Dossiês

Garanta boas compras e finte as fraudes na Black Friday

25 novembro 2019
Pessoa com vários sacos de compras da Black Friday

25 novembro 2019
Utilize a ferramenta Comparar Preços para conhecer a evolução dos preços dos produtos nas lojas online e descobrir se oferecem descontos reais durante a Black Friday.

Início

A ferramenta Comparar Preços ajuda a perceber se os descontos anunciados em épocas como a Black Friday ou a Cyber Monday são boas oportunidades de compra. Esta ferramenta de pesquisa regista a evolução dos preços dos produtos nas lojas online ao longo dos últimos dias, para aconselhar ou não a sua compra. Basta pesquisar o nome da loja e do produto, ou, mais simples ainda, inserir na caixa “Pesquisa pelo URL” o link completo do produto tal como surge na loja online. O resultado devolvido é um semáforo com três cores e significados diferentes, baseados no histórico de preços dos últimos 7 e 30 dias:
  • verde, caso se trate de um bom negócio face ao histórico de preços do produto na loja pesquisada;
  • amarelo, para produtos cujos preços atuais exibam pouca diferença em relação aos 30 dias precedentes;
  • vermelho, quando a compra é desaconselhada porque o preço do produto já esteve mais baixo. 

O veredicto surge acompanhado por informação sobre a evolução dos preços registada nos últimos 7 dias, 1 mês e 3 meses.

Pesquisou um modelo específico de frigorífico à venda na Worten, mas não sabe se se trata de um bom preço. Hoje, o frigorífico americano HISENSE RS670N4HC2 custa € 699,99 e a Worten alega uma redução de preço, pois o frigorífico chegava aos € 749,99, a 18 de novembro. Mas se colar o link do produto na caixa de pesquisa do nosso Comparar Preços verifica que no dia 17 de novembro este mesmo produto esteve a € 599,99, o que é menos € 100 do que o preço atual. Por isso, a ferramenta alerta-o com um semáforo vermelho.

Please fill the source and the alt text

Frigorífico americano HISENSE RS670N4HC2 já esteve mais barato do que 749,99 euros.

 

Se ao usar a ferramenta obtiver um semáforo verde, significa que há de facto uma poupança. Foi o que nos aconteceu ao pesquisarmos pela máquina de lavar roupa Beko WTE7611BW, à venda na Worten, por 219,99 euros. A loja anuncia que o preço anterior era € 309,99 e esse preço vigorou há uns dias atrás. Comparativamente com as restantes lojas disponíveis, o preço continua a ser o mais baixo.

Please fill the source and the alt text 
Máquina de lavar roupa Beko WTE7611BW esteve a 309,99 euros, mas agora custa menos 90 euros.


Há casos em que o semáforo confirma a poupança, mas também indica que há lojas mais baratas. Um bom exemplo é o televisor Sony UHD 4K 49XG8096 de 124 cm. Na FNAC, tem o preço de € 599,99 e a cadeia indica uma redução de 200 euros, o que é verdade. Mas existem 2 lojas mais baratas, com preços entre € 588,57 e 589,99 euros.

Please fill the source and the alt text 
O televisor Sony UHD 4K 49XG8096 de 124 cm na FNAC tem um preço mais baixo, mas há lojas onde faz melhor negócio.

Informe-se antes de comprar

Antes de avançar para a compra, é aconselhável pesquisar sobre os produtos e confrontar os preços de várias lojas – uma tarefa facilitada pela ferramenta Comparar Preços. Clique nos separadores para ler outros conselhos úteis. Aceda também aos nossos comparadores para obter informação detalhada sobre o desempenho e avaliação de qualidade de diversos produtos em testes independentes.

A Black Friday traz consigo o anúncio de grandes descontos numa série de produtos.

Porém, por vezes esta propaganda não corresponde a verdadeiras oportunidades para fazer bons negócios. Em 2016 e 2015, por exemplo, detetámos vários casos de subida dos preços dias antes da Black Friday, por forma a simular promoções mais interessantes, mas enganosas para o consumidor. Em 2017 e 2018, continuámos a encontrar alguns exemplos, mesmo que inferiores a anos anteriores, de promoções enganosas na época da Black Friday e noutras de descontos.

