Notícias

Bitcoin e outras moedas virtuais: o que são, como funcionam e como usar

A bitcoin é uma moeda virtual que circula à margem das instituições bancárias. Não tem um banco central nem uma política monetária, mas move milhões e bate recordes de valorização. Recentemente, El Salvador fez história ao adotar a bitcoin como moeda oficial. Saiba como funciona esta criptomoeda.

  • Dossiê técnico
  • André Gouveia
  • Texto
  • Maria João Amorim
04 outubro 2021
  • Dossiê técnico
  • André Gouveia
  • Texto
  • Maria João Amorim
Bitcoin

iStock

Chegou, viu e valorizou para máximos estratosféricos. A bitcoin, a moeda digital que circula à margem dos bancos, é sinónimo de valorizações estonteantes. Partindo literalmente do zero quando foi criada, em 2009, iniciou uma escalada impressionante no rescaldo da crise financeira dessa altura que a levou a atingir quase 20 mil dólares em 2017, perdendo depois a maior parte do seu valor. No quarto trimestre de 2020, os olhos dos investidores voltaram a abrir-se de espanto. A bitcoin começou a galgar no final de outubro, quadruplicou de valor em poucos meses, e depois perdeu quase metade do valor em poucas semanas. Este ano, em março, ultrapassou a impressionante fasquia dos 60 mil dólares, mantendo-se agora no patamar dos 40 mil dólares.

Recentemente, El Salvador, na América Central, reconheceu oficialmente a bitcoin como divisa. É o primeiro país no mundo a fazê-lo. A popular criptomoeda é, desde 7 de setembro, aceite em todos os pagamentos no país. O governo diz que está a haver uma adesão significativa à carteira de bitcoin que criou, tendo esta, afirma o executivo salvadorenho, já mais utilizadores do que o banco do país com mais clientes. A carteira é uma app gratuita e o governo atribui 30 dólares em bitcoins a quem a descarregue. Há, no entanto, relatos de problemas técnicos e de protestos por parte da população. No curto espaço de tempo desde que foi adotada como moeda oficial, a bitcoin perdeu cerca de 10% contra o dólar, que tem sido a divisa oficial de El Salvador desde 2001 e permanecerá com curso legal.

Como funciona a bitcoin

Veja neste vídeo como funcionam as moedas virtuais e de que forma pode converter em euros a mais famosa delas todas, a bitcoin.

 

Sendo digital, é fácil de transferir. E, uma vez que a sua emissão e transmissão dependem de um complexo processo de autenticação, a famosa blockchain, tecnologia criada para tirar partido dos avanços da encriptação de dados (criptografia), é muito difícil de falsificar. 

Mas cumpre as funções de uma moeda? Em teoria, sim. Na prática, não. Ou ainda não. O número de agentes económicos que a aceitam ainda é limitado. E faltam leis que regulem as transações e taxem os lucros.

Reconhecemos o potencial revolucionário da blockchain, mas temos defendido que o investimento na bitcoin, um ativo altamente volátil, é sobretudo motivado pela especulação, com todos os riscos que daí advêm. Os surtos de grandes ganhos são aliciantes, mas deve gerir o risco e não investir capital que não possa perder.

Os reguladores, o Banco de Portugal e a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) advertem os utilizadores para os muitos riscos que incorrem ao investirem em criptomoedas e na falta de "rede" caso o investimento se revele desastroso.

Dúvidas? Muitas, seguramente. Explore as análises completas às criptomoedas e os conselhos da equipa financeira da PROTESTE INVESTE.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.