Notícias

Ofertas de emprego falsas: 10 sinais de alerta

Na procura de emprego, não corra o risco de ser vítima de um esquema fraudulento. Conheça os sinais que o devem deixar alerta para falsas ofertas de emprego.

05 maio 2022
À espera da entrevista de emprego

iStock

Ofertas de emprego duvidosas proliferam nas redes sociais, em e-mails de remetentes desconhecidos, em jornais e até em sites de procura de emprego, aparentemente fidedignos. Em alturas de instabilidade económica e social, a atenção deve ser redobrada, já que há maior tendência para o surgimento de esquemas fraudulentos que se escondem atrás de anúncios de emprego.

Condições demasiado boas para serem verdade, promessas de contratação garantida e textos redigidos num português incorreto são alguns dos sinais que devem fazer soar os alarmes de quem está à procura de trabalho. Mas há outros. Saiba como identificá-los e que cuidados deve ter na busca de emprego. 

10 sinais que ajudam a identificar ofertas de emprego falsas

  1. Urgência. "Temos poucas vagas. Candidate-se já!". Reptos como este servem para levar as vítimas a responderem ao anúncio rapidamente, sem se questionarem sobre a veracidade da oferta. Numa situação normal, as empresas dão um tempo razoável para a apresentação de candidaturas.
  2. Benefícios demasiado atrativos. Quando as condições oferecidas parecem demasiado boas para a função e os requisitos em causa, desconfie.
  3. "Trabalhe a partir de casa". Embora o teletrabalho seja hoje a realidade de muitos empregos, há muito que o “trabalho a partir de casa” é usado como isco em anúncios falsos.
  4. Promessa de contratação garantida. Que empresa contrataria alguém sem procurar saber um pouco mais sobre essa pessoa? Não acredite neste tipo de promessas.
  5. Exigência de pagamento. Processos de recrutamento que exijam pagamentos, seja para formação, seja para um qualquer exame de admissão, devem ser ignorados.
  6. Omissão de informações. No mínimo, o anúncio tem de incluir a descrição da função, os requisitos solicitados, a área geográfica do posto de trabalho e os contactos para envio de candidaturas. Se estas informações não estiverem descritas no anúncio, é preferível não responder.
  7. Requisitos demasiado abrangentes. "Não precisa de ter experiência prévia ou qualquer formação específica". Ofertas de emprego deste género, cujos requisitos podem ser preenchidos por qualquer pessoa, devem ser motivo de alerta.
  8. Erros ortográficos ou redação incorreta. De um modo geral, quem pretende recrutar colaboradores preocupa-se com o rigor da escrita, por isso, tenha atenção a anúncios mal redigidos e que apresentem erros ortográficos.
  9. Exigência de informações confidenciais. Independentemente da etapa do processo de recrutamento, não é aceitável que informações confidenciais, como o número da conta bancária, sejam solicitadas.
  10. Registo através de links. Não clique em links de e-mails ou SMS, a menos que conheça a origem, pois é provável que se trate de um esquema de phishing

Cuidados a ter na procura de emprego

  • Na internet, evite procurar emprego nas redes sociais, limitando a busca a sites reconhecidos ou às próprias entidades empregadoras.
  • Nunca clique em links de anúncios enviados por e-mail ou SMS.
  • O site da entidade em causa (seja uma empresa de recrutamento ou o próprio empregador) deve começar por https://, o que indica que se trata de uma página web segura.
  • Tenha cuidado com os apartados e com empresas sobre as quais não existe informação disponível, como, por exemplo, a morada ou o contacto telefónico.
  • Caso seja convocado para uma entrevista, visite a página web da empresa (mesmo que se trate de uma empresa de recrutamento), para se inteirar do seu historial e verificar se a morada corresponde à localização que lhe indicaram.
  • Tente obter opiniões junto de algum colaborador da empresa ou de alguém que possa dar mais informações sobre a organização.
  • Durante todo o processo de recrutamento, não se acanhe: faça todas as perguntas que considere necessárias: sobre a função, a empresa, as condições oferecidas, etc.
  • Não assine qualquer documento antes de uma leitura atenta, que esclareça todas as cláusulas. Se tiver dúvidas, pergunte.

O que fazer se for vítima de uma oferta de emprego falsa?

Se for vítima de uma oferta de emprego fraudulenta deve apresentar queixa às autoridades. Pode fazê-lo através do Sistema de Queixa Eletrónica, que facilita a apresentação de queixas e denúncias às autoridades, ou contactar diretamente a GNR, a PSP ou o Ministério Público.

Apesar de o crime de “burla relativa a trabalho ou emprego” estar previsto na lei e ser punível com pena de prisão até cinco anos, ou com multa até 600 dias, aplica-se somente a ofertas falsas de trabalho no estrangeiro ou em Portugal, mas apenas se o prejuízo for causado a residentes no estrangeiro. Assim, as restantes situações, na sua maioria, configuram o crime de burla (punível com prisão até três anos ou multa). Em casos extremos, estaremos perante uma burla qualificada, crime com a mesma moldura penal da burla relativa a trabalho ou emprego.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.