Notícias

Classe climática dos frigoríficos: desprezada, mas importante

01 janeiro 2018
Classe climática dos frigoríficos

01 janeiro 2018

Desconhecida para a maioria dos consumidores, a classe climática é um fator a não esquecer quando se compra um frigorífico, sobretudo se o instalar num local sujeito a baixas temperaturas.

A classe climática é útil porque indica os intervalos de temperatura ambiente para os quais cada frigorífico é concebido, ou seja, indica as temperaturas exteriores em que os dispositivos funcionam sem problema. Por exemplo, um frigorífico pode ser concebido para uma cozinha onde a temperatura não desça dos 16°C e raramente seja superior a 32°C. Mas, como saber esta informação? Muitas vezes, encontra-se na placa de características, na parte de trás do aparelho. Noutros, não consta. Após o nosso estudo, a Direção-Geral de Energia reconheceu a necessidade de melhorar a informação sobre este assunto.

Na prática, imagine que estava a pensar  instalar o frigorífico no anexo de uma habitação, onde a temperatura ambiente poderia descer até 10°C. A essa temperatura, alguns frigoríficos deixam de produzir frio de forma tão constante e não garantem as temperaturas aconselhadas para conservar os alimentos, sobretudo na zona de congelação. Saber a classe climática, ajudaria a tomar a decisão correta. 

Confira os vários tipos de classes climáticas, segundo o intervalo de funcionamento à temperatura ambiente: 
  • SN = 10 a 32°C; 
  • N = 16 a 32°C; 
  • ST = 18 a 38°C; 
  • T = 18 a 43°C. 

Alguns modelos pertencem a classes alargadas:

  • SN/ST = 10 a 38°C; 
  • SN/T = 10 a 43°C. 

Em condições normais, no inverno, a temperatura varia entre 16 e 21°C em casa. Caves ou garagens podem atingir temperaturas de 10°C. Decida com base no sítio e na utilização do frigorífico. 

O que acontece à temperatura do congelador a uma temperatura ambiente de 10ºC?

Em laboratório, verificámos que frigoríficos da classe climática ST e N, preparados para funcionar entre, respetivamente, 18ºC a 38ºC e 16ºC a 32ºC, não trabalham de forma correta com uma temperatura exterior de 10ºC, nem garantem a congelação (-18ºC). A maioria dos modelos de classe SN (10 a 32ºC) atinge os recomendáveis -18ºC e mantém essa temperatura (pelo menos). Nos ST e nos N, a temperatura sobe para os -12ºC e -14ºC, respetivamente.
Uma forma clara de apresentar a classe climática seria adicioná-la à etiqueta energética, explicando o intervalo de temperaturas exteriores para as quais o aparelho foi concebido.
À esquerda, a etiqueta com a classe climática encontra-se dentro do aparelho, mais visível. Já a da direita encontra-se escondida na parte de trás do frigorífico. Mas ambas pouco explicam.
Após ser confrontada com o nosso estudo, a Direção-Geral de Energia e Geologia acolheu de forma positiva as nossas sugestões, considerando-as um contributo útil para a revisão do regulamento relativo à rotulagem energética dos aparelhos de refrigeração para uso doméstico, bem como da própria Diretiva de Etiqueta Energética. Inserir a classe climática na etiqueta energética ou reforçar a formação profissional são possibilidades que aquela direção irá considerar.