Dicas

Como comprar online sem vender a segurança

Compre novas peças de roupa ou livre-se das que estão a ocupar espaço no armário. Mas tenha atenção às fraudes, às burlas e ao phishing. Saiba como se proteger.

27 dezembro 2022
Mãos seguram um cartão de crédito e escrevem num portátil

iStock

A internet veio facilitar a forma como as pessoas compram e vendem produtos. Com pouco esforço, consegue comprar aqueles sapatos que sempre quis ou vender aquela velha camisola que está há anos a ocupar espaço no roupeiro.

Apesar de existirem muitas vantagens em efetuar compras e vendas online, pode também deparar-se com muitos perigos que minam a sua segurança. Ano após ano, existem cada vez mais denúncias de cibercrimes, sendo os mais comuns as fraudes, as burlas e o phishing. É importante adotar alguns cuidados de segurança para combater os riscos.

A DECO PROTESTE lançou uma ferramenta que ajuda os consumidores a avaliarem se um site tem phishing, malware, vírus e outras ameaças digitais antes de clicarem na página.

DESCUBRA SE O SITE É SEGURO

Crie um e-mail exclusivo para compras online

Com um e-mail dedicado apenas às compras na internet, não precisa de se preocupar com ter a caixa de entrada entupida com anúncios indesejados das lojas online que visitou. 

Ao utilizar um e-mail exclusivo, pode detetar mais facilmente quais os e-mails fraudulentos (por exemplo, com falsas promoções) que lhe vão parar à sua conta pessoal.

Prefira cartões temporários e virtuais para efetuar pagamentos

Para não correr o risco de comprometer os dados associados ao seu cartão bancário, pode optar por cartões temporários e virtuais para fazer compras online. Atribua ao cartão apenas o montante necessário para o produto que deseja comprar. 

Em regra, estes cartões são de utilização única ou exclusiva para um único comerciante. Desta forma, se o seu cartão temporário for roubado, o dinheiro retirado da sua conta bancária está limitado ao valor que estipulou no cartão.

Utilizar cartões que necessitam de autenticação complementar para autorizar os pagamentos, como os que têm o serviço 3DSecure, em sites com sistemas de segurança adicional (por exemplo, o sistema Verified by Visa) também aumenta a segurança das transações. 

Com este sistema de autenticação, precisa de, no mínimo, dois elementos distintos. Atualmente, o método de autenticação mais utilizado em complemento aos dados do cartão é a autorização na aplicação do banco.

Confirme que só faz negócios com vendedores de confiança

Quer esteja a comprar um produto a uma loja virtual ou a uma pessoa, deve sempre garantir a legitimidade da entidade que está a vender, para evitar surpresas desagradáveis. Detete qualquer atividade da outra parte que lhe pareça suspeita e aprenda a identificar se os vendedores são seguros

A maioria das plataformas permite visualizar as opiniões que os demais compradores têm de cada vendedor. Não ignore essa informação, que pode ser um bom indício de um vendedor menos seguro.

Uma forma de garantir que a loja online é segura pode ser verificar se o endereço começa por “https://” ou se o mesmo tem um cadeado que o antecede. Nunca insira dados bancários num site que não cumpra esses requisitos, nem aceda a sites por links enviados por e-mail ou SMS. Opte sempre por digitar o endereço na respetiva barra.

Suspeite de ofertas demasiado sedutoras

Desconfie de ofertas que anunciam preços demasiado baixos ou promoções extremamente atrativas. Deve ficar alerta para produtos com um valor muito abaixo do preço de mercado, pois pode tratar-se de fraude.

Não se deixe enganar por vendedores que pressionem a venda com questões pessoais, como doença ou desemprego, por exemplo. Essa pode ser uma armadilha para tornar a transação mais rápida, sem dar ao comprador tempo para ponderar a aquisição.

Desconfie de e-mails que pedem dados bancários adicionais

Existem criminosos que enviam e-mails falsos, com o aspeto de uma loja oficial, para lhe conseguirem usurpar dados bancários ou privados. 

Nenhum banco solicita dados de cartões ou de autenticação nos canais digitais por e-mail. Nem as lojas necessitam dessa informação adicional por e-mail. A isto chama-se phishing

Em regra, estas mensagens contêm um link que, ao clicar, transfere malware para o seu dispositivo. Esteja munido com os conselhos da DECO PROTESTE para evitar fraudes de phishing e de pharming. Não deve partilhar, em nenhuma circunstância, os seus dados pessoais e confidenciais.

Tente não utilizar redes partilhadas ou públicas para aceder aos seus dados bancários, nem para autorizar pagamentos de compras. Prefira ligações à internet privadas e mantenha um antivírus atualizado.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.