Notícias

Máscaras sociais reutilizáveis: poupe 48 euros com a Escolha Acertada

O nosso teste confirma que pode confiar na capacidade de filtração das máscaras sociais reutilizáveis. Conheça os modelos que permitem respirar melhor e que compensam financeiramente.

  • Dossiê técnico
  • Susana Santos
  • Texto
  • Ana Santos Gomes e Fátima Ramos
15 outubro 2020
  • Dossiê técnico
  • Susana Santos
  • Texto
  • Ana Santos Gomes e Fátima Ramos
homem com máscara comunitária reutilizável no autocarro

iStock

Testámos em laboratório 20 máscaras comunitárias reutilizáveis de nível 2 e 3. Todas revelaram níveis de filtração iguais ou superiores aos impostos pelas autoridades (90% e 70%, respetivamente). A respirabilidade, apesar de cumprida pela maioria, deixa a desejar nalguns modelos. O pior desempenho, neste critério, cabe às máscaras Protect Others (em fim de comercialização, segundo o fabricante) e Otso Mask, ambas de nível 2, com apenas uma estrela, em cinco possíveis. Após o número máximo de lavagens recomendado na embalagem (50 e 20, respetivamente), a respirabilidade melhorou ligeiramente, mas sem atingir níveis aceitáveis.

Veja o comparador de máscaras comunitárias reutilizáveis

O baixo nível de respirabilidade compromete o conforto e obriga à substituição mais frequente da máscara, porque fica húmida com maior rapidez. A sensação de respirar menos bem pode levar o utilizador a mexer na proteção (não aconselhável, já que as mãos podem estar contaminadas) ou, mesmo, a retirá-la.

Assim, a máscara ideal deverá aliar o máximo de filtragem a um nível adequado de respirabilidade. A maioria dos produtos testados oferece um bom compromisso entre os dois parâmetros, pelo que cumpre a sua função. Contudo, há modelos que permitem maior número de lavagens e, logo, maior poupança para a carteira e para o ambiente.

Poupe entre 19 e 48 euros

Nas máscaras de nível 3, se optar pela Escolha Acertada, a Medic PT, poupa 1,92 euros por utilização face ao modelo mais caro do nosso teste, cujos resultados são inferiores. No final do ciclo de vida da máscara, após 25 lavagens, terá poupado 48 euros.

Nas máscaras de nível 2, a melhor relação entre a qualidade e o preço pertence à MO X AD. Tech, com um custo de 20 cêntimos por utilização. Face à que apresenta a utilização mais cara, este modelo permite uma poupança de 19 euros, em 50 lavagens.

De cada vez que utiliza uma máscara comunitária reutilizável, em vez de uma descartável, está também a ajudar o planeta. Os oceanos já começam a sentir os efeitos da pandemia, com o aparecimento de muitas máscaras e luvas descartáveis nas águas, e é previsível que o fenómeno venha a intensificar-se.

Inativação do vírus não dita eficácia da máscara

A MO X AD. Tech foi a primeira máscara a publicitar a capacidade de inativar o SARS-CoV-2 na superfície exterior do dispositivo. Não testámos este parâmetro, por não ter impacto na eficácia. Um dos potenciais benefícios seria diminuir o risco de contaminação das mãos aquando de um toque inadvertido (deve ser evitado ao máximo). Contudo, a própria marca revela que a inativação só ocorrerá após uma hora de permanência do vírus na superfície da máscara, o que limita bastante a sua eventual utilidade.

O que verdadeiramente determina a eficácia das máscaras é a sua capacidade para filtrar gotículas, que poderão transportar o vírus, e a respirabilidade, para um uso confortável.

As máscaras sociais disponíveis em Portugal apresentam duas capacidades de filtragem: as de nível 2 devem assegurar, pelo menos, 90% de filtração e são indicadas para contactos frequentes com o público; as de nível 3 devem ter uma capacidade de filtragem superior a 70% e são adequadas para contactos menos frequentes. As máscaras de nível 1 são as respiratórias ou cirúrgicas e destinam-se, sobretudo, a profissionais de saúde.

A respirabilidade reflete a permeabilidade do tecido ao ar, medida através diferença de pressão do fluxo, antes de depois de passar pelo dispositivo. De acordo com as especificações técnicas, as máscaras sociais, seja qual for o nível, devem apresentar uma pressão diferencial de 40 Pa/cm2 (pascal por centímetro quadrado, uma unidade de medida de pressão).

Informação na embalagens é essencial para o uso correto

As embalagens das máscaras comunitárias devem indicar a composição do tecido, o número de utilizações e ainda instruções para a lavagem, secagem, manutenção e eliminação do produto. O rótulo da máscara Smart Inovation (nível 2) está à margem da lei em quase tudo: apenas indica o número de lavagens.

O selo de aprovação por um laboratório reconhecido, embora não seja obrigatório, consta, e bem, nas embalagens de quase todos os produtos testados. Encontra também a lista de máscaras que cumprem os requisitos das autoridades de saúde no portal da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (descarregue o pdf "Listagem de Máscaras Sociais", no final da página).

A informação sobre a capacidade de filtragem é útil para o consumidor, mas apenas a MO X AD.Tech a fornece. Já as formas de manusear e usar corretamente a máscara são indicadas pela maioria das marcas.

As máscaras comunitárias reutilizáveis estão disponíveis em diferentes tecidos, cores e padrões. Ao usá-las, evita a projeção de gotículas ao respirar, falar, tossir ou espirrar. Utilizar máscara é, na verdade, um ato de altruísmo, já que ela serve sobretudo para proteger quem rodeia o utilizador.

É nosso subscritor e precisa de esclarecimentos personalizados sobre este tema? Contacte o nosso serviço de assinaturas. Relembramos ainda que pode aceder a todos os conteúdos reservados do site: basta entrar na sua conta

Se ainda não é subscritor, conheça essas e as demais vantagens da assinatura.

Subscrever

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.