Notícias

Gás natural: simule se vale a pena mudar para a tarifa regulada

Vários operadores preparam-se para aumentar os preços do gás natural. Para a maioria dos consumidores, compensa regressar ao mercado regulado. Pegue numa fatura do gás, insira o seu consumo e tarifário atual, e calcule o impacto desta alteração no seu caso particular.

23 setembro 2022
calculadora gás natural

iStock

A pergunta repete-se na cabeça de muitos consumidores: devo mudar o contrato de gás natural para o mercado regulado? A resposta não é igual para todos os consumidores, pois depende dos tarifários negociados com cada comercializador e de eventuais descontos a que tenham acesso. No entanto, os estudos feitos pela DECO PROTESTE concluem que tarifa regulada é a opção mais barata para a maioria dos perfis de consumo.

Para ajudar os consumidores a visualizar se compensa, de facto, avançar com a mudança de comercializador, a DECO PROTESTE disponibiliza uma calculadora descarregável, para que todos os consumidores possam antecipar quanto passariam a pagar no mercado regulado pelo seu consumo habitual de gás natural.

Para ter acesso ao ficheiro em excel que permite simular quanto pagaria no mercado regulado de gás natural, faça login ou crie uma conta no site. 

 

Com esta calculadora, pode introduzir a quantidade de gás natural que habitualmente consome, consultando a última fatura, e indicar o número de dias a que essa fatura se refere. Basta copiar os dados da fatura para a calculadora e obtém, de imediato, o custo que teria em igual consumo e igual período de faturação no mercado regulado a partir de outubro.

Isto porque a calculadora está já preparada com o tarifário definido pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) para vigorar a partir de 1 de outubro e que representa uma subida de 3,9% face ao preço anterior. Ao contrário do que acontece no mercado liberalizado, as alterações tarifárias no mercado regulado são definidas pelo regulador do setor, e revistas trimestralmente, de acordo com critérios conhecidos e perfeitamente parametrizados.

Se, entretanto, tiver já recebido uma comunicação do seu atual comercializador indicando a tarifa que lhe será aplicada a partir de outubro, pode fazer uma simulação ainda mais realista. Nesse caso, basta digitar na calculadora o consumo da última fatura, mas substituir os preços atuais da energia e do termo fixo por aqueles que já lhe foram antecipados pelo comercializador. Assim apura, de imediato, a diferença entre aquilo que vai pagar no comercializador atual e a despesa que teria por igual consumo no mercado regulado.

A lei já obriga os comercializadores de eletricidade do mercado liberalizado a informarem, em cada fatura, quanto custaria aquele mesmo consumo no mercado regulado. Apesar de figurar em letras de pequena dimensão, essa informação é, de facto, apresentada por todos os comercializadores. Lamentavelmente, a mesma obrigação não incide ainda sobre os comercializadores de gás natural. A DECO PROTESTE exige que esta informação crucial se torne obrigatória também para o gás natural.

Exija Energia sem remendos

Enquanto esta exigência não é feita, a DECO PROTESTE disponibiliza esta calculadora, permitindo aos consumidores apurar o custo da sua fatura aos preços que o mercado regulado vai praticar a partir de outubro.

Como usar a calculadora da DECO PROTESTE

Descarregue o ficheiro e tenha consigo uma fatura exemplificativa do seu consumo habitual de gás. Evite faturas que correspondam a períodos atípicos, como aqueles que incluem ausências por férias.

Selecione o seu escalão de consumo, entre os quatro possíveis. Pode consultar essa informação em qualquer fatura do gás, de qualquer comercializador, nos campos referentes ao termo fixo, ao consumo real ou ao consumo estimado.

Copie da fatura o seu consumo habitual de gás, medido em kWh, para o campo “Indique o seu consumo (kWh).

No mesmo quadro da sua fatura, encontra o preço da energia, ou seja, a tarifa que o seu comercializador tem vindo a aplicar no seu contrato. Copie-a para o campo “Indique o preço da energia (€/kWh)”. Caso beneficie de algum desconto, este é obrigatoriamente mencionado na fatura. Digite-o também na calculadora.

No entanto, se já souber qual a tarifa que o seu comercializador vai praticar a partir de outubro, pode efetuar já o cálculo com esse novo dado.

No campo “Indique o número de dias faturados”, copie da sua fatura o total de dias a que corresponde o consumo declarado.

Copie da fatura o preço do termo fixo. Insira-o no campo “Indique o preço do termo fixo por dia (€)”. Se estiver a beneficiar de descontos nesta parcela, digite a percentagem no campo reservado para esse efeito na calculadora.

Na parte de baixo do seu ecrã, está disponível um separador "Ajuda", que pode ir consultando para obter instruções mais detalhadas de preenchimento da calculadora. Inclui também imagens dos campos que tem de procurar na sua fatura.

Inseridos todos os dados, a resposta surge de imediato no seu ecrã, apontando a diferença entre aquilo que o seu atual comercializador cobra pelo seu consumo e aquilo que passaria a pagar no mercado regulado. Estes cálculos não incluem taxas e impostos.

Se a mudança compensar e quiser avançar com esse processo, consulte o nosso tutorial sobre como mudar o gás natural para o mercado regulado.


 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.