última atualização: 14/12/2021

Substituição caldeira mural a gás propano

Bom dia 

Adquiri um apartamento, com 20 anos, que tem uma caldeira mural a gás propano para aquecimento das águas sanitárias e para o aquecimento central. 

Infelizmente os radiadores não funcionam e fui aconselhada a substituir a caldeira tendo em conta o consumo do gás apenas para aquecimento das águas. 

Assim, gostaria de saber a vossa opinião relativamente a qual o melhor equipamento para o aquecimento da água: esquentador ou termoacumulador (normal? Híbrido? ) Tenho preferência por deixar de ter gás em casa e tenho dúvidas relativamente a qual o tipo de termoacumulador mais aconselhável. 

Agradeço desde já a v. ajuda

User name

Junte-se a esta conversa

Participe nesta conversa, deixando o seu comentário ou questão em Aquecer água da comunidade Energias Renováveis

1 Comentários

Filtrar por :
Faça login para aceder a este conteúdo. 
14/12/2021

Bom dia,

Com a utilização de um esquentador ou caldeira, tem um aquecimento das AQS de forma instantânea e sempre constante, ao contrário de um termoacumulador em que pode ter momentos sem água quente, caso tenha sido consumido todo o volume previamente aquecido.

Deverá também ter em atenção que um termoacumulador implica um consumo adicional de eletricidade e pode acontecer quando o mesmo está a aquecer não ter potência disponível para outros consumos elétricos. Sendo assim deve verificar qual a potência máxima admissível da sua instalação elétrica junto da E-redes.  Se por exemplo for 3,45KVA (15Amperes), poderá ser complicado, pois quando o termocumulador está a funcionar irá consumir cerca de 7 Amperes, ou seja sensivelmente metade da potência contratada.

Por outro lado o aquecimento das AQS por termoacumulador é uma solução pouco eficiente e se desejar utilizar a eletricidade deve optar por um termoacumulador hibrido.

Veja o seguinte artigo: https://www.deco.proteste.pt/casa-energia/aquecimento/noticias/ariston-lydos-hybrid-inova-e-poupa-a-aquecer-agua

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis