Notícias

Eletrodomésticos têm nova etiqueta energética

Duas etiquetas diferentes na embalagem: é engano?

Não é engano. Desde novembro de 2020 que alguns fornecedores incluem na embalagem de alguns eletrodomésticos a nova etiqueta energética, além da que estava em vigor.

Máquinas de lavar loiça, máquinas de lavar roupa e máquinas combinadas de lavar e secar roupa, assim como aparelhos de refrigeração, incluindo aparelhos de armazenagem de vinhos, televisores e ecrãs eletrónicos, são os eletrodomésticos já abrangidos pela nova etiquetagem, que é obrigatória desde 1 de março de 2021. A estes eletrodomésticos juntaram-se as lâmpadas, que desde 1 de setembro também já podem ostentar a nova etiqueta.

Ao adquirir equipamentos novos das categorias acima referidas, poderá encontrar no interior da embalagem duas etiquetas energéticas: a antiga e a nova. As etiquetas diferem em formato e grafismo, mas também nas metodologias de cálculo das classes energéticas dos produtos, sendo as metodologias da nova etiqueta mais exigentes. Como tal, as classes energéticas apresentadas numa e noutra etiqueta serão diferentes. Na nova, a classe de eficiência será inferior.

Para saber o que mudou, aceda à página inicial deste artigo. Pode também consultar a página do projeto LABEL2020 sobre a nova etiqueta energética.

Disponibilizamos, no anexo, o panfleto que irá ser distribuído nesta fase de transição aos consumidores juntamente com os equipamentos, na loja ou na entrega do novo eletrodoméstico. Este documento, que pode descarregar, visa apoiar e esclarecer eventuais dúvidas que possam surgir ao ver as duas etiquetas na embalagem, com classes energéticas diferentes. É uma iniciativa conjunta dos projetos BELT e LABEL2020. 


O projeto recebeu financiamento através do programa de investigação e desenvolvimento “Horizon 2020”, sob o contrato de subvenção nº847043 e 847062. Nem a EASME nem a Comissão Europeia são responsáveis pela informação veiculada nem pela utilização das informações contidas na mesma.