos (incluindo o pneu sobressalente). Informe a empresa se detetar alguma irregularidade. 

O que fazer em caso de acidente

A empresa de rent-a-car deve assegurar gratuitamente um serviço de assistência 24 horas com quem possa comunicar. No momento em que fica com o carro, deve ser informado dos respetivos contactos.

Se não conseguir resolver a questão diretamente com a empresa, tente falar com o IMT, através do 808 20 12 12.

Caso o problema ocorra num país da Europa e queira resolvê-lo após o regresso, contacte a delegação portuguesa do Centro Europeu do Consumidor (o número é o 213 564 750). Para solucionar a situação no local, tente saber a que entidade deve recorrer e, se possível, procure a ajuda de uma associação de defesa do consumidor. Se necessário, dirija-se às autoridades policiais.

Devolver o carro

As condições de devolução do carro devem ser combinadas com a empresa de rent-a-car antes de assinar o contrato. Mesmo que não seja nos balcões físicos, a entrega pode ser feita junto aos terminais de transporte ou noutro local acordado. Mas pode-lhe ser cobrada uma taxa. Informe-se também sobre o pagamento de extras se houver atrasos. Algumas companhias esperam, por exemplo, por voos atrasados, outras não.

Após a entrega, pode ser acusado de danos no carro. Antes de devolver, inspecione-o cuidadosamente (até pode tirar fotos ou fazer um vídeo, para comprovar que o deixou em boas condições) e peça à empresa uma declaração em como não tinha problemas.

As companhias de rent-a-car ficam com uma cópia do seu cartão de crédito, para o caso de terem de cobrar eventuais danos. Se for o caso, é possível que o dinheiro passe a constar da conta-cartão e venha a ser debitado sem se aperceber. Analise com atenção o extrato que lhe é enviado e/ou consulte os movimentos online do cartão, caso este serviço lhe seja disponibilizado. Em caso de cobrança abusiva, reclame junto da companhia e da entidade emissora do cartão.