última atualização: 16-09-2019

Baterias vs motor a combustão

Todos sabemos que os veículos a bateria (100% elétricos) não têm emissões. Mas, para o caso comum de um citadino que faz deslocações pendulares, será que o impacto ambiental total (considerando a produção e o abate, incluindo as baterias) de, por exemplo, um Tesla Modelo S ou Modelo 3 é mesmo inferior ao de um pequeno citadino a combustão? Supondo que este último é recente e portante relativamente eficiente em termos de emissões.

Junte-se a nós

Esta informação foi útil e ajudou-o? Para apoiar a nossa comunidade, registe-se no site. É gratuito, demora menos de um minuto.

  • Pode perguntar e pedir conselhos
  • ler as contribuições dos nossos membros
  • dar o seu contributo 
  • receber o feedback de um especialista.

Registe-se em DECO PROTESTE para participar.
Entrar ou Registar

Comentários

User name
RICARDO JOSE COIMBRA PAIVA PEREIRA | Moderador
30-07-2019

Bons dias. Questão complicada e que não tem uma resposta direta - há "n" estudos que apontam, todos eles, em direções opostas... Se partir do pressuposto que todos os carros apresentam o mesmo impacto ambiental na sua concepção, desenho, testes, produção e posterior abate (deixei de fora a fase da utilização), os elétricos apresentam um impacto ambiental teórico mais reduzido durante a utilização face a uma viatura de combustão interna. Na sua utilização, o impacto ambiental (leia-se emissões) das viaturas elétricas depende grandemente do mix energético da eletricidade: quanto mais renovável, melhor... E mesmo eletricidade 100% verde pode apresentar impactos ambientais (produção, armazenamento, transporte e distribuição)...

Um recente pequeno citadino a combustão interna, à partida e baseando-nos no nosso raciocínio, estará sempre em desvantagem face a... uma viatura de segmento e dimensão equivalente elétrica - não me parece lógico comparar viaturas de segmentos diferentes - de um ponto de vista de emissões (e em particular, durante a fase de utilização). Sim, a produção das baterias pode apresentar um impacto negativo para o ambiente. E a sua reciclagem, no futuro, pode ser igualmente desafiante... Mas a produção, abate e reciclagem de uma viatura de combustão interna não é mais "limpa" que a de um elétrico...

Outra nota: o ambiente citadino é o pior cenário de utilização para uma viatura de combustão interna. Ou seja, é neste cenário que regra geral se obtêm os piores níveis de eficiência (consumos mais altos) e maiores emissões. Depois temos a questão do ruído. Por isso, em ambiente citadino os elétricos aparentam ter muito mais vantagens face às viaturas de combustão (algo que em utilização em estrada aberta, a velocidades constantes e em longas distâncias, será o oposto). Agora, se analisar um elétrico com uma viatura híbrida... Aí talvez a balança volte a pender para o lado dos híbridos...

Obrigado, RP

User name
Catita
16-09-2019

Estudos que apontam em direções opostas? É normal, é o lobby petrolífero a funcionar. Também já li "estudos" que negam alterações climáticas e "estudos" que defendiam inclusivé que os cigarros faziam bem à saúde. A maioria destes estudos ou comparam Teslas com citadinos, ou apenas referem o impacto ambiental das baterias e esquecem-se de mencionar o impacto da extracção/produção de petróleo. Falam das centrais termoelétricas e nucleares na produção de electricidade, mas ignoram que o gasóleo não nasce nas bombas e toda a dependência económica que causa.