Notícias

Impacto ambiental dos detergentes da loiça deve melhorar

Os detergentes manuais são mais amigos do ambiente do que os destinados à máquina. Mas o chamado greenwashing continua a ser comum.

  • Dossiê técnico
  • Sílvia Menezes
  • Texto
  • Isabel Vasconcelos
13 abril 2021
  • Dossiê técnico
  • Sílvia Menezes
  • Texto
  • Isabel Vasconcelos
Senhora a lavar um prato no lava-loiça e com água a correr

iStock

As preocupações com o ambiente estão cada vez mais presentes na mente dos consumidores ao fazerem compras. Contudo, é frequente encontrar produtos que continuam a usar fórmulas com um elevado impacto ambiental. O recurso a ingredientes prejudiciais para o meio aquático, apesar de existirem alternativas menos danosas, é ainda comum. Mesmo assim, muitos detergentes incluem alegações ambientais que pouca importância têm.

Em conjunto com as associações de consumidores nossas congéneres de Espanha, Itália e Bélgica, testámos detergentes para lavagem da loiça: manuais e destinados à máquina. O objetivo foi descobrir o desempenho, mas também verificar quais as alegações ambientais que constam das embalagens, se são relevantes e se os produtos cumprem o que anunciam. No total, foram analisados 56 detergentes para a máquina e 59 para lavagem manual.

Conheça o nosso Portal Mais Sustentabilidade 

Muita informação que não interessa nos rótulos dos detergentes

Os símbolos e as alegações encontrados referem-se aos ingredientes — os mais comuns —, à embalagem, ao empenho ambiental da marca e ao bem-estar animal (os menos habituais). A verdade é que designações e alegações como “eco”, “renovável”, “biodegradável”, entre outras, não são necessariamente indicadoras de que o produto é bom para o ambiente ou que tem um baixo impacto. Por vezes, apenas se referem à possibilidade de reciclar a embalagem, o que não é uma novidade para o consumidor. Seria preferível que todas as embalagens fossem produzidas com material 100% reciclado, cartão ou plástico. A verdade é que os símbolos e as alegações ambientais sem fundamento - o chamado greenwashing – continuam a ser comuns.

Dos símbolos encontrados, só o Ecolabel é uma certificação com maiores exigências ambientais e elevado controlo, sendo, por isso, uma das mais confiáveis. Contudo, na próxima revisão, algumas substâncias atualmente permitidas devem deixar de o ser. No nosso teste, só três detergentes manuais e quatro para a máquina ostentavam o símbolo em causa. Mesmo no total dos 115 produtos dos quatro países, não são mais de 14 detergentes. Já quanto a outros símbolos e alegações, a maioria pouco interesse tem, além de não significarem que o produto é mais amigo do ambiente.

 
Os produtos com este símbolo cumprem uma série de requisitos ambientais nas várias fases do seu ciclo de vida, incluindo a produção.
 
 
Este logo apresenta dicas de poupança de água e energia, o que é útil, mas não comprova a qualidade ambiental do produto.
 
 
Não é uma certificação nem atesta o bom desempenho ambiental do detergente.
Nem todas as alegações existentes nos rótulos são indicadoras de que estamos perante um produto que tem um baixo impacto no ambiente. Referir que uma embalagem é reciclável ou que o detergente não tem fosfatos é enganador. A reciclagem só ocorre se o consumidor depositar a embalagem no ecoponto correto. A mais-valia ambiental passa pelo uso de materiais reciclados, na produção da embalagem, o que é ainda pouco comum. Já referir que o detergente não tem fosfatos é enganador, pois o seu uso não é permitido há bastante tempo. Mesmo assim, muitas marcas continuam a usar estas expressões.
 
Fairy 0% Perfume y Colorante e Continente Detergente Loiça Manual Limão referem que a totalidade ou parte da embalagem é feita com plástico reciclado. Esta é uma informação interessante.
 
 
No Ultra Pro Detergente Loiça Concentrado Oceano (Pingo Doce) o atributo ambiental destacado chama a atenção para a embalagem, mas o produto contém químicos prejudiciais para o ambiente.
 
 
O Finish Powerball 0% e o Sun All-in-1 referem tratar-se de embalagens recicláveis. Mas tem mais valor o uso de embalagens feitas de materiais 100% reciclados.
 
 
A expressão "sem fosfatos", referida em 16 dos 56 produtos, apenas realça um atributo que decorre da aplicação da lei: os fosfatos são proibidos desde 2017.

 

Poucos detergentes são amigos do ambiente

Para avaliar o impacto ambiental dos detergentes, realizámos várias análises. Começámos por procurar a lista de ingredientes que, por lei, deve ser disponibilizada a todos os consumidores. Constatámos que algumas marcas não facultam esta informação nos sites e que outras, quando o fazem, a têm desatualizada.

Analisámos as substâncias incorporadas nos detergentes sob o ponto de vista da toxicidade para o meio aquático: onde os químicos das lavagens vão parar. Cada substância foi avaliada com base nas informações disponibilizadas pela Agência Europeia dos Produtos Químicos (ECHA) e outros organismos que estudam o impacto dos químicos na saúde humana e no ambiente. O número de ingredientes totais que podemos atualmente encontrar nos detergentes para a loiça está compreendido entre oito e 35. Alguns produtos são um catálogo de substâncias não essenciais e com reconhecido impacto no ecossistema aquático. A prova está na avaliação do impacto ambiental obtida pelos detergentes.

 
Dos 56 detergentes para a máquina analisados, só 35% revelaram um baixo impacto
ambiental, recompensado com quatro ou cinco estrelas.
 
 
Dos 59 detergentes manuais analisados, mais de metade (56%) tem quatro ou cinco estrelas no impacto ambiental, o que mostra que as fórmulas e embalagens destes produtos são menos prejudiciais.

É urgente fiscalizar as alegações usadas

Os resultados deste estudo são reveladores de que os consumidores não podem guiar-se pelas alegações dos rótulos, dado que muitas são meros argumentos de venda, para fazer crer que os produtos não são prejudiciais para o ambiente. Em conjunto com outras associações de consumidores, defendemos a supressão de todas as alegações ambientais sem fundamentação científica, parciais ou que explorem a eventual falta de conhecimento sobre a matéria ou as preocupações dos consumidores com o ambiente. Tal só será possível adotando metodologias que permitam a avaliação de logos, para determinar se são fiáveis. Uma tarefa árdua, porque pode implicar tanto os ingredientes como a embalagem, o bem-estar animal, certas substâncias ou conselhos para reduzir o impacto ambiental dos nossos hábitos de lavagem.

Por enquanto, se pensa no ambiente, opte pelos produtos com o nosso título de Escolha Verde. Para determinar os que merecem este selo, analisamos o desempenho ambiental, que se reflete em 20% da Qualidade Global. O fator mais importante é a composição (ingredientes usados), com um peso de 75%, seguido da embalagem (20%) e da certificação Ecolabel (5 por cento). Só com este título terá a certeza de comprar um produto com bom desempenho e baixo impacto no ambiente.

CLEAN Aproved by Tomorrow - Euroconsumers

União Europeia

Este projeto foi financiado pelo Programa Europeu para os Consumidores. O conteúdo desta publicação representa apenas a opinião do(s) autor(es) e é da sua inteira responsabilidade. A Comissão Europeia não aceita qualquer responsabilidade pelo uso que possa ser feito da informação nele contida.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.