Guia de compras

Pneus: guia de compras

29 maio 2020
Dois pneus em grande plano

Escolher o pneu certo e mantê-lo em boas condições reduz o consumo de combustível e reforça a segurança. Quais são os pneus corretos? Que categorias existem? E onde comprar ao preço mais baixo? Preparámos um roteiro para escolher os pneus.

Ponto único de contacto entre o carro e a estrada, os pneus são vistos como um investimento menor na manutenção automóvel. Contudo, um pneu tem muito mais para contar: da composição da borracha ao desenho do piso e efeitos no escoamento de água ou na tração, sem esquecer a resistência ao rolamento ou a furos.

Muitos consumidores não se dedicam a fundo a escolher os pneus. Mas, na verdade, escolher o pneu certo e mantê-lo em boas condições reduz o consumo de combustível e reforça a segurança da condução, evitando acidentes. Depois de escolher os pneus, visite várias lojas. O preço varia bastante. Pergunte se a montagem e a equilibragem são pagas: na maioria das lojas, a primeira é gratuita, mas a equilibragem não. Em vários pneus, a diferença ronda ou ultrapassa a meia centena de euros.

Pneus de verão ou inverno

Se reside numa região com clima muito húmido, chuvoso e de neve ou viaja regularmente para zonas de frio intenso, considere os pneus de inverno. A diferença na travagem e no controlo do carro é significativa. A borracha dos pneus de verão perde elasticidade a temperaturas abaixo de 7°C, comprometendo o desempenho. A mudança deve ser feita no início da estação mais chuvosa e fria. Quando a temperatura aumenta, a chuva diminui e deixa de nevar, pode mudar para pneus de verão.

Pneus para todas as estações

Não são muito utilizados em Portugal. Os pneus para todas as estações pretendem ser um compromisso de qualidade entre o piso seco e o piso molhado com neve, mas, regra geral, o seu desempenho é inferior ao dos pneus de verão na utilização de verão e ao dos modelos de inverno durante o inverno.

Pneus antifuro

Se sofrer um furo, os pneus run flat permitem continuar a viajar mais 80 quilómetros a uma velocidade máxima de 80 km/h. Ao perfurar um pneu, esta tecnologia evita ter de parar e trocar o pneu ou pedir assistência, proporcionando uma maior segurança à condução. Com pneus run flat, pode seguir viagem sem precisar de pneus suplentes. Circular sem pneu sobressalente abre novas pistas para o design automóvel e reduz o peso dos carros. Existem duas soluções: a primeira prevê outra jante de apoio, enquanto a segunda é baseada no reforço da parte lateral do pneu. Ambos usam o mesmo princípio: em caso de perda de ar, a estrutura de apoio mantém o pneu no aro e oferece uma alternativa temporária. Como o comportamento da viatura não se altera face às condições normais, é necessário um sistema de sensores que detete e alerte o condutor quando um dos pneus perder ar.

Pneus usados sem garantias

Ao escolher pneus, evite modelos usados, independentemente da marca. Os pneus novos são mais seguros e rentáveis. Enquanto não existirem regras claras com os requisitos que os pneus usados devem respeitar, o consumidor continua sem qualquer garantia de que está a adquirir um produto seguro. Por muito apetecível que o preço seja, se é para rolar, que seja em segurança. 

A medida certa

Cada pneu tem um conjunto de números de identificação na parede lateral: este é o tamanho do pneu. Cada modelo de carro, segundo a sua categoria, pode receber apenas um reduzido número de tamanhos diferentes. Esta informação é indicada no manual do carro. Antes de escolher os pneus, verifique os tamanhos adequados ou, mais simples, siga o mesmo tamanho dos anteriores. Importa sempre dominar o que significa cada um dos dígitos exibidos no pneu: explicamos, por exemplo, o que significa um código como 185/60R14 82H:

  • 185 representa a largura do pneu em milímetros, medida entre os dois flancos;
  • 60 é a relação, em percentagem, entre a altura e a largura do pneu. Trata-se da relação da secção cruzada do pneu com a respetiva largura, expressa em percentagem. Por exemplo, uma relação altura/largura de 60 indica que a altura do pneu equivale a 60% da respetiva largura. Quanto menor o número, mais desportivo o pneu;
  • R significa radial;
  • 14 é o diâmetro interno (altura) da jante em polegadas;
  • encontra o índice de carga do pneu no flanco, ao lado do diâmetro. Este índice refere-se à capacidade máxima de carga. Por exemplo, um pneu com um índice de carga de 82 pode transportar 475 kg. Verifique o índice de carga antes de comprar um pneu. Siga também as recomendações do fabricante.
  • A última letra representa o índice de velocidade. H anuncia a velocidade máxima aprovada pelo carro. Neste caso, H é igual a 210 km/h. Um pneu com índice V tem uma velocidade máxima de 240 km/h. Este índice é a velocidade máxima para um pneu, com a pressão correta e utilizado com carga.

Pneus na pressão certa

Tão ou mais importante do que escolher os pneus, é controlar a pressão uma vez por mês ou antes de viagens longas: aumenta a longevidade, reduz o desgaste da borracha e poupa combustível. A pressão baixa, por exemplo, pode aumentar o consumo entre 2 e 10 por cento. Se o carro estiver carregado, corrija a pressão dos pneus: esta terá de ser um pouco mais elevada. Siga as indicações do fabricante do carro.

Verifique a profundidade dos sulcos dos pneus. O código da estrada proíbe circular com um relevo inferior a 1,6 mm. As bolhas ou fissuras na borracha são sinais de alerta que podem pôr em risco a segurança dos ocupantes. Reduzem a aderência à estrada, sobretudo em piso molhado. Condução moderada também protege os pneus. Conduzir em piso irregular, galgar passeios, lombas e buracos, fazer acelerações e travagens bruscas aumentam o desgaste dos pneus e o consumo.

Teste o glossário para escolher pneus

Explicamos os termos técnicos mais comuns para impressionar o mecânico.

Aquaplaning ou hidroplanagem

Acumulação de água na zona frontal do pneu quando se encontra em movimento. Se a quantidade de água ultrapassar a capacidade de escoamento do pneu, o contacto com o piso pode deixar de existir. A falta de aderência faz com que o automóvel flutue sobre o lençol de água.

Alinhamento

Regulação das rodas e da suspensão, segundo a especificação de fábrica.

Banda de rolamento

Zona de contacto com a estrada. Deve aderir aos diferentes tipos de piso, resistir ao desgaste e à abrasão e aquecer pouco. Em estrada molhada, o pneu liberta a água através dos sulcos e mantém a aderência ao piso.

Flanco

Parte lateral, entre a jante e o piso. Local onde se encontram as informações sobre comportamento em estrada, tamanho, índice de carga e de velocidade e dados de fabrico.

Indicador de desgaste do piso

Barra de borracha moldada na base do piso, posicionada, pelo menos, em três pontos à volta do pneu. Indica quando o padrão do piso tem apenas 1,6 mm, mínimo legal.

M+S

Marca Mud and Snow (lama e neve) dos pneus de neve e de vários pneus 4x4.

Nitrogénio

Gás inerte aplicado ao enchimento de pneus.

Piso

Área do pneu em contacto com a estrada. Varia consoante a construção, os compostos e o desenho do piso e da pressão de ar do pneu.

Pneus de inverno

Desenvolvidos para utilizar a temperaturas inferiores a 7 graus Celsius. Além de compostos para manter as propriedades a baixas temperaturas, contêm várias lâminas (ou lamelas) para maior aderência em estradas escorregadias.

Pneus para todas as estações

Concebidos para usar todo o ano, ao contrário dos pneus específicos de verão ou inverno.

Pressão do ar

Força exercida pelo ar dentro do pneu, expressa em “bar” (a pressão não equivale à alteração da força).

Pressão do pneu

Medida do volume de ar no interior, quando o pneu está cheio, expressa em “bar”. Verifique regularmente e mantenha a pressão recomendada pelo fabricante. Consulte o manual do veículo. Nunca encha um pneu com uma pressão superior à pressão máxima indicada no flanco.

Recauchutagem

Processo de substituir a camada do piso de um pneu.

Relação largura/altura 

Relação entre a altura e a largura do pneu expressa em percentagem. Por exemplo, 185/65 R15 – 0.65 é a relação entre altura e largura. A altura do flanco é 65% de 185 mm.

Revestimento interior 

Camada de borracha no interior de um pneu sem câmara-de-ar. Protege contra perda de pressão de ar numa utilização normal.

Run flat 

Pneu concebido para funcionar com pouca ou nenhuma pressão. Permite ao condutor continuar a viagem até um local seguro.

Sem câmara-de-ar (tubeless)

Pneus sem câmara-de-ar são, regra geral, pneus radiais. O revestimento interior evita perdas de ar.

Sílica 

Ingrediente do composto obtido a partir de areia, utilizado para melhorar a aderência em piso molhado e no Inverno, bem como para reduzir a resistência ao rolamento.

Sobrecamada 

Camada, normalmente de nylon, à volta das cintas. A velocidade elevada proporciona estabilidade dimensional e circunferencial à carcaça.

Sobreviragem

Perda de aderência das rodas traseiras em curvas. Oposto de subviragem.

Subviragem

Caso o veículo não responda corretamente à direção e tenha a tendência a seguir em frente. Oposto de sobreviragem.

Sulcos

Canais do perfil do piso por onde a água é retirada da área útil de contacto.

Talão

Zona do pneu em contacto com a roda. Trata-se de um aro de aço com várias camadas. Objetivo: proporcionar uma pressão de contacto adequada entre o pneu e a jante, garantindo a vedação do ar.

Tamanho da roda

Diâmetro real da jante medido em polegadas. Por exemplo, em 185/65 R15, o diâmetro da jante é de 15 polegadas.

Tela 

Fibra ou filamento de poliéster, nylon ou aço que confere força à carcaça e às cintas do pneu.

Vulcanização

Processo de aquecer os compostos de borracha para lhes conferir as características necessárias aos pneus.

Válvula

Dispositivo através do qual o pneu é enchido.

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.