Dicas

Como poupar dinheiro ao tomar café em casa?

23 junho 2022
Fazer café em casa: explore diferentes soluções

Cafeteira tradicional, máquina de cápsulas, de filtro ou automática? Explicamos as vantagens, as desvantagens e os custos de cada opção. Se costuma beber o café fora de casa, veja como pode poupar mais de 400 euros anuais se mudar de hábitos e passar a usar uma máquina tradicional de cachimbo.

As cafeteiras tradicionais são a solução mais em conta. Porém, não são tão práticas como as máquinas de cápsulas ou as automáticas. Pelo meio temos as máquinas de filtro, que batem qualquer outra quando o assunto é fazer café em grandes quantidades. Explicamos os prós, os contras e os custos de cada sistema para fazer café. Para comparar qualidade e preço das várias máquinas, consulte o nosso teste.

Comparar máquinas de café

Máquina de café de cápsulas

Com a máquina de cápsulas, pode saborear um café muito parecido com o da rua. Também é possível escolher vários sabores, e alguns modelos permitem fazer bebidas como cappuccino, latte machiato, chá ou chocolate quente. São fáceis de usar e não exigem grande manutenção. Porém, embora sejam relativamente acessíveis (estão à venda a partir de 22 euros), o custo das cápsulas pesa na carteira. Se preferir as marcas originais, prepare-se para pagar entre 36 e 45 cêntimos por café. Se optar pelas cápsulas compatíveis, consegue alguma poupança. O lado prático destes modelos reflete-se negativamente na quantidade de resíduos gerados por cada cápsula de café usada. Por isso, deve minimizar o seu impacto entregando as cápsulas nos pontos de recolha existentes, sejam eles da marca ou os que se encontram já em muitos supermercados. Se tiver habilidade para tal, pode também usar cápsulas reutilizáveis, que se enchem com o café da sua eleição a qualquer momento.

Pontos fortes

  • Fácil de usar e limpar.
  • Cápsulas com diferentes sabores de café.
  • Dependendo do modelo, pode fazer várias bebidas, como café, capuccino, latte machiato, chá, chocolate quente.
  • Algumas marcas oferecem a máquina se comprar determinado número de cápsulas. Mas não se iluda: o verdadeiro negócio está mais na venda das cápsulas do que na venda da máquina.
  • Existência de cápsulas compatíveis, que são mais baratas e, nalguns casos, oferecem a mesma qualidade da marca.

Pontos fracos

  • Preço das cápsulas: cada café sai, em média, a 33 cêntimos.
  • Quantidade de resíduos produzidos.

A máquina expresso é acessível mas as cápsulas tornam esta opção mais cara.

A máquina de café de cápsulas é prática de usar, mas o preço médio de cada café é significativamente maior do que o das máquinas manuais.

Máquina de café automática

As máquinas automáticas são maiores e mais pesadas, mas tão fáceis de usar como as de cápsulas: basta carregar num botão e esperar que o café fique pronto. A maioria inclui painéis digitais com avisos, o que torna a utilização mais intuitiva. Para os amantes de café, há duas vantagens: o preço do café, que é mais barato comparado com as cápsulas, e a possibilidade de selecionar e misturar os grãos preferidos. O baixo custo de utilização – um café sai a 8 cêntimos – e a hipótese de moer o café na altura em que vai ser consumido são outras vantagens. Também é possível produzir espuma de leite, ideal, por exemplo, para galõescappuccinos e latte macchiatos.

Mas há pontos fracos a considerar antes de optar por uma máquina automática: o investimento inicial (dificilmente encontrará um modelo automático por menos de 300 euros), a limitação para produzir um descafeinado e os cuidados a ter no ciclo de vida (por serem aparelhos de grandes dimensões).

Pontos fortes

  • Fácil de usar e limpar.
  • Pode moer o café na hora, escolher a mistura de sabores e fazer outras bebidas de café.
  • Reduzida produção de resíduos, pois não usa cápsulas.

Pontos fracos

  • Máquina de grandes dimensões, em comparação com as outras.
  • Investimento inicial elevado.
  • Só pode fazer bebidas de café.

Se gosta de misturar diferentes sabores de café, a máquina automática é a melhor opção.

Se gosta de misturar diferentes sabores de café, a máquina automática é a melhor opção. 

Máquina de café tradicional

A máquina tradicional usa café em pó, e a maioria aceita pastilhas de café (ESE PADS). A maior vantagem face às máquinas de cápsulas é o custo de utilização anual: a partir de 8 cêntimos, tira um bom café expresso. As máquinas tradicionais permitem ainda escolher as suas variedades preferidas de café, tirar dois expressos ao mesmo tempo e fazer cappuccinos ou late macchiatos, pois a maioria dos modelos inclui acessório para fazer espuma de leite. Os resíduos produzidos diariamente são apenas as borras, que podem ser aproveitadas para compostagem. A embalagem de cartão ou plástico do café deve ser colocada na reciclagem.

Pontos fortes

  • Custo do café: a partir de 8 cêntimos.
  • Pode usar pastilhas ESE PADS, na maioria dos modelos.
  • Reduzida produção de resíduos, pois não usa cápsulas.

Pontos fracos

  • Menos práticas de usar e limpar do que outras máquinas, pois exigem vários passos: colocar o café em pó e o cachimbo na máquina e lavar no final de cada utilização.
  • Só pode fazer bebidas de café.

Se procura uma boa relação entre preço e qualidade, a máquina tradicional é uma boa opção.

Se procura uma boa relação entre preço e qualidade, a máquina tradicional de café é uma boa opção. 

