Dossiês

Peixe: conselhos para comprar e conservar

08 junho 2020
Peixe: conselhos para comprar e conservar

O peixe deve ser comprado fresco ou congelado? E é preferível selvagem ou de aquicultura? Veja as nossas sugestões para comprar peixe.

Como comprar peixe

Seja para comprar peixe fresco ou congelado, há características que mostram se está a fazer uma boa compra. 

Características do peixe fresco

  • cheiro suave, a maresia. Recuse o peixe se este apresentar um cheiro demasiado intenso ou a amoníaco;
  • pele com uma pigmentação viva e brilhante, sem descoloração. Com o decorrer do tempo tem tendência a ficar baça e as escamas desprendem-se facilmente;
  • olhos salientes, a córnea transparente e a pupila negra brilhante. Se os olhos estiverem côncavos, a córnea opaca e a pupila acinzentada, o peixe já não estará nas melhores condições;
  • guelras avermelhadas, brilhantes e sem muco. Ao longo do tempo ficam amarelas e com muco leitoso;
  • carne firme e elástica. Pouco a pouco amolece e perde elasticidade, ficando avermelhada junto à coluna vertebral;
  • a coluna vertebral do peixe quebra-se em vez de despegar;
  • a membrana que cobre a parede abdominal adere totalmente.

 

Características do peixe congelado

  • a embalagem deve estar hermeticamente fechada, para se evitarem contaminações, deterioração ou desidratação do pescado;
  • os rótulos devem conter informações sobre a denominação comercial da espécie, o método de produção (peixe selvagem ou de aquicultura), a zona de captura, a data de validade, o nome e a morada do produtor ou outro comerciante, o peso líquido escorrido (que deve excluir a massa de vidrado), a identificação do lote precedido da letra "L" (quando, na data de validade, não aparecer o dia e o mês), as condições de conservação, a lista de ingredientes (quando há mais do que um) e o modo de utilização (se a sua omissão não permitir o seu uso adequado);
  • a embalagem não deve ter gelo solto. Se tal acontecer, isso significa que houve variações significativas de temperatura, desde que o produto foi embalado até chegar às mãos do consumidor. O peixe pode já não estar nas melhores condições;
  • o peixe deve ter a cor característica da espécie e estar envolto numa camada de gelo fina e homogénea. Seja embalado inteiro, seja em postas ou filetes, as extremidades não devem estar secas nem amareladas, pois poderão ser sinais de desidratação;
  • tente não comprar pescado excessivamente vidrado;
  • o compartimento onde o peixe está exposto para venda deve ter um termómetro a indicar a temperatura (que deve manter-se constante, no mínimo, a -18ºC);
  • o peixe, tal como qualquer outro congelado, deve ser o último a ser adquirido. Além disso, convém transportá-lo num saco isotérmico e colocá-lo no frigorífico ou no congelador, logo que chegar a casa (depende se pretender confecionar o peixe de seguida ou guardá-lo durante mais tempo).

O peixe de aquicultura é menos nutritivo?

A qualidade nutricional dos produtos de aquicultura depende, essencialmente, da composição do alimento dado aos peixes, em particular nas fases de engorda e acabamento.

A rações administradas têm farinhas e óleos de peixe, proporcionando um alimento com boa qualidade de proteínas e lípidos e com boa proporção de ácidos gordos do tipo ómega 3.

De um modo geral, a ingestão de 150 g de peixe de aquicultura contribui com um teor de ácidos gordos ómega 3 EPA e DHA superior à dose diária recomendada na prevenção da doença cardiovascular (500 mg).

O consumo de produtos de aquicultura é recomendado, não só porque as características nutricionais e sensoriais o tornam interessante para fazer refeições, mas também porque já existe alguma diversidade de espécies que pode contribuir para uma alimentação diversificada e mais barata.