Notícias

Black Friday: fez mesmo um bom negócio?

03 dezembro 2015 Arquivado

03 dezembro 2015 Arquivado

Investigámos os preços de 1862 produtos nas lojas online Box Jumbo, El Corte Inglés, Fnac, Phone House, Radio Popular, Staples e Worten, antes e durante o período de descontos. Antes da Black Friday, algumas subiram, em média, o preço de 10% dos produtos analisados. 

Depois de recebermos várias queixas dos consumidores relativamente ao aumento dos preços dos produtos em vésperas de épocas de descontos ou saldos, analisámos 1862 produtos de algumas lojas online. 

Na Worten, Radio Popular e Fnac, o preço na Black Friday era superior ao praticado nos 10 dias anteriores. Encontrámos casos em que o desconto anunciado era mais baixo do que o real nestas 3 lojas, mas também no El Corte Inglés e na Phone House. Na Box Jumbo e na Staples não verificámos irregularidades. 

Esta manipulação de preços não se encontra generalizada, mas 1 em cada 20 produtos com descontos anunciados na Black Friday viola a Lei das Práticas Comerciais Desleais e ainda a Lei dos Saldos e das Promoções. Ou seja, pode levar o consumidor a comprar um produto por acreditar que está a poupar, quando, na verdade, não está. 

Para o ajudar a fugir a estas estratégias de descontos simulados, disponibilizamos uma ferramenta para comparar a qualidade e os preços de diferentes produtos. Estes comparadores também já se encontram em versão mobile, o que facilita a pesquisa quando está na loja.  

Subidas de preço até 700 euros
Analisámos os preços anunciados e a sua variação em 7 lojas online (Box Jumbo, El Corte Inglés, Fnac, Phone House, Radio Popular, Staples e Worten). Destacamos três produtos na Worten e na Radio Popular que viram o seu preço subir drasticamente uns dias antes da Black Friday.  

O televisor LG 55UF770V da Worten registou um aumento de 60% uns dias antes da Black Friday. O preço inicial era de € 1099, subiu para € 1799 e na Black Friday foi vendido a 1439,20 euros.

O televisor LG 32LF5610 na Radio Popular custava € 319,99 a 16 de novembro, mas nos dias seguintes apresentava um preço de 399,99 euros. Na Black Friday, o mesmo televisor custava 359,99 euros. Portanto, o preço do televisor subiu cerca de € 80, para descer quase € 40 na Black Friday. Analisando os preços, ganhava mais em comprar a 16 de novembro.  

Já na Worten, destacamos o smartphone Samsung Galaxy S4 que viu o seu preço aumentar € 100 a 24 de novembro. Na Black Friday, três dias depois, tinha um desconto de apenas 80,99 euros.

Já denunciamos o caso à ASAE (Autoridade de Segurança Alimentar e Económica) e à Direção-Geral do Consumidor, solicitando que estas sancionem as empresas em causa. As coimas podem chegar aos € 45.000 por cada caso denunciado.  

Além das denúncias, já reivindicámos junto do Ministério da Economia:

  • as lojas tradicionais devem indicar o preço mínimo praticado nos 30 dias anteriores ao desconto, a funcionar como “preço de referência”;
  • as lojas online devem apresentar de forma gráfica a variação dos preços praticados nos últimos 30 dias.