última atualização: 09/07/2020

Ar condicionado portátil pode ser a solução para refrescar algumas casas

Embora mais pesado e muito menos eficiente do que um modelo split, um ar condicionado portátil pode ser a solução quando a casa é quente e não é sua ou não pode colocar aparelhos nas paredes. É o seu caso? Veja o teste a este produto.

Um aparelho entre 20 e 35 quilos e um tubo, que tem de ser colocado numa janela, não tem muito de portátil.

Embora dê a ideia de poder ser usado em várias divisões, a necessidade de colocar o tubo de evacuação na janela e o peso do aparelho limitam bastante o conceito de portabilidade. Também é muito menos eficiente do que um modelo split, constituído por duas unidades (uma é colocada no interior da casa e outra no exterior). No teste de arrefecimento da sala, a Escolha Acertada dos portáteis gastou cerca de 360 Wh. Para o mesmo trabalho, as Escolhas Acertadas dos splits (de 2,5 kW) consumiriam entre 160 e 170 Wh, ou seja, menos de metade da eletricidade. Contudo, há quem não possa ou não queira instalar um modelo split que, além de mais caro, implica a despesa adicional da montagem.

O ar condicionado portátil pode ser a única alternativa para algumas habitações. É o caso de quem vive numa casa arrendada ou apenas precisa de refrescar uma divisão por poucas horas diárias nos dias mais quentes e a abertura da janela não coloca problemas de ruído. É ainda a melhor opção quando não é possível ou é complicado instalar a unidade exterior nas paredes.

Escolha em função da área da divisão

Testámos nove modelos de ar condicionado portáteis. Estes aparelhos não requerem qualquer instalação, mas trazem um tubo, por onde sai o calor retirado do ar da divisão, que tem de ser colocado numa janela. Estes tubos não são muito compridos (têm todos menos de dois metros), pelo que o equipamento terá de ficar próximo da janela. Para evitar que entre muito ar quente pela janela aberta, é possível comprar adaptadores para as janelas. Os universais custam cerca de 40 euros e podem ser de plástico ou de tecido. Servem em janelas ou portas de correr ou de batente.

Tal como para os split, há aparelhos com diferentes capacidades de arrefecimento. Para divisões até 20 m2, um equipamento de 2,5 kW é, em princípio, suficiente. Para espