última atualização: 01/03/2021

Bomba de calor apoiada por painel fotovoltaico ou solar térmico?

Tenho uma habitação que vou remodelar e ampliar que ficará com cerca de 150 m2. Em principio ficará bem isolada nas paredes por capoto no exterior e lã de rocha nas partes internas das paredes e tetos. A cozinha  tem placa para cozinhar elétrica e somos 4 pessoas em causa (2 adultos e 2 crianças). Pretendo instalar bomba de calor para aquecimento central com radiadores  e aquecimento de águas sanitárias, mas estou indeciso em instalar painéis solares para as águas sanitárias ou fotovoltaicos para apoio da bomba e restantes equipamentos. O meu consumo mensal atual de eletricidade ronda os 75 €.

Será que me podem indicar qual das soluções será as mais correta em termos energéticos, ou melhor, qual das situações me ficará mais económica no futuro? 

Obrigado.

Hélder Agante.

19436 Visualizações 31 Comentários 5 Gostar
Faça login para aceder a este conteúdo. 
User name

Junte-se a esta conversa

Participe nesta conversa, deixando o seu comentário ou questão em Aquecer o ar e climatizar da comunidade Energias Renováveis

31 Comentários

Filtrar por :
Faça login para aceder a este conteúdo. 
22/02/2021

Bom dia
Futuramente irei adquirir uma moradia T3 com cerca de 150 m2 nova construção em L e "bom isolamento" térmico (capoto tijolo térmico lã de rocha pladur) ...
Quanto ao aquecimento irei colocar caldeira a pellets com radiadores para todas as divisões e na cozinha é tudo elétrico, a minha dúvida é se coloco painéis solares ou bomba de calor para aquecimento de águas sanitárias ?
Tendo em conta que é na zona norte e no inverno chega -5, também pretendo colocar ligação em simultâneo da caldeira de pellets para ajudar a aquecer as águas sanitárias se possível ...

Faça login para aceder a este conteúdo. 
01/03/2021
, Respondeu:

Boa tarde,
Tendo em conta que irá aplicar uma caldeira a pellets, sugiro a colocação de um sistema solar térmico que funcione por circulação forçada. Na zona técnica pode ser colocado o depósito vertical que deve ter duas serpentinas, uma para os coletores solares e outra para o aquecimento complementar feito pela caldeira a Pellets. No verão quando a caldeira não estiver a funcionar, pode utilizar uma resistência elétrica como apoio, que deve ser colocada a meio do depósito e acionada por relógio programador.
Cumprimentos,
Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
16/02/2021

Coloquei um Bomba de calor bosch compress 6000 com deposito de inercia de 370Lt. A fatura da luz disparou significativamente, em 2 meses o consumo passou para 1316kwh em Vazio e 1708Kwh fora de vazio (total dos 2 meses Nov. e Dezembro) ou seja uma fatura com impostos de 580€ quando pagava em média pelos mesmos 2 meses 180€.
Revela-se urgente arranjar uma solução que reduza os consumos, opção paineis solares fotovaltaicos, recomendarm-me 12 paineis de 320w cada, com custo estimado de 3300€ ou paineis solares para circulação forçada (não tenho orçamento ainda).
Qual das 2 opção devo considerar numa 1º fase?
Agradeço vossa opinião
Jorge

Faça login para aceder a este conteúdo. 
23/02/2021
, Respondeu:

Bom dia Sr. Jorge Santos,
Em primeiro lugar sugiro que entre em contacto com o instalador e/ou marca para verificar se os consumos elétricos que está a ter são normais, tendo em conta a temperatura de climatização pretendida e o numero de horas de funcionamento da bomba de calor (BC). Poderão ser feitos ajustes para que assim consiga reduzir a fatura de energia ao final de cada mês.
No caso de ter um sistema de recirculação das águas quentes sanitárias, verifique se a bomba está sempre a funcionar ou se pode ser acionada por relógio e se possível por temperatura. Se o funcionamento da mesma for continuo, estará sempre a retirar temperatura do depósito e fazer com que a BC atue para repor a temperatura desejada das AQS.
Aconselho a utilização dos coletores solares térmicos (funcionamento por circulação forçada) para o aquecimento das AQS, mas não para o aquecimento central, a menos que tenha uma piscina e o excesso de energia produzido no Verão possa ser direcionado para o aquecimento da mesma. Opte no máximo por 2 coletores e se possível tente que sejam da mesma marca.
Quanto à produção de energia, sugiro que antes de tomar alguma decisão, faça uma medição dos consumos elétricos através de um equipamento colocado no seu quadro elétrico principal durante um período de 3 a 5 dias. Dessa forma irá perceber a variação ao longo dia e assim ajustar a curva de produção dos painéis fotovoltaicos à curva dos seus consumos elétricos. Esse estudo pode ser feito pela empresa que lhe está a propor os painéis FV.
A solução que lhe estão a propor é com microinversores ou com um inversor central? Irá ter uma medição de consumos elétricos permanente?
Pode optar pela colocação de um inversor hibrido (permite upgrade para baterias) colocado na zona técnica e interligado com o quadro elétrico parcial É importante que exista um ponto de internet junto do inversor e uma tubagem desde o inversor ao quadro elétrico principal (QP) para a colocação de cabo de comunicação. Também deve ser garantido no QP um espaço para o equipamento de medição de consumos (4 módulos), mas em algumas marcas utilizam uma pinça colocada no cabo de alimentação do QP.
Alguma adicional disponha.
Cumprimentos,
Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
07/02/2021

Boa tarde
Estamos a remodelar uma moradia de 160 m2 numa aldeia perto do Bombarral e gostariamos de saber qual a solução mais eficiente e com uma melhor relação preço-qualidade para aquecimento da casa e de águas quentes para uma família de 5 pessoas (2 adultos e 3 crianças).

Vamos investir também numa salamandra a palettes, no isolamento térmico das paredes exteriores com cortiça projectada e do chão com aluminio, cortiça e piso vinilico.
As janelas são em PVC com vidro duplo.

Dado tratar-se de uma zona com clima húmido, estimamos que vamos precisar de manter a casa quente durante os meses de inverno.

Estamos a pensar comprar uma bomba de calor de 300 LTs. mas gostariamos de perceber que outras medidas e equipamentos devemos considerar para que a casa seja confortável e termicamente eficiente ?

Muito obrigada.

Faça login para aceder a este conteúdo. 
09/02/2021
, Respondeu:

Bom dia Sr.ª Filipa Carvalho,

Tendo em consideração que a climatização irá passar pela aquisição de uma salamandra a pellets, aconselho a leitura do artigo: https://www.deco.proteste.pt/casa-energia/aquecimento/guia-de-compras/salamandras-a-pellets-guias-de-compras.

Se for possível escolha um modelo que possibilite a interligação de tubagem para as outras divisões, para que assim o aquecimento seja feito de forma mais homogénea.

A opção da bomba de calor para as AQS é boa, mas no caso de ter condições para a aplicação de coletores solares térmicos escolha um depósito que possibilite essa interligação, ou seja que tenha uma serpentina no seu interior. Este sistema solar irá funcionar por circulação forçada.

Aconselho também a colocação de painéis fotovoltaicos, podendo optar pela colocação de um inversor hibrido (permite upgrade posterior para baterias) colocado numa zona técnica e interligado com o quadro principal. É importante que  exista um ponto de internet junto do inversor e uma tubagem desde o inversor ao quadro elétrico principal (QP) para a colocação de cabo de comunicação. Também deve ser garantido no QP um espaço para o equipamento de medição de consumos (4 módulos) e disjuntor de proteção (2 a 4 módulos no caso do sistema ser trifásico).

Por ultimo e se possível deixar um ponto de eletricidade no exterior para a colocação de um posto de carregamento de viatura elétrica. No caso de ter corrente trifásica na moradia, no QP garantir o espaço de 8 módulos (interruptor diferencial e disjuntor).

Caso seja possível partilhe com a nossa comunidade as suas opções e no caso de necessitar de mais ajuda da nossa parte disponha.

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
15/02/2021
, Respondeu:

Bom dia Pedro,

Antes de mais muito obrigada pela sua resposta detalhada.
Deram-nos a opção de fazer AQS e climatização tudo por bomba de calor mas o orçamento só para uma bomba de calor de 500 lts (que nos disseram ser a mais adequada às nossas necessidades - somos 5 pessoas) é de 11.000€.
Achamos excessivo. Estão este valores dentro do que é suposto (marca Daikin)?

O que acha desta solução versus a outra da salamandra em termos de eficiência e custos?

Muito obrigada mais uma vez.
Melhores cumprimentos

Faça login para aceder a este conteúdo. 
27/01/2021

Boa noite.
Venho solicitar a vossa ajuda relativamente à seguinte questão.

Estou em inicio de construção de uma moradia com cerca de 200m2.
Todos os equipamentos de cozinha vão ser elétricos com classe energética A++ ou superior.
Somos 4 pessoas em casa (2 adultos e 2 crianças).´
Tenho prevista a instalação de Bomba de Calor da DAIKIN (mod. Altherma 3 H HT ECH2O reversível com depósito interno de 300L) para AQS e alimentação do piso radiante hidráulico.
Está prevista também a instalação de painéis fotovoltaicos com potência total de 3kW.

A questão que coloco é se o sistema apresentado é eficiente ou se a inclusão de sistema solar térmico seria de equacionar?

Grato pela vossa atenção.

Nuno Clara

Faça login para aceder a este conteúdo. 
03/02/2021
, Respondeu:

Bom dia,
O sistema apresentado é bastante eficiente, mas aconselho a inclusão de dois coletores solares térmicos, ou se não desejar fazer o investimento nesta fase, tenha em atenção o seguinte:
1) Fazer a pré-instalação das tubagens de interligação entre coletores e depósito (circuito primário). Tenha em atenção que este tipo de sistema solar funciona por “Drain Back”, ou seja quando o depósito tem a temperatura desejada o liquido dos painéis é recolhido para o seu interior e por isso tem de existir uma pendente nas tubagens para que essa recolha de água seja feita corretamente.

2) Reserve um local no telhado para a colocação dos mesmos e se possível coloque já as fixações da estrutura;

3) Adquira também um depósito que permita a interligação com os coletores;

4) Prepare a zona técnica para receber posteriormente os equipamentos necessários para a interligação entre as tubagens e depósito (ex: Bomba de recirculação, vaso de expansão, etc.).

Relativamente à climatização já ponderou a pré-instalação de ventiloconvectores? Isto porque se a casa for quente no verão, consegue um arrefecimento maior.
Para a produção de energia, aconselho a compra de um inversor hibrido (permite upgrade posterior para baterias) colocado na zona técnica e interligado com o quadro principal. É importante que na altura da construção seja preparado o telhado para posteriormente receber a estrutura metálica de suporte dos painéis fotovoltaicos, assim como a existência de um ponto de internet junto do inversor e uma tubagem desde o inversor ao quadro elétrico principal (QP) para a colocação de cabo de comunicação. Também deve ser garantido no QP um espaço para o equipamento de medição de consumos (4 módulos) e disjuntor de proteção (2 a 4 módulos no caso do sistema ser trifásico).
Por ultimo e se possível deixar um ponto de eletricidade na garagem (direto QP) para a colocação de um posto de carregamento de viatura elétrica. No caso de ter corrente trifásica na moradia, no QP garantir o espaço de 8 módulos (interruptor diferencial e disjuntor).
Alguma dúvida adicional disponha.
Cumprimentos,
Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
26/11/2020

Neste momento tenho para AQS um termoacumulador de 75litros e 1500w de potência que é responsável por grande parte da minha conta de eletricidade. Por este motivo quero substituir este aparelho por uma bomba de calor.
No entanto tenho consultado também orçamentos para aplicação de painéis fotovoltaicos cá em casa e estou com muitas duvidas quanto à melhor solução para mim. Painéis fotovoltaicos (3×345w - proposta da Ei - GALP) + bomba de calor para AQS ou, Só bomba de calor apoiada por solar térmico?
Condições cá em casa:
- A minha energia é trifásica e por isso obriga à colocação minima de 3paineis (1 por fase). Se não gastar energia de uma das fases durante o dia, esse painel só produz energia para a rede, certo?
- Durante o dia (luz solar), em condições normais, só estamos em casa ao fim de semana, ou seja, a eletricidade que gastamos é para a arca, frigorifico, routers e leds dos aparelhos. 1 painel de 345W seria suficiente para alimentar isto, penso eu.
- Consumo anual de energia ronda os 5000Kw;
- Tarifa de eletricidade Bi-horaria semanal (0,08€ no vazio; 0,165€ cheio);
- 80% do consumo com maquinas de lavar e secar é feito no vazio;
- agregado familiar 2 adultos + 2 crianças;

Mediante estas condições, qual seria o vosso conselho?

Obrigado pela vossa atenção,
Filipe Rodrigues

Faça login para aceder a este conteúdo. 
30/11/2020
, Respondeu:

Bom dia Sr. Filipe Rodrigues,

Relativamente à sua primeira questão, pode ter duas opções:

Opção A – Sistema solar térmico em termossifão interligado ao termoacumulador existente, ou seja a água proveniente do equipamento solar entra no circuito de água fria do termoacumulador e o mesmo aquece aquilo que for necessário. Este tipo de solução permite uma redução em cerca de 75% do consumo atual de eletricidade e caso a construção da casa seja anterior a 2006, pode concorrer ao apoio do fundo ambiental que apoia 70% do valor total do investimento, com um máximo de 2500€.

No caso do consumo de AQS ser elevado, então opte por um equipamento de 300L com 2 coletores solares térmicos.

Opção B – Bomba de calor para AQS, mas com o apoio de coletores solares térmicos. Se optar por esta situação terá de ter um local para a colocação do depósito (vertical) que no mínimo deve ser de 300L. Neste caso o sistema solar passa a ser de circulação forçada e pode fazer este investimento numa fase seguinte, mas o depósito tem de ficar preparado para isso, ou seja ter uma serpentina adicional.

A utilização dos painéis fotovoltaicos deve ser pensada para todo o consumo elétrico da casa e não especificamente para a bomba de calor. A utilização de coletores solares térmicos permite que a temperatura do depósito atinja um valor mais elevado, conseguindo assim uma redução no consumo de eletricidade e uma maior quantidade de AQS disponível.

Tendo em conta a descrição que faz sobre os equipamentos existentes, parece-me que não tem nenhum a trabalhar em trifásico pelo que deveria avaliar a possibilidade de alterar o trifásico para monofásico, por exemplo passando a ter um contrato de 10.35KVA (45Amperes) ou eventualmente de 6.9KVA (30Amperes).

Esta avaliação pode ser feita por um técnico certificado de instalações elétricas e posteriormente pelo distribuidor de energia elétrica.

Tem a vantagem de ficar apenas com uma fase (ideal para o sistema fotovoltaico) e em muitos casos permitir uma redução da potência contratada.

No caso de conseguir esta alteração e como irá trocar alguns dispositivos do quadro (interruptor diferencial e disjuntores), fica com espaço para colocar as proteções para a interligação do sistema de produção de energia (UPAC) e também para a colocação de um medidor de consumos elétricos (ou um transformador de intensidade) que irá permitir o funcionamento de um inversor hibrido, equipamento que permite trabalhar com baterias de acumulação.

Relativamente à proposta que lhe foi dada, utiliza microinversores monofásicos e sendo assim ficariam todos colocados na mesma fase. De referir também que para beneficiarem de uma garantia adicional, terá de ser colocado o sistema de monitorização da mesma marca, pode medir em simultâneo consumo elétrico e produção. Verifique esta situação com a empresa que lhe apresentou a proposta.

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
03/12/2020
, Respondeu:

Caro Pedro,

Antes de mais agradeço imenso a sua resposta.

Relativamente à questão do trifásico, prende-se com o facto de ter bombas de poço e de furo que necessitam deste tipo de ligação. Ou seja, para mudar para monofásico teria de substituir as mesmas. Neste sentido, penso que terei de manter o trifásico.
Do seu comentário pressuponho que caso tenha de manter o trifásico, também não posso reduzir a potência contratada para 6,9KVA, certo? É que a eliminação do termoacumulador também tinha como objetivo reduzir a potência contratada, para assim poder usufruir da tarifa social na eletricidade.

Relativamente ao sistema a utilizar, o que deduzo das suas palavras é que a melhor solução para nós atualmente é a aquisição de um sistema de AQS através de painéis solares térmicos (termossifão) onde teria uma redução de consumo bastante significativa.

Hoje comprei um medidor de consumos e verifiquei que o termoacumulador me consumiu 5,1Kw para aquecer água para o banho e repor a água quente após o consumo, ou seja, estamos a falar de cerca de 2,5Kw (0,5€) por banho caso esteja a ligar e desligar o termoacumulador conforme os banhos. Se considerar 2 banhos por dia estamos a falar de 365€ por ano só para AQS.

Penso que se torna urgente esta alteração, por isso não queria falhar na escolha da melhor solução.

Obrigado mais uma vez pela vossa atenção.

Atentamente,
Filipe Rodrigues

Faça login para aceder a este conteúdo. 
12/12/2020
, Respondeu:

Bom dia Sr. Filipe Rodrigues,
Não é necessário agradecer, pois é nossa função poder esclarecer as dúvidas colocadas, por forma que os consumidores possam fazer as escolhas mais acertadas.
Visto que é necessário manter o trifásico, não me parece viável a redução para a potência de 6,9KVA pois desta forma teria apenas 10Amperes por fase que me parece ser pouco para uma utilização normal. De qualquer das formas poderá solicitar a redução e no caso de verificar que não é suficiente, então volta a pedir o seu aumento. Se já possuir um contador inteligente então essa alteração é feita remotamente.
Para aplicação do sistema solar térmico, em termossifão, deverá ter em atenção os seguintes pontos:
1) Local da sua implementação. Deve ser num telhado orientado a Sul e se possível deve ser aplicada uma estrutura metálica por baixo para que assim o depósito não fique colocado diretamente em cima das telhas;
2) Interligação com a rede de tubagem (água quente e fria). De preferência deve ser ligado diretamente ao local que tiver maior consumo, por exemplo uma casa de banho, ou se já existir um ponto de ligação no sótão deve ligar a esse local;
3) Existência de um quadro elétrico especifico para atuação da resistência elétrica de apoio, que deve incluir um interruptor diferencial 30mA, disjuntor de 16Amperes e um relógio programador para que assim não horas de sol a resistência não esteja a funcionar.
4) Colocação de uma válvula misturadora termostática à saída do equipamento, evitando assim que a água entre no circuito acima dos 60ºC.
Sugiro que contacte duas ou três empresas da sua zona e peça um orçamento.
Alguma dúvida adicional, disponha
Cumprimentos,
Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
19/11/2020

bom dia,
estou presentemente a estudar a colocação de paineis fotovoltaicos para autoconsumo assim como a instalação de um painel solar para aquecimento de aguas (objetivo diminuir fatura de eletricidade e eliminar consumo de gas butano).

apresentaram-me uma solução 2 em 1 composta por paineis fotovoltaicos e bomba de calor (numero de paineis fotovoltaicos dimensionados ja para o consumo da bomba de calor)

a solução 2 em 1 é mais vantajosa que a solução de auto consumo + solar termico?

não existe problema de espaço para a colocação dos paineis seja em que solução for.

Faça login para aceder a este conteúdo. 
23/11/2020
, Respondeu:

Bom dia Sr.ª Cristiana Silva,
Caso seja possível peço que nos indique qual o seu agregado familiar e que tipo de proposta lhe foi apresentada (qual o tipo de bomba de calor, volume do deposito, quantidade de painéis fotovoltaicos e inversor), para que assim a possamos ajudar de uma melhor forma.
De qualquer das maneiras e no caso de ter condições para a sua aplicação, um equipamento de energia solar térmica representa um menor consumo de energia ao longo do ano, pelo que esta deveria ser a sua primeira opção. No caso de existir um circuito de recirculação de águas quentes sanitárias (AQS), então deve optar por um sistema de circulação forçada com o depósito colocado no interior.
Relativamente à unidade de produção de energia (UPAC) deve saber qual a sua potência contratada, consumo diário em KWh e a partir destes elementos pedir dois ou três orçamentos para avaliação das soluções que lhe apresentam. Poderemos em seguida ajudar na sua decisão.
Cumprimentos,
Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
13/06/2020

Bom dia Hélder Agante,

Se optar pela produção de AQS com bomba de calor, O sistema mais vantajoso é a instalação de 2 Painéis Solares 330Wp, ou seja uma potencia instalada de 660Wp. Com este sistema consegue produzir cerca de 1000kWh/Ano, que considerando um COP de 3,6 consegue gerar a energia necessária para AQS cerca de 3600kWh/Ano.
Se entretanto não optar por uma bomba de calor e optar por um acumulador eletrifico, nesse caso, será necessário instalar 7 painéis de 350Wp ou seja uma potencia instalada de 2450Wp. Com esta potencia consegue igualmente produzir 3600kWh/Ano, que é a energia necessária para AQS.

Qualquer uma das opções anteriores é mais económica do que uma solução equivalente de produção de AQS com solar térmico e acumulador. Neste caso a solução energicamente equivalente é composta por:

2 Coletores Solares solar Térmicos (2,5m2) total 5m2 com termo acumulador de 300Lt.

Alem do custo ser mais elevado tem ainda comparativamente com o fotovoltaico as seguintes desvantagens:
a) Custos de manutenção Preventiva mais elevado (praticamente inexistente nos fotovoltaicos)
b) Menor Tempo de vida útil dos equipamento térmicos
c) Maior probabilidade de avarias

A única desvantagem do sistema fotovoltaico, é o facto de necessitarem de mais área de cobertura para a mesma energia. Portanto, desde que não haja problemas de área, não teria duvidas em optar pelo sistema fotovoltaico.
Espero ter ajudado!
José Alves

Faça login para aceder a este conteúdo. 
18/04/2020

Boa Noite,
Estou a construir uma moradia e estou indeciso sobre qual a melhor forma de aquecer/climatizar a casa.
As bombas de calor são eficazes no arrefecimento da casa? e qual o consumo das mesmas comparativamente ao aquecimento central a lenha ou ar condicionado.
Obrigado

Faça login para aceder a este conteúdo. 
19/04/2020
, Respondeu:

a moradia é terrea, em forma L com 180m2 para "climatizar" e um agregado familiar de 4 pessoas.
Obrigado

Faça login para aceder a este conteúdo. 
20/04/2020
, Respondeu:

Olá Marco,

Se está a construir uma moradia de raiz, depreendemos que exista um projeto. Certo? Ao fazer um projeto para a obra de renovação, com uma equipa de Projetistas (Arquitetos, Engenheiros Civis e Mecânicos...), terá acesso ao “Projeto de Térmica” e que contemplará a vertente do desempenho energético do edifício, em concordância com os regulamentos atuais e para a zona e clima onde o edifício se encontra.

Neste projeto, as vertentes de isolamento da evolvente opaca (paredes, coberturas, placas entre pisos, sótãos...) é dimensionado e planificado. O mesmo para os vãos envidraçados (janelas), para os sistemas de climatização e produção de água quente sanitária (AQS).

Erradamente, em Portugal há este mau costume em não se investir em bons projetos em obras (de renovação) e deixa-se a obra seguir ao sabor (e conhecimento) do mestre-de-obras ou mesmo do proprietário... O investimento num bom projeto é pago em muito pouco tempo – pois o edificado no final poderá ser muito mais eficiente de um ponto de vista térmico (energético).

Por isso, pensamos que estas questões devem ser sempre, em primeiro lugar, discutidas em conjunto com a equipa de projetistas de modo a que estes possam ajustar as soluções técnicas ás reais necessidades, ao orçamento disponível e às preferências do dono da obra.

Respondendo à sua questão, sim. As bombas de calor são eficazes a arrefecer uma habitação (e a aquecer também). Neste tipo de aplicação (arrefecimento), terá de optar pela utilização de ventiloconvectores ou de piso/paredes radiantes - atenção que bombas de calor de baixa temperatura e radiadores convencionais, por mais elementos que coloquem, não resultam.

Os primeiros permitem uma mais rápida climatização do espaço – são aparelhos parecidos com unidades de ar condicionado e que recebem a água fria (e quente) da unidade central, permitindo assim a climatização da divisão através de um ventilador e por efeito de convexão (daí o nome). O piso ou paredes radiantes funciona muito bem para o aquecimento, podendo ser explorado em arrefecimento – mas aqui, já há algumas reservas devido a alguns possíveis efeitos de condensação superficial, por exemplo.

Em ambas as situações, apenas precisará de utilizar uma bomba de calor de baixa temperatura e que terá de ser reversível. Deve integrar o sistema de climatização com o sistema de produção de água quente sanitária (AQS) de modo a poder melhor rentabilizar o investimento. Da mesma forma, recomendamos a integração obrigatória de um sistema solar térmico na solução. A ideia é que o mesmo sistema integrado seja capaz de aquecer água para os banhos e aquecer/arrefecer a habitação.

Calcular o consumo é impossível pois não temos nenhum dado sobre a sua habitação além da forma ou área. A casa é (ou vai ficar) bem isolada? Qual a exposição solar? Qual a localização? Quais os vãos envidraçadas e sistemas de sombreamento passivo? Isto porque todos estes fatores influenciam as necessidades de aquecimento e arrefecimento de uma habitação – a título de exemplo, uma Casa Passiva apresenta um limite anual de 15 kWh.m2 mas em Portugal esse valor anual pode facilmente ascender bem acima dos 50 kWh.m2.

Como já referimos, o projeto de térmica deverá ter estas contas bem feitas e poderá perceber onde a sua moradia se situará, de um ponto de vista de necessidades energéticas de aquecimento e arrefecimento. Fazendo um exercício teórico, se se considerar um valor anual de 50 kWh.m2 como necessidade de aquecimento, poderá estar perante valores anuais de 50 kWh.m2×180m2=9.000 kWh. Multiplicando pelo preço por kWh de cada fonte de energia e integrando a eficiência de cada sistema, chega valores estimados para o consumo anual para o aquecimento: bomba de calor = 540€, caldeira (pellets/lenha e gás natural) = 741€ e ar condicionado = 405€.

A isto, obviamente, há que adicionar um exercício semelhante para o arrefecimento e para os custos de produção de AQS. Relembro que a solução de ar condicionado aparece aqui devido à questão, sendo que não é bem comparável às outras soluções (climatização e produção de AQS).

