Notícias

Termoventiladores chumbam nas provas de segurança

Três termoventiladores chumbaram nos testes de segurança elétrica e outros três equipamentos revelaram má Qualidade Global.

  • Especialista
  • e
29 dezembro 2021
  • Especialista
  • e
Plano aproximado de duas mãos pousadas sobre um par de pés protegidos com meias quentes, junto de um termoventilador em funcionamento, pousado sobre um chão de madeira.

iStock

Já comunicámos os resultados à Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), para que atue em conformidade. Não recomendamos a compra de 3 termoventiladores.  

Como testamos a segurança dos aquecedores portáteis

Os nossos testes laboratoriais a aquecedores portáteis começam pela avaliação da segurança. Se falharem, os aparelhos já não são sujeitos aos testes de desempenho. Verificamos vários aspetos, como o comportamento durante o normal funcionamento, a possibilidade de aceder (com os dedos, por exemplo) a elementos com corrente elétrica e, ainda, a resistência ao calor e ao fogo da estrutura e dos componentes. Analisamos igualmente o comportamento numa utilização anormal: por exemplo, se ocorrer uma avaria no termóstato ou no motor do ventilador ou a obstrução da saída de ar.  

Dos 12 modelos testados (10 termoventiladores e 2 convectores), 3 termoventiladores chumbaram nos testes de segurança elétrica e, por isso, não avaliámos o seu desempenho.  

Falhas dos 3 termoventiladores chumbados

  • UFESA CP-1800-IP: na prova de resistência ao fogo, houve danos num componente, porque a chama não se autoextinguiu em 30 segundos, como deveria.
  • ELECTRONIA NSB 200A7: falhou em alguns ensaios, com destaque para a prova de resistência mecânica, após a qual foi possível aceder às partes ativas (com eletricidade) dos elementos de aquecimento.
  • ELECTRONIA NSB-200C3: na prova de resistência ao fogo, como a chama não se autoextinguiu no tempo correto, vários componentes ficaram danificados.
Server Error

 

 Veja outros produtos perigosos

 

Termoventiladores que podem ser uma opção

Os aquecedores portáteis (como termoventiladores, convectores ou emissores de calor) devem ser utilizados como fontes de aquecimento secundárias ou complementares e, preferencialmente, durante curtos períodos de tempo. O baixo preço pode não compensar o custo de utilização destes equipamentos, dado o elevado consumo de energia necessário para aquecer a divisão. 

Se procura um aparelho para utilizações pontuais, barato e rápido a aquecer uma divisão, um termoventilador pode ser uma opção. Consulte o nosso teste a aquecedores portáteis e descubra qual o melhor para as suas necessidades. 

Para evitar consumos muito elevados, ligue o aparelho quando entra na divisão e desligue-o antes de sair. Consegue, assim, manter o conforto sem que a fatura da eletricidade se ressinta muito.

Mesmo optando por um aparelho que se revelou seguro nos nossos testes, convém usá-lo com cuidado. Quando o equipamento está a funcionar, assegure-se de que existe espaço à volta, para o ar circular.  Não o tape nem aproxime muito de roupa ou mantas. Apenas os equipamentos com marcação IP21 (ou superior) podem ser utilizados na casa de banho.

Testamos com regularidade vários produtos e serviços. Se ainda não é subscritor, descubra esta e outras vantagens.

Tornar-me associado

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.