Notícias

Nutri-Score é o logótipo mais eficaz para informar sobre a qualidade nutricional

O Nutri-Score alcançou o melhor desempenho num recente estudo científico, ajudando a identificar, no supermercado, os alimentos mais saudáveis. Junte-se à nossa ação, para que o Governo adote este logótipo. 

08 fevereiro 2022
Nutriscore

Um estudo realizado na população portuguesa, e publicado na revista científica Nutrients, a 30 de novembro de 2021, concluiu que o Nutri-Score, logótipo nutricional colorido na frente da embalagem, é o esquema mais eficaz para informar sobre a qualidade nutricional dos alimentos e ajudar a identificar opções mais saudáveis, nas deslocações ao supermercado. O estudo contou com 1059 participantes, que foram instados a ordenar três tipos de produtos – pizas, bolos e cereais de pequeno-almoço – segundo a pertinência nutricional. Primeiro, sem rótulo e, de seguida, com cinco esquemas nutricionais. Os resultados demonstraram que as escolhas progrediram na sua presença. O Nutri-Score alcançou o melhor desempenho, ajudando a elencar nutricionalmente os alimentos pela ordem correta.  

Apoie esta causa e exija o rótulo que fala para si

Solicitámos ao Governo, em maio de 2021, a adoção deste esquema na parte frontal da embalagem. Para a carta que enviámos à Assembleia da República, recebemos resposta do PSD e o apoio do PAN, do Chega e da Iniciativa Liberal. No final de setembro, fomos recebidos pelo grupo parlamentar do PSD. Pretendemos que o Governo adote o Nutri-Score como esquema de informação nutricional oficial. É fundamental para ajudar os consumidores a escolherem alimentos mais saudáveis. Entregámos a carta aberta e um dossiê aos grupos parlamentares e ao Governo, com o apoio, na altura, de 1800 consumidores (entretanto, o número de assinaturas subiu para 2400). Neles, explicamos os nossos argumentos a favor do Nutri-Score, evidenciando toda a sua robustez e crescente consenso científico e utilidade para os consumidores na definição de uma alimentação mais saudável, e como se posiciona face aos sistemas de rotulagem concorrentes. Mostramos ainda a importância do Nutri-Score para a prevenção da doença e os seus apoios nacionais e internacionais.

O estudo Global Burden of Disease, de 2019, aponta as dietas pouco saudáveis como o maior fator, entre a população portuguesa, para a perda de anos de vida. Essa é a explicação primeira para horizontes mais curtos na existência. Mais de 50% dos portugueses têm peso a mais ou sofrem de obesidade. Um panorama pouco auspicioso, mas que pode ser revertido com a adoção de hábitos alimentares saudáveis. Palavras, para muitos, difíceis de pôr em prática. Mas um rótulo nutricional intuitivo pode ser o início de uma mudança.

O que é o Nutri-Score?

Interpretar o valor nutricional de um alimento embalado pode ser um quebra-cabeças. Listas de ingredientes e tabelas nutricionais, embora relevantes, são complexas, difíceis de interpretar e exigem tempo de análise, pelo que pouco ajudam a esclarecer os mais leigos. Alguns estudos provam que o Nutri-Score é um esquema intuitivo. É ainda bem compreendido por pessoas com poucos conhecimentos em nutrição e com baixo nível socioeconómico, o que o torna uma ferramenta interessante para combater as desigualdades sociais. Adotado em sete países europeus, e apoiado por várias associações de consumidores, o Nutri-Score também reúne consenso entre centenas de cientistas e profissionais da área da saúde.

O Nutri-Score divide-se em cinco cores (verde, verde-claro, amarelo, laranja e vermelho), ligadas, por sua vez, às letras A a E, respetivamente. Com esta escala, pretende-se mostrar a qualidade nutricional dos alimentos e, ao mesmo tempo, apostar numa interpretação fácil e rápida. Em Portugal, ainda são muitos os rótulos sem Nutri-Score, uma vez que é de uso voluntário e depende da boa vontade de fabricantes e distribuidores. A comparação entre produtos só poderá ser realizada quando o Nutri-Score marcar presença nos alimentos, de forma generalizada.

 
Nos supermercados portugueses encontram-se já, por exemplo, bebidas, gelatinas, iogurtes, congelados, bolachas, café solúvel, cereais e snacks doces, entre outros produtos, com o logótipo Nutri-Score. Do A ao E, encontram-se classificações distintas.

Um A sobre verde ou um E em cima de vermelho possui, na zona que os medeia, uma escala progressiva que distingue um alimento nutricionalmente mais interessante de outro no polo oposto. Atrás das letras encontra-se uma nota, determinada por pontos desfavoráveis e pontos favoráveis. A percentagem de fruta, legumes, leguminosas, frutos secos, azeite e óleos de colza e noz, fibras e proteínas são consideradas pontos positivos. Já os pontos a merecerem reprovação referem-se às calorias (energia), à gordura saturada, aos açúcares e ao sal. São estes os elementos que entram no algoritmo cujo resultado é uma classificação que corresponde à qualidade nutricional global do alimento.

Proposta por uma equipa francesa de pesquisa em nutrição, liderada por Serge Hercberg, médico com especialização em epidemiologia e nutrição, o Nutri-Score foi implementado, em 2017, como a escolha da autoridade de saúde francesa, aplicável aos alimentos transformados e pré-embalados, incluindo bebidas não-alcoólicas, para colocar na frente dos rótulos. Portugal convive com vários tipos de sinalética para comunicar os valores nutricionais dos géneros alimentícios, o que pode gerar alguma confusão. A harmonização seria vantajosa. De acordo com um estudo de 2017, encomendado pela Direção-Geral da Saúde, 40% dos inquiridos em Portugal não compreendem a informação nutricional nos rótulos. O Nutri-Score é precisamente uma ferramenta para ajudar o consumidor a compreender a mensagem, ajudando-o a tomar as melhores decisões de forma consciente. Com caráter opcional, o Nutri-Score foi adotado em sete países europeus: Alemanha, Bélgica, Espanha, França, Holanda, Luxemburgo e Suíça.

A cronologia da nossa luta

Desde 2004 que alertamos para a necessidade de as embalagens alimentares terem um rótulo nutricional inteligível para o consumidor.

2004

A TESTE SAÚDE começou a reivindicar rótulos alimentares mais informativos. Pedimos, de forma clara, a inclusão da rotulagem nutricional.

2011

Sete anos depois do nosso apelo, foi publicada a lei que tornava obrigatória a declaração nutricional a partir de 2016.  

2012

Em outubro, realizámos um estudo sobre rotulagem nutricional na frente das embalagens alimentares, para conhecermos as perceções dos consumidores. Estes preferiam um esquema associado a cores, que incluísse uma apreciação final ou uma recomendação sobre a qualidade nutricional global dos produtos.

2014

O Nutri-Score foi desenvolvido por uma equipa francesa, liderada pelo investigador Serge Hercberg e proposta ao Ministério da Saúde local. 

2017

Em julho, o Nutri-Score foi adotado em França.

2018

Bélgica, em abril, e Espanha, em novembro, seguiram o exemplo de França.

2019

Em setembro, o Nutri-Score foi oficializado na Alemanha e na Suíça, e, novembro, nos Países Baixos. 

2020

E, em fevereiro, é a vez do Luxemburgo.

2021

Em maio, lançamos da nossa ação “Nutri-Score no Rótulo”, através da qual recolhemos 2400 assinaturas, até ao momento. Solicitámos ao Governo a adoção do Nutri-Score como esquema nutricional oficial. Ainda pode aderir à campanha.

2022

Até ao final deste ano, espera-se que a Comissão Europeia apresente uma proposta sobre o esquema de rotulagem nutricional obrigatório e harmonizado, a ostentar na frente da embalagem (FoPL – front-of-package labeling).

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.