Notícias

Seis dicas para gerir bem as contas do condomínio

07 janeiro 2019
casas pequenas e moedas na mão de uma pessoa

07 janeiro 2019
O orçamento deve incluir despesas e receitas. Antecipe a necessidade de obras e reserve parte das quotas no Fundo de Reserva Comum. Saiba qual a conta à ordem ou o seguro multirriscos-condomínio mais vantajosos.

Gerir as contas de forma eficaz é importante para manter a ordem no condomínio e na relação entre os vizinhos.

É preciso ter uma conta específica para o Fundo de Reserva Comum e uma conta à ordem só para o condomínio. Os empregados do condomínio devem estar cobertos por um seguro de acidentes de trabalho. E um seguro multirriscos-condomínio ajuda a resolver vários problemas.

Perdido com a quantidade de  situações que é preciso gerir? Não desespere. Reunimos as respostas para os 4 serviços numa só ferramenta e mostramos quanto pode poupar. Simule e descubra qual o melhor seguro multirriscos-condomínio, seguro para empregados de condomínio, conta à ordem e aplicação a prazo.

 

Comparar e poupar nos 4 serviços para o condomínio

 

Reunimos 6 dicas que ajudam o administrador a fazer e a acompanhar o orçamento.

  1. Gerir o condomínio através de uma conta pessoal parece simples e cómodo, mas pode trazer problemas. É mesmo contra a lei, se lá guardar o Fundo Comum de Reserva, que é obrigatório. Retire todos os meses 10% do valor da quota estipulada. Para este pequeno pé-de-meia deve escolher o depósito a prazo que mais se adequa. Com a melhor taxa, mais rentabiliza a poupança do seu condomínio.
  2. Para gerir as quotas dos condóminos e fazer os pagamentos das despesas correntes (eletricidade e água das áreas comuns, seguros, etc.), deve existir uma conta bancária aberta em nome do condomínio, que possa ser movimentada pelo(s) administrador(es) nomeado(s). São vários os bancos a oferecer soluções, mas qual a conta à ordem mais adequada para o seu condomínio? Pode poupar mais de € 100 por ano em despesas e comissões ao optar pelo banco certo.
  3. Elabore o orçamento no início de cada ano e, no final, feche as contas. Depois, convoque uma assembleia de condóminos para apresentar os resultados. O orçamento anual deve incluir as despesas do condomínio, receitas e estimativas de gastos relevantes para a execução do próximo ano de administração.
  4. Avalie o valor de alguns gastos fixos e veja se é preciso equilibrar as contas. Por exemplo, veja se é mais barato manter a empregada de limpeza ou contratar uma empresa para prestar esse serviço. Tenha em conta que, de acordo com a lei, cada empregado do condomínio deve ter um seguro de acidentes de trabalho. Pode poupar até € 30 por mês se ajustar o seguro às necessidades do condomínio.
  5. Verifique as condições do edifício, para prever a necessidade de eventuais obras de manutenção, e quantifique-as no orçamento. Desta forma, poderá considerar um valor extra na quota mensal dos condóminos. E se surgir um imprevisto ou um incidente? O ideal é ter o edifício coberto por um seguro multirriscos-condomínio. A poupança pode chegar aos € 500 por ano se escolher o mais adequado.
  6. Mantenha os documentos organizados ao longo do ano. Pode arrumar em pastas, por categorias e numeradas. Por exemplo, uma pasta para as faturas dos produtos de limpeza, outra para os papéis do seguro, outra para os recibos das quotas, etc. Também pode manter os registos num ficheiro Excel ou num software de gestão de condomínios. Acompanhe com regularidade o pagamento das quotas e das despesas correntes.