Notícias

TikTok promete alinhar práticas comerciais com regras da União Europeia

Os compromissos assumidos, que visam melhorar a proteção dos consumidores no TikTok, serão acompanhados a partir deste ano. Saiba quais as questões que suscitam maior preocupação e como garantir a publicidade leal para as crianças em redes sociais.

10 agosto 2022
tiktok

iStock

A Comissão Europeia — em conjunto com outras autoridades — dialogou com a aplicação TikTok para que esta avaliasse as suas práticas e políticas comerciais. As conversações foram motivadas por um alerta lançado pelo Gabinete Europeu das Uniões de Consumidores (BEUC), sobre a violação dos direitos dos consumidores, em fevereiro de 2021.

As questões mais preocupantes são relativas a marketing oculto, a técnicas publicitárias agressivas que se dirigem a crianças e a algumas condições contratuais que podem enganar e confundir os consumidores. 

O TikTok comprometeu-se, assim, a alinhar as suas práticas com as regras da União Europeia sobre publicidade e defesa do consumidor, nomeadamente:

  • ser possível denunciar anúncios e ofertas que possam enganar crianças na compra de bens ou serviços;
  • proibir a promoção de certos produtos e serviços, por exemplo, álcool ou tabaco;
  • garantir que os conteúdos dos utilizadores com mais de 10 mil seguidores são apropriados, através de uma revisão dos seus vídeos;
  • identificar os vídeos com publicidade paga.

5 princípios sobre publicidade leal para crianças

As técnicas de publicidade e marketing devem ter em conta os seguintes princípios:

  • as vulnerabilidades das crianças devem ser tidas em conta na conceção de técnicas de publicidade ou de marketing acessíveis às crianças. Os prestadores de serviços online não podem operar de forma a enganar ou a influenciar as crianças indevidamente. A utilização de certas técnicas de marketing (por exemplo, comercialização personalizada) pode ser considerada inadequada face às vulnerabilidades deste público;
  • a especial vulnerabilidade das crianças, consoante a idade ou a credulidade, não pode ser explorada;
  • se os conteúdos publicitários gerais se dirigirem igualmente a crianças, ou se forem suscetíveis de serem vistos pelas mesmas, o objetivo de marketing deve ser indicado de uma forma clara e adequada para os mais novos;
  • as crianças não devem ser visadas, incentivadas ou motivadas para adquirirem conteúdos integradas numa aplicação ou num jogo. A comercialização gratuita dos mesmos não deve implicar compras integradas para serem desfrutados de forma satisfatória;
  • as crianças não devem ter um perfil publicitário.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.