última atualização: 03/09/2020

Carros elétricos: quanto custa carregar a bateria?

Desde 2010 que os postos públicos de carregamento elétrico eram gratuitos. Dez anos depois, todos os carregamentos passam a ser pagos. Os postos de carregamento rápidos (PCR) e alguns postos de carregamento normal (PCN) em espaços privados já eram pagos desde 2018 e 2019, respetivamente.

Como carregar o carro em postos públicos

Deverá obter um novo cartão junto de um dos Comercializadores de Eletricidade para a Mobilidade Elétrica (CEME) para ter acesso a toda a rede pública de postos de carregamento. Após a contratação com um comercializador, é-lhe enviado um cartão  que, independentemente do comercializador escolhido, dá acesso aos mais de 500 postos de abastecimento que compõem a rede pública. Os montantes gastos são debitados na conta que tiver associado no contrato.

Qual o comercializador mais barato?
Existem atualmente seis comercializadores, a par de um exclusivo para detentores de veículos da marca BMW. 

O tarifário varia, dependendo do tipo de carregamento escolhido (normal para postos de abastecimento até 22 kW, ou rápido, até 50 kW). Também existem oscilações se escolher a tarifa bi-horária (em que os carregamentos são mais baratos nas horas de vazio, à noite, entre as 22h00 e as 8h00, e ao domingo).

A estes valores deve somar o Imposto Especial sobre Consumo, a taxa de IVA, bem como a comissão da Mobi.E, que, por enquanto, é gratuita. É ainda necessário adicionar o custo de utilização do próprio Operador de Posto de Carregamento (OPC), que, mais uma vez, difere.

Veja os nossos cálculos e saiba quanto custa carregar o seu carro elétrico em cada comercializador.

Tem dúvidas sobre os tarifários apresentados? Partilhe-as nos comentários e responderemos com a maior brevidade.

User name

Junte-se a esta conversa

Participe nesta conversa, deixando o seu comentário ou questão em Auto da comunidade Mobilidade

Comentários

Seja o primeiro a comentar