Notícias

Covid-19: é perigoso ligar o ar condicionado?

Prefira sempre a renovação natural do ar, abrindo as janelas. Mas, em dias de maior calor, pode usar o seu aparelho de ar condicionado, desde que tenha alguns cuidados.

  • Dossiê técnico
  • Isabel Oliveira
  • Texto
  • Ricardo Nabais e Filipa Rendo
22 julho 2020
  • Dossiê técnico
  • Isabel Oliveira
  • Texto
  • Ricardo Nabais e Filipa Rendo
ar condicionado covid-19

iStock

Com o desconfinamento, o perigo do contágio pelo novo coronavírus não desapareceu. A Direção-Geral de Saúde (DGS) emitiu um documento com as normas da abertura à vida nos espaços públicos. Mas ficaram algumas dúvidas em relação ao que se vai passar em espaços fechados. Por exemplo, em casa, é seguro ligar o ar condicionado? Segundo a norma mais recente emitida pela DGS, o risco de utilização destes aparelhos é "muito baixo" se tivermos em atenção dois importantes detalhes: é necessário que "se cumpram as regras para uma utilização segura, nomeadamente a sua manutenção, de acordo com as indicações do fabricante, e a renovação do ar dos espaços fechados". Antes desta advertência, a DGS aconselhava "o direcionamento do ar para cima, de forma a não incidir diretamente sobre os ocupantes do espaço", e já alertava para fazermos uma "renovação frequente do ar, de forma a assegurar, sempre que possível, uma boa ventilação dos espaços".

Por isso, não precisa de sentir muito calor nos dias mais agressivos do verão. Os aparelhos de ar condicionado podem continuar a ser usados, mas é preciso ter em conta as diferenças na tecnologia para saber quais os cuidados a ter.

Renovar o ar é o mais importante

Existem instalações de ar condicionado e de tratamento de ar que são centralizadas e onde o ar circula por condutas. Este tipo de instalação é mais comum em edifícios de serviços e de comércio. Nestes casos, o ar é captado do exterior, depois é arrefecido e, a partir daí, circula no edifício. Em edifícios maiores, pode acontecer que parte do ar interior seja recirculado entre os espaços, como forma de poupança de energia. Os sistemas estão tipicamente preparados para fazer face a esta situação. Outra recomendação prende-se com o aumento dos caudais e períodos temporais de ventilação, para que haja uma maior renovação do ar dentro dos espaços. 

A generalidade dos sistemas domésticos é diferente: normalmente é constituída por aparelhos split e multisplit, de uso individual para cada habitação. Nestes casos, não existe captação de ar do exterior para dentro de casa e também não existe a recirculação de ar entre espaços, para além do que ocorre pela ventilação natural e pelas janelas e portas abertas. O aparelho que está na sala de estar arrefece o ar que já estava na sala de estar. Não existe um risco acrescido de contaminação a partir do exterior pelo uso do aparelho de ar condicionado. Mas, por si só, este tipo de aparelho não garante a necessária renovação do ar. É por isso que se recomenda a abertura frequente de janelas e portas. Neste caso, é preferível abrir as janelas mais vezes durante o dia (a DGS menciona seis) e por períodos de tempo de cinco a dez minutos. Assim, pode ligar o seu aparelho de ar condicionado, e continuar a garantir o conforto da habitação. 

De qualquer modo, e mesmo antes da pandemia e do estado de quarentena e distanciamento social a que obrigou, a nossa recomendação é sempre a mesma: prefira ventilar a sua casa de forma natural, abrindo as janelas frequentemente e, nos dias mais quentes, fazê-lo às horas de menor calor (de manhã e ao fim da tarde), para que o ar se renove regularmente. Existem também vários truques para minimizar a necessidade de recorrer ao ar condicionado como forma de arrefecer o ar (veja as nossas recomendações). E não se esqueça: não é necessário regular a temperatura do aparelho para 19ºC para sentir o ambiente fresco. Regulando para 25ºC o aparelho irá responder adequadamente para garantir o conforto, e com muito menos consumo de energia. Compare os vários modelos de ar condicionado no nosso teste.

Ver teste a ar condicionado

 

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

Num Mundo complexo e com informação por vezes contraditória, a DECO PROTESTE é o sítio certo para refletir e agir.

  • A nossa missão exige independência face aos poderes políticos e económicos. 
  • Testamos e analisamos uma grande variedade de produtos para garantir que a escolha dos consumidores se baseia em informação rigorosa. 
  • Tornamos o dia-a-dia dos consumidores mais fácil e seguro. Desde uma simples viagem de elevador ou um desconto que usamos todos os dias até decisões tão importantes como a compra de casa.
  • Lutamos por práticas de mercado mais justas. Muitas vezes, o País muda com o trabalho que fazemos junto das autoridades e das empresas. 
  • Queremos consumidores mais informados, participativos e exigentes, através da informação que publicamos ou de um contacto personalizado com o nosso serviço de apoio.

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Faça parte desta comunidade.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.