Máquina de café com filtro

A grande vantagem da máquina de filtro é poder preparar uma grande quantidade de café ao mesmo tempo. E cada café sai a 8 cêntimos, como no sistema moka. Porém, a máquina de filtro consome mais energia do que as outras, pois a resistência tem de ficar ligada para manter o café quente. Perde também cerca de um terço do líquido, que acaba por se evaporar. Ao nível do preço, as máquinas de filtro estão à venda desde 15 euros. As borras de café e o respetivo filtro podem ser usados para compostagem.

Pontos fortes

  • Cada café sai a 8 cêntimos.
  • Pode fazer uma grande quantidade de café de uma só vez.
  • Reduzida produção de resíduos, pois não usa cápsulas.

Pontos fracos

  • A resistência fica ligada para aquecer o café, logo, consome mais energia do que outras máquinas.
  • Um terço do café evapora-se.
  • O café não é cremoso. Além disso, só pode fazer bebidas de café.

A máquina com filtro faz grandes quantidades de café de uma só vez.

A máquina com filtro faz grandes quantidades de café de uma só vez.

Cafeteira ou moka

A cafeteira tradicional, também conhecida como sistema moka, é uma das soluções mais económicas. Cada café sai a 8 cêntimos e a típica cafeteira de encaixe está à venda desde 9 euros. Este sistema é fácil de usar: basta colocar água, café em pó e levar ao lume. Outra vantagem é que pode, a qualquer momento, escolher o seu tipo de café preferido. Esta é também a melhor opção para quem se preocupa com o ambiente, pois os resíduos diários são apenas as borras – que podem ser aproveitadas para compostagem – e a embalagem de cartão ou plástico do café (que devem ser colocadas na reciclagem). No entanto, não espere que a cafeteira tradicional faça um café com espuma e corpo. Essa é uma das suas desvantagens. A outra é que terá de lavar a cafeteira regularmente.

Pontos fortes

  • Cada café sai a 8 cêntimos.
  • Pode escolher o tipo de café em pó que prefere.
  • Reduzida produção de resíduos, pois não usa cápsulas.

Pontos fracos

  • Café não tem corpo nem espuma.
  • Só pode fazer bebidas de café.
  • Exige lavagens regulares.

 

Com a cafeteira tradicional, ou moka, um café sai a 8 cêntimos.

Poupe mais de 400 euros por ano a tomar café em casa

Para quem não dispensa o lado prático de ter uma máquina e quer, ainda assim, poupar, usar uma máquina de café expresso tradicional fica mais barato. Contudo, é menos cómodo. Para se conseguir um bom café, além da qualidade do aparelho, há que contar com a força para apertar o cachimbo, sem esquecer a limpeza mais exigente.

Por estas razões, as máquinas de cápsulas e automáticas conquistaram adeptos com facilidade: práticas de usar, garantem bons cafés e têm manutenção simples. Basta introduzir a cápsula e carregar num botão. No caso dos aparelhos de cápsulas, basta comprá-las, inseri-las na ranhura e carregar no botão, para obter um café quente e saboroso.

Encontrar forma de poupar no café pode ser um desafio. Simulámos os gastos que duas pessoas teriam ao tomarem café diariamente, num total de oito cafés por dia (quatro por pessoa), num cenário de 30 dias. 

Comparámos os custos de oito cafés diários em quatro situações distintas, sem considerar o valor de aquisição da máquina:

  • tomar na pastelaria ou no café;
  • usar as máquinas de café de cápsulas com o título de Escolha Acertada do nosso teste;
  • usar a máquina Nespresso com cápsulas originais (a Melhor do Teste no nosso comparador);
  • usar a máquina com cápsulas Nespresso (sistema Vertuo);
  • ou optar por café moído em grão.

Ver teste a máquinas de café

Tomar café em casa sai mais barato do que num café ou pastelaria, uma vez que o preço de cada cápsula para a máquina é inferior ao de um café na rua. A dúvida de poupança pode residir entre o tipo de máquina ou de cápsulas a utilizar.

Na comparação, verificámos que, com as máquinas de cápsulas Escolha Acertada do nosso teste, poupa 120 euros por mês se duas pessoas consumirem quatro cafés por dia em casa. A opção mais barata seria optar por café moído ou de grão, numa poupança de cerca de 160 euros em relação ao café na pastelaria. Comparando o café em cápsulas, a diferença entre o sistema Nespresso (cápsulas originais clássicas) e o da nossa Escolha Acertada, a poupança é de 40 euros mensais.

Gastos com café em 30 dias
(2 pessoas)
Custo por café
(€)
Quantidade
de cafés por dia
Custo total
por mês (€)
Café na pastelaria ou café 0,75 8 180
Café nas máquinas Escolha Acertada do nosso teste 0,25 8 60
Café na máquina com cápsulas Nespresso
(a Melhor do Teste no nosso comparador)
0,42 8 100,80
 Café na máquina com cápsulas Nespresso (sistema Vertuo) 0,45  108 
Café moído ou em grão
0,08 8 19,20

Num cenário de 30 dias, a poupança chega aos 80 euros, optando pelo café nas máquinas de cápsulas Escolha Acertada em vez da máquina Nespresso com cápsulas originais.

Mas não é só o custo do café que deve ser tido em conta, pois o preço das máquinas é também decisivo. Na imagem abaixo, pode ver o custo anual efetivo de 700 cafés (sensivelmente dois cafés por dia), considerando a amortização do custo da máquina em oito anos. A máquina manual continua imbatível. No entanto, apesar do elevado custo inicial, o café de uma máquina automática torna-se bem mais apetecível do que um modelo de cápsulas. 

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.