Notícias

Eletrodomésticos têm nova etiqueta energética

10 questões sobre a nova etiqueta

Para ajudar a esclarecer dúvidas que os consumidores possam ter sobre a nova etiqueta energética, respondemos às dez questões que nos parecem ser mais comuns.

Porque é que alguns produtos ainda possuem as classes “+”?

Atualmente, existem 15 grupos de produtos com etiqueta energética. Contudo, a mudança para a nova etiqueta irá ocorrer de forma gradual. Durante 2021, apenas cinco grupos de produtos terão a nova etiqueta: máquinas de lavar loiça; máquinas de lavar roupa (incluindo as de lavar e secar); frigoríficos e arcas congeladoras (incluindo as arcas de vinhos); televisores e ecrãs; e lâmpadas (a partir de setembro). Para os restantes grupos de produtos, a etiqueta energética será progressivamente mudada nos próximos anos, para que as classes possam ir de A a G. Mesmo para estes cinco grupos de produtos, ainda poderá encontrar alguns com a etiqueta antiga (com "+"), durante 2021. Tal é permitido para os produtos que serão descontinuados e que podem ainda ser vendidos até 30 de novembro de 2021 com as etiquetas antigas. Já as lâmpadas poderão ser vendidas com a etiqueta antiga até 28 de fevereiro de 2023, por terem um período de transição mais longo.

Posso comparar o desempenho de produtos com a antiga etiqueta e com a nova?

Não é possível estabelecer uma correspondência precisa entre as informações apresentadas na antiga e na nova etiqueta energética. Tudo porque os procedimentos de ensaio foram revistos e podem implicar diferentes ciclos de operação e de ensaio e, como tal, diferentes consumos. Contudo, continua a ser possível comparar produtos com a mesma geração de etiqueta e desde que tenham as mesmas especificações técnicas.

Como são calculadas as diferentes classes energéticas?

A nova etiqueta energética atualizou os procedimentos de teste e algoritmos de cálculo para acompanhar a evolução tecnológica dos produtos. Estes são testados em condições laboratoriais controladas e medem-se vários parâmetros: dimensões, capacidade, consumos, etc. Os valores obtidos irão permitir calcular um índice de eficiência energética que será traduzido numa classe.

Ao optar por um equipamento de classe superior quanto vou poupar?

Quanto mais elevada for a classe de eficiência de energética de um aparelho, menor será o seu consumo anual, nas condições de ensaio da etiqueta. Contudo, as poupanças energéticas mudam entre as diferentes categorias de produtos. Consulte várias etiquetas de uma mesma categoria, para comparar e escolher o produto mais eficiente e económico.

Que informações adicionais poderão ser consultadas nas novas etiquetas?

Dependendo do produto, as etiquetas energéticas apresentam, além do consumo de eletricidade, outras informações com recurso a pictogramas, para comparar produtos e realizar uma escolha mais informada. É o caso da água utilizada por ciclo de lavagem, volume, capacidade e ruído emitido. Um novo elemento da nova etiqueta é o código QR através do qual os consumidores poderão aceder à Base de Dados de Produto Europeia para Etiquetagem Energética (EPREL), que disponibiliza informações oficiais adicionais.

Porquê alterar a escala da etiqueta, para todos os produtos, de "A a G"?

Para que o consumidor faça boas escolhas, precisa de mais e melhor informação. A revisão da etiqueta energética teve como objetivo regressar a uma ferramenta mais simples: a escala de eficiência de “A a G”, que é bem compreendida pelos consumidores.

O novo reescalonamento significa que os produtos são menos eficientes?

Não. É importante sublinhar que, embora as classes na nova etiqueta sejam diferentes, o desempenho energético do produto é o mesmo. É apenas a classificação do produto que muda, ou seja, a letra na etiqueta. A diferença deve-se à forma como os produtos são testados e avaliados para a nova etiqueta face aos testes da versão antiga.

Vai haver produtos com a classe A, na nova etiqueta?

Sim, embora a classificação de A a G seja revista periodicamente, para acompanhar a evolução tecnológica. Ou seja, haverá um novo processo de reescalonamento quando existir um número significativo de produtos nas duas classes mais eficientes: 30% na classe A ou 50% em ambas as classes A e B e sejam expectáveis novos desenvolvimentos tecnológicos.

Existe alguma correspondência entre a etiqueta energética antiga e a nova etiqueta energética?

Não é possível estabelecer uma correspondência precisa entre as informações das duas etiquetas, pois, para a nova, foram usados novos e mais rigorosos métodos de teste e de cálculo do índice de eficiência energética. Daí que um produto com a classe A+++ possa ser reescalonado para um C e outro para uma classe D, mesmo dentro da mesma categoria de produto.

As novas etiquetas são obrigatórias apenas para novos modelos de produtos ou para todos?

As novas etiquetas são obrigatórias para todos os modelos, existentes e novos, para as categorias incluídas nesta primeira vaga. Há exceções para os aparelhos que sejam descontinuados. No caso dos aparelhos de refrigeração, armazenagem de vinho, máquinas de lavar roupa (incluindo as de lavar e secar), máquinas de lavar loiça, televisores e ecrãs que sejam descontinuados, podem ser vendidos com a etiqueta antiga até 30 de novembro de 2021. Quanto às lâmpadas que sejam descontinuadas, poderão ser vendidas com a etiqueta antiga até 28 de fevereiro de 2023.

O projeto recebeu financiamento através do programa de investigação e desenvolvimento “Horizon 2020”, sob o contrato de subvenção nº847043 e 847062. Nem a EASME nem a Comissão Europeia são responsáveis pela informação veiculada nem pela utilização das informações contidas na mesma.