Notícias

Samsung Galaxy S10: as principais inovações

Além do ângulo ultra-amplo para fotografia e do novo sensor de impressão digital, os novos S10 não são muito diferentes dos S9. Ainda assim, os S10 receberam um upgrade que os coloca no topo da nossa avaliação.

  • Dossiê técnico
  • João Miguens e Sofia Costa
  • Texto
  • Bruno Miguel Dias e Filipa Nunes
29 abril 2019
  • Dossiê técnico
  • João Miguens e Sofia Costa
  • Texto
  • Bruno Miguel Dias e Filipa Nunes
samsung s10

iStock

A Samsung lançou recentemente a décima versão da série Galaxy S. O novo modelo da marca coreana chegou a Portugal com três versões: S10e, S10 e S10+. Nos testes que realizámos, o Samsung Galaxy S10+ superou o Galaxy Note 9. Os novos modelos destacam-se sobretudo na qualidade do ecrã, desempenho e qualidade fotográfica.

Uma das novidades destes modelos é a capacidade de armazenamento, que começa nos 128 GB, tem versões de 512 GB para o S10 e S10+ e vai até 1 TB  para o S10+, com o preço a disparar para os 1639 euros. 

Em termos de design, o topo de gama da Samsung continua a primar pela elegância e qualidade dos materiais, com a  moldura do ecrã  muito  fina. O ecrã apresenta 5,8”, no caso do S10e (Full HD+), 6,1” para o S10, e 6,4 para o S10+, ambos com resolução "Quad HD+".

Câmara fotográfica continua a ser um destaque

A câmara frontal dos S10 está alojada perto do canto superior direito do ecrã, encrustada no seu interior. No caso do Galaxy S10+, uma segunda câmara frontal fornece informações de profundidade para selfies com efeito bokeh, ao contrário do S10e e do S10, que criam esse efeito de profundidade através do software.

Outra novidade é a inclusão de uma nova objetiva  de ângulo ultra-amplo, que permite que ainda mais elementos sejam incluídos no plano. No S10e, aquela está junto à objetiva principal, enquanto nos outros modelos existe também uma teleobjetiva de zoom ótico de 2x.

No vídeo, a Samsung parece querer substituir a Go Pro, equipando os novos modelos com uma estabilização "super steady", que combina com as imagens dos sensores traseiros.

A qualidade de vídeo e fotografia é elevada. Com estes aparelhos também é possível obter boas fotografias, mesmo em condições de luz fraca.

Um novo sensor de impressão digital

Com o lançamento dos S10, a Samsung abandona o sensor de íris presente nos modelos anteriores e aposta num sensor de impressão digital ultrassónico (utiliza sinais sonoros inaudíveis de elevada frequência), integrado no ecrã  do S10 e do S10+. Os elogios a esta opção têm sido muitos: consegue  funcionar mesmo em condições extremas de temperatura ou com dedos molhados, e é mais seguro. Mas já foi demonstrado que o sensor pode ser enganado com uma impressão 3D da impressão digital. Concluímos em laboratório que funciona muito bem, embora seja um pouco mais lento do que o leitor de impressões digitais do seu antecessor.

O S10e tem  um sensor de impressão digital mais tradicional, integrado no botão de energia na borda direita do equipamento. A posição não é perfeita, mas funciona bem, embora às vezes seja um pouco lento. Este modelo também não dispõe do leitor de frequência cardíaca, à semelhança do que acontece com os outros dois modelos, em que este está localizado junto às câmaras traseiras. 

Destaque ainda para o desbloqueio facial que, em qualquer um dos modelos, com algum esforço e engenho, pode ser contornado.

Os modelos do S10 e S10+ são entregues com um protetor de plástico colocado no dispositivo que, além de melhorar a proteção, é compatível com o sensor ultrassónico, o que não acontece com os protetores de vidro temperado normais que interferem com o funcionamento do leitor de impressões digitais. Os três modelos revelaram serem resistentes: passaram os exigentes testes de impacto e submersão a que foram submetidos sem danos relevantes. 

Outro dos pontos fortes dos novos S10 é a sua excelente autonomia, superior à média.  A bateria do S10e tem capacidade de 3100mAh e durou 26,5 horas no nosso cenário de teste com o brilho no máximo. A do S10 tem capacidade de 3400mAh e durou 27,5 horas, e a do S10+ tem capacidade de 4100mAh e durou 32,5 horas.

A conetividade móvel é muito boa, com tecnologia 4G com velocidade máxima de download 2Gbit/s e Wi-Fi 6, a nova tecnologia de redes wireless que oferece mais velocidade e segurança.

As inovações em comparação com o S9

Além do ângulo ultra-amplo e do novo sensor de impressão digital, a ficha técnica do novo S10 não é muito diferente da do S9. Os três modelos do S10  mantêm a entrada (jack 3,5mm) para auriculares, o que é uma boa notícia face à concorrência. O destaque vai para a capacidade de armazenamento, a partir de 128 GB até 1 TB para o S10+. A memória interna é expansível em 512 GB com um cartão microSD e, além disso, a porta do cartão de memória é híbrida, pois pode também receber um segundo cartão SIM.

Tal como o Huawei Pro20, o S10 pode carregar a bateria de outros dispositivos sem fios, como os novos auriculares sem fios Galaxy Buds ou o Galaxy Watch, bastando colocá-los na parte de trás do smartphone.

 

Este artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais se for indicada a fonte e contiver uma ligação para esta página. Ver Termos e Condições.