Mas repetimos: todos estes cálculos, com dados reais, devem estar efetuados no projeto de térmica da habitação e é aqui que deverá basear-se para poder perceber qual a solução economicamente mais viável.

Obrigado, 
Equipa Energias Renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
21/04/2020
, Respondeu:

Obrigado pela explicação, sim existe um projecto em curso o projecto de arquitetura está quase terminado e estou a iniciar o projecto das "especialidades" e foi por isso que fiz a pergunta porque em conversa com o engenheiro que responsavel pelo projecto ele falou me das bombas de calor, que eu sinceramente desconhecia, e estive a tentar perceber as vantagens/desvantagens e os custos de instalação e utilização das várias soluções.
Mais uma vez obrigado e já agora o Eng.º falou me que colocando estas bombas de calor ar-agua, visto ser uma fonte deenegia renováve,l era dispensável os paneis solares, , isto é possivel ou a legislação obriga a colocação dos paneis solares? Obrigado

Faça login para aceder a este conteúdo. 
23/04/2020
, Respondeu:

Olá Marco,

Os regulamentos obrigam à instalação de sistemas solares térmicos para a produção de água quente sanitária em construção nova (como é o seu caso) ou em renovações significativas.

Há a possibilidade de, numa situação em que não existe viabilidade técnica para a instalação de um sistema solar térmico para produção de AQS (por exemplo, quando existe um total e completo sombreamento das coberturas ou a exposição solar é diminuta) esta componente (produção de AQS por uma fonte renovável) ser substituída por outro sistema baseado em energia renovável e que garanta, pelo menos, a mesma produção energética que o sistema solar térmico "teórico" teria.

Na resposta anterior, já tínhamos indicado a integração "obrigatória" com um sistema solar térmico.

Penso existir aqui alguma confusão entre "produção de AQS" e "aquecimento e arrefecimento" (climatização). O sistema solar térmico deverá ser usado para a produção de AQS - água quente sanitária para ser usada em banhos, na cozinha, WC, e cuja instalação obrigatória está contemplada na regulamentação.

A sua utilização em aquecimento de espaço, sendo possível, geralmente não é rentável e obriga a grandes áreas de colectores instalados. As bombas de calor (sim, são consideradas um sistema baseado numa Energia Renovável) conseguem produzir AQS e climatizar o espaço (dependendo obviamente dos modelos escolhidos e das funcionalidades destas).

A nossa recomendação no sentido de instalar um sistema solar térmico que lhe cubra os 70% das necessidades anuais de AQS da habitação - cumprindo assim a obrigação regulamentar. Os restantes 30% serão providenciados pelo sistema de apoio que poderá ser uma caldeira a gás natural, pellets ou uma bomba de calor.

Estes três sistemas de apoio ficarão responsáveis pela climatização do espaço (aquecer apenas no caso da caldeira e aquecer/arrefecer, se assim desejar, no caso da bomba de calor). Recomendamos que este sistema seja totalmente integrado, de modo a que a contribuição das várias fontes de energia (sol, ar, pellets, gás) seja otimizada.

No mercado, há já várias marcas com soluções desta natureza, em que integram sistemas solares térmico com bombas de calor, caldeiras, fotovoltaico...


Obrigado,
Equipa Energias Renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
23/04/2020
, Respondeu:

Gostava de saber se a instalação de uma bomba de calor + painéis fotovoltaicos é entendido como “sistemas solares térmicos” no que toca à sua obrigatoriedade no caso de renovações significativas, ou se tem mesmo de ser solar térmico (por exemplo termosifão).
Muito obrigado!
Cump.
Paulo

Faça login para aceder a este conteúdo. 
28/04/2020
, Respondeu:

Caro Paulo,

Obras novas ou renovações significativas têm obrigatoriamente de adotar um sistema solar térmico para a produção de água quente sanitária (AQS), de modo a cobrir uma parte significativa das necessidades de água quente. Quando a viabilidade técnica desta solução não é possível, existe a possibilidade de utilizar uma outra solução para a produção de água quente sanitária baseada em energias renováveis, desde que esta solução consiga garantir a mesma (ou muito próxima) contribuição energética anual que o sistema solar térmico, em teoria, iria fornecer.

Na solução que indica (bomba de calor + paineis fotovoltaicos), apenas a bomba de calor para produção de AQS é que importa no cálculo da contribuição anual para a produção de AQS. Daí pergunto se o investimento adicional nos fotovoltaicos compensará nesta lógica de produção de AQS... Mais: a bomba de calor (BC) apresenta a marcação "SG Ready"? Existirá uma integração total da BC com o sistema fotovoltaico? Ou o sistema fotovoltaico servirá os consumos da restante habitação, por exemplo?

