última atualização: 27/09/2021

Empresa instaladora dos painéis não fez o registo da UPAC

Boa tarde

Instalei 6 painéis solares para produção em autoconsumo (250 cada um) há cerca de dois anos + bomba de calor de 300l. Tentei fazer o registo na DGEG, Mera Comunicação Prévia (MCP) e não me foi possível pois a empresa instaladora não fornece os dados necessários para o mesmo e, como apenas pode ser feito pela entidade instaladora ou técnico de instalações elétricas fiquei num impasse.

Entretanto, como o contador era analógico, a EDP, "apercebendo-se" que o consumo estava a ser "retirado" (a roda do contador andava para trás), foi trocar o contador alegando que o novo era "inteligente". Mas, não faço ideia se é bidirecional! Acontece que, continuo a dar as leituras de 2/2 meses.

Contudo o meu principal problema é que acho que a energia injetada, está a ser considerada como consumo... e também não sei como contornar a questão do registo na DGEG.

Nota: acrescento que o consumo é tanto diurno como noturno. Cinco pessoas na habitação (3 sempre de dia e mais duas à noite) com uso diário de máquina de lavar louça no final do almoço e de lavar roupa também diurno + 2 frigoríficos + arca horizontal + AC (sos) + 2 televisores + placa indução , forno elétrico e microondas, computador, ferro de engomar (sos)...

Cumprimentos 

Lisete

196 Visualizações 3 Comentários 0 Gostar
Faça login para aceder a este conteúdo. 
User name

Junte-se a esta conversa

Participe nesta conversa, deixando o seu comentário ou questão em Produzir eletricidade da comunidade Energias Renováveis

3 Comentários

Filtrar por :
Faça login para aceder a este conteúdo. 
22/09/2021

Boa tarde
Obrigada pela breve resposta, porém, penso que não me expliquei bem relativamente à "energia injetada", de facto, não pretendo injetar energia na rede mas sim impedir que isso aconteça devido ao tipo de contador... O meu objectivo é gradualmente produzir energia que cubra em parte o consumo realizado, de forma a diminuir a fatura mensal!
Sendo necessário efetuar na mesma a MCP, seria possível aceder a uma lista de empresas/técnicos credenciados que estejam dispostos a regularizar a situação, na região dos concelhos limítrofes do Porto?
Atentamente
Lisete

Faça login para aceder a este conteúdo. 
27/09/2021
, Respondeu:

Bom dia Srª Lisete,

Para fazer a “injeção zero” o ideal é adquirir o equipamento de monitorização da mesma marca dos microinversores ou do inversor central que tenha adquirido. Se desejar envie-nos a marca e modelo para lhe podermos dar uma ajuda.

Este equipamento deve medir o consumo e a produção e ser colocado no quadro elétrico principal, tendo de estar ligado à internet (por wirless ou por cabo).

Relativamente às empresas / técnicos, sugiro que contacte a Associação de Empresas do Fotovoltaico (https://www.apesf.pt) e peça o contacto de um associado que trabalhe na sua zona de residência.

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
20/09/2021

Bom dia Srª Lisete,

Aconselhamos a que contacte uma outra empresa instaladora ou técnico responsável de instalações elétricas e peça orçamento para poder fazer a MCP da sua UPAC. Relativamente aos dados para o registo, é necessário a potência dos painéis (que já tem), tipo e potência dos microinversores ou inversor central, assim como os números de série, esquema unifilar da instalação.

Após esse registo e dando a indicação que pretende injetar energia na rede elétrica, é lhe atribuído um CPE de produção.

Relativamente ao contador, o mesmo é bidirecional e se atualmente não está a comunicar as leituras tem de solicitar uma visita técnica da E-redes para verificarem o que se está a passar.

Pode aproveitar e solicitar a ativação da porta HAN do seu contador inteligente, para que desta forma possa ligar um equipamento de medição e conseguir visualizar os seus consumos elétricos e a energia que está a injetar na rede. Para proceder a essa ativação consulte: https://www.e-redes.pt/pt-pt/redes-do-futuro-redes-inteligentes/servicos-redes-inteligentes/acesso-porta-serie-de-comunicacao.

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

eu disclaimer

O projeto que deu origem a esta comunidade recebeu financiamento através do programa de investigação e desenvolvimento “Horizon 2020”, sob o contrato de subvenção nº749402. Nem a EASME nem a Comissão Europeia são responsáveis pela informação veiculada nem pela utilização das informações contidas na mesma.