Finte as estratégias para induzir a compra 

Na hora de comprar, a maioria dos consumidores age de forma instintiva e emocional. Os vendedores e as marcas sabem-no e recorrem a táticas que agem ao nível do subconsciente para os incitarem a optar por determinados produtos ou a decidir rapidamente, sem reflexão. Ter consciência das estratégias mais comuns ajuda a fazer escolhas mais racionais. Resumimos as principais conclusões de uma investigação sobre o assunto publicada na Which?, a revista da associação britânica de consumidores. 

Preço relativo

Muitas vezes, não temos a noção do preço habitual de determinado produto, pelo que acabamos por basear a avaliação na comparação com bens similares que se encontram na própria loja. Por isso, não é raro os comerciantes rodearem os produtos que pretendem vender de artigos semelhantes, uns muito caros, outros muito baratos. Os consumidores tendem a optar pelo meio-termo. Verifique nos nossos comparadores se o produto em destaque é efetivamente de qualidade e se o preço é justo. 

Pagamento faseado

Junto de produtos caros com a opção de pagamento em prestações, é frequente haver destaques com o valor a pagar por semana, mês ou ano. Segundo Richard Shotton, especialista nesta área, os consumidores são mais sensíveis ao valor do que ao prazo. Tendem a assumir inconscientemente que, por exemplo, seis pagamentos de 20 euros sai mais barato do que quatro de 30 euros. Não se foque apenas no montante proposto, mas verifique o prazo e o valor total da compra.

Rapidez e facilidade de pagamento

Ao usar o cartão de crédito ou de débito, o consumidor tem menos a noção de estar a desfazer-se do dinheiro, face a quem desembolsa as notas. Uma investigação de Gareth Harvey, professor universitário britânico de marketing e de psicologia do consumidor, revelou que o carrinho do supermercado de quem paga com cartão inclui mais “compras por impulso” do que o dos que usam “dinheiro vivo”. Este efeito parece amplificar-se nas compras online. 

Antes de clicar para concluir uma transação, pense duas vezes. Se precisa do produto, já pesquisou outros artigos do mesmo tipo? O preço é efetivamente interessante? Resista ao primeiro impulso.  

Ilusão de qualidade

Quando a escolha é grande, procuramos simplificar o processo, ligando o modo “instinto”. Segundo o investigador Gareth Harvey, para escolher um vinho, os consumidores tendem a optar por garrafas mais pesadas, pois associam o peso a qualidade; nos detergentes, parecem preferir produtos que se afiguram mais espessos, pois consideram essa textura um indicador de qualidade. As marcas observam os comportamentos para ir ao encontro daquilo que os consumidores valorizam. Harvey revela ainda que os preços elevados nem sempre têm um impacto negativo, já que caro é associado a qualidade. 

Mais caro não é sinónimo de melhor. A prová-lo estão os resultados dos nossos estudos comparativos nas mais diversas áreas: não é raro encontrarmos artigos baratos que igualam ou ultrapassam o desempenho de outros com preço mais elevado.

Conquistar consumidores indecisos

Se, num processo de compra online, abandonar um produto no cesto, nas horas seguintes será bombardeado com mensagens de incentivo à compra. A loja vai lembrar de que os produtos continuam no carrinho e que aquele preço excecional só estará disponível durante algumas horas, podendo mesmo propor-lhe um desconto ou isentá-lo das despesas de envio, entre outros argumentos de venda. 

Se interrompeu um processo de compra, provavelmente, o produto não é realmente importante para si. Não se deixe manipular pela insistência do comerciante, por ofertas aliciantes ou alertas de que é a “última oportunidade”.

Preparámos um dossiê especial dedicado à Black Friday para conseguir bons negócios. 

Ainda não tem conta no site? Registe-se para ter acesso ao dossiê especial Black Friday.

Registar