Obrigado,
Equipa Energias Renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
25/03/2019

Bom dia,
tenho uma casa de campo cujo aquecimento e feito por uma caldeira de aquecimento a gasoleo que neste momento e extremamente dispendiosa.
Tenho paineis solares instalados mas a producao e vendida na totalidade a EDP. Alem disso vou instalar uma piscina que gostaria tambem de aquecer.
Qual a solucao que me recomendariam ?
ABomba de calor ? Paineis solares para climatizacao ? utilizacao da eneroia produzida para consumo proprio e vender remanescente a rede ? ou usar acumuladores para guardar o excesso de producao ? Alguma empresa que me possam recomendar ?
Cumprimentos
Luis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
12/04/2020
, Respondeu:

Olá boa noite Luís , já fez a piscina!? Eu tb fiz uma piscina e gostaria de ter aquecimento da água!? Ja viu qual a melhor solução !?

Faça login para aceder a este conteúdo. 
29/12/2017

Também pensei nessa solução, que me parece muito interessante, mas no meu caso, como tenho já a instalação de radiadores convencionais estou com algumas dúvidas. Disseram-me que é possível utilizar uma bomba de calor a baixas temperaturas (50º por aí) utilizando na mesma radiadores convencionais, bastando para isso aumentar o número de elementos na rede de forma a aumentar a área de exposição e assim conseguir aquecer na mesma a casa. Assim evitaria de ter que ir para uma bomba de calor de alta temperatura ou de ter que substituir os radiadores por ventilo-convectores. Alguém já ouviu falar disto? Será fiável?

Faça login para aceder a este conteúdo. 
20/04/2020
, Respondeu:

Bombas de calor de baixa temperatura e radiadores metálicos estáticos não combinam... Por mais que se aumentem os elementos... Bombas de calor de baixa temperatura = ventiloconvectores ou piso radiante. Bombas de calor de alta temperatura = radiadores metálicos estáticos.

Faça login para aceder a este conteúdo. 
02/01/2018
, Respondeu:

Adiciono também que é importante tomar em consideração as trocas de calor da casa com o exterior e o seu isolamento. Se a casa for mal isolada a demanda será superior.

Faça login para aceder a este conteúdo. 
02/01/2018
, Respondeu:

Revejam alguns posts antes de tomarem qualquer opção.

Para radiadores é aconselhado o uso de Bombas de Alta temperatura. Para instalações já existentes podem fazer a experiência descrita em vossas casas com a caldeira existente.

Cumprimentos

Faça login para aceder a este conteúdo. 
13/10/2017

Olá Hélder

Existem dois tipos de bombas de calor: de Baixa temperatura e Alta temperatura (referido em outro tópico do forum)

Deverá sempre analisar o possível perfil de consumo dos radiadores e AQS, nomeadamente horários de utilização.

Se pretende um uso regular do aquecimento central, uma bomba de calor que atinja no mínimo 60ºC poderá ser o mais indicado tanto a nível de consumos como de conforto, pois uma de baixa temperatura vocacionada para AQS estará sempre no seu limite. Deste modo um apoio fotovoltaico (Autoconsumo) para durante o dia, poderá ser a melhor opção. A instalação ficaria simplificada e optimizada. Acrescento também a possibilidade da instalação de um Acumulador de Inércia para maior apoio a AQS e menores consumos elétricos no final do dia em que não temos irradiação solar.

Já pediu algum orçamento ou informação sobre os equipamentos? Qual a potência da Bomba de Calor que lhe aconselharam?

Cumprimentos

Bruno Miguel

Faça login para aceder a este conteúdo. 
13/10/2017
, Respondeu:

Boa noite Bruno.
Obrigado pela explicação.
Sim, já tenho orçamentos. As potencias variam entre 10 KW e 15 KW. Uns instaladores são defensores de bombas de calor de baixa temperatura, com maior n.º de elementos de radiador e, por funcionar a temperatura inferior, com menor consumo. Outros, defendem bombas de temperatura mais elevadas. Estou na dúvida sobre que opção escolher.
Obrigado.

Cumprimentos.

Hélder Agante.

eu disclaimer

O projeto que deu origem a esta comunidade recebeu financiamento através do programa de investigação e desenvolvimento “Horizon 2020”, sob o contrato de subvenção nº749402. Nem a EASME nem a Comissão Europeia são responsáveis pela informação veiculada nem pela utilização das informações contidas na mesma.