Notícias

Açúcar: análise a 84 produtos revela teor escondido

22 janeiro 2016
açúcar escondido

22 janeiro 2016

Uma lata de cola e uma gelatina têm mais de 6 pacotes de açúcar. Só resta 1 para o máximo de açúcar que deve ingerir por dia e que até já é recomendado reduzir para metade. Veja como fazer opções mais saudáveis.

Início

Sabia que um iogurte líquido de morango pode conter o equivalente a quase três pacotes de açúcar? Que uma barra de cereais contém o equivalente a um pacote de açúcar? E que até uma sopa de legumes industrial tem algum açúcar escondido? Certamente já esperava que muitos destes alimentos tivessem algum açúcar adicionado. Mas tanto?

Foi precisamente para descobrir as quantidades de açúcar escondido à mesa que analisámos 28 alimentos de 13 categorias. Cereais de pequeno-almoço, néctares, refrigerantes, leites achocolatados, iogurtes, sobremesas, fruta em calda, molhos, pão de forma, barras de cereais e refeições preparadas não escaparam ao nosso estudo. Escolhemos sempre três marcas representativas de cada alimento e calculámos os valores médios. No total, analisámos a rotulagem nutricional e os teores médios de 84 amostras.

Até sete pacotes por dia

Menos de 10% das calorias diárias devem ser provenientes de açúcares adicionados. Assim, um adulto médio, que tipicamente necessita de 2000 calorias por dia, não deve consumir mais do que 50 gramas de açúcares, o que equivale a sete pacotes. E estas recomendações da Organização Mundial de Saúde até apontam para benefícios adicionais na redução deste consumo diário para metade.

Quando o açúcar é adicionado, figura na lista de ingredientes, mas nem sempre com esta designação. Pode aparecer mascarado com palavras como sacarose, glucose, dextrose, xarope, mel ou melaço. A estes juntam-se ainda os açúcares naturalmente presentes em alguns alimentos, como a lactose, no leite, ou a frutose, na fruta. É o total destes açúcares que surge mencionado no rótulo como “hidratos de carbono dos quais açúcares”. Deve comparar os valores indicados por 100 gramas ou por 100 mililitros.

A partir de dezembro de 2016, os fabricantes serão obrigados a incluir esta informação sobre açúcares adicionados na rotulagem dos alimentos. No entanto, alguns já o fazem. Há muito que reivindicávamos esta obrigatoriedade, mas lamentamos que a legislação nada imponha em relação à integração desta informação na frente das embalagens. Um sistema do tipo “semáforo” poderia dar ao consumidor a perceção imediata do quão elevada é a presença de açúcar, sal e gordura nos alimentos.