Como testamos

Como testamos bombas de calor

Cabeça de chuveiro a deitar água

Num laboratório certificado, sujeitámos as bombas de calor a vários ensaios para verificar o conforto e a eficiência. Saiba como testamos.

Para analisar as bombas de calor, usámos uma câmara climática regulada para uma temperatura constante de 20°C durante todos os ensaios.

Começámos por medir o tempo necessário e o consumo para o aparelho aquecer a água do reservatório até aos 55°C: valor geralmente usado quando se acumula água quente.

Verificámos ainda a quantidade de água quente que se consegue extrair numa descarga contínua, até aquela sair com uma temperatura inferior a 40°C. Esta medição permite-nos conhecer o volume de água à disposição para os banhos, por exemplo: apesar de estar a 55°C no depósito, será misturada com água fria, para ficar a 40°C. Esta prova foi realizada no funcionamento normal e após o aparelho ter estado oito horas desligado, para simular a água disponível em caso de falha de eletricidade, por exemplo.

O desempenho energético das bombas de calor, traduzido pelo COP, foi avaliado através da relação entre a energia consumida e a que o aparelho consegue produzir sob a forma de água quente sanitária. Relativamente a este parâmetro, a conclusão é simples: quanto maior for o COP, melhor.

Para manterem a água sempre à mesma temperatura, as bombas de calor incluem um termóstato que ativa o equipamento sempre que aquela arrefece. Mal o valor é atingido, o aparelho volta a desligar. Medimos a energia consumida nestes ciclos de ligar e desligar, sem haver descargas de água quente, para determinar o consumo em standby.

Os manuais de instruções e os conselhos de instalação e manutenção foram também analisados e avaliados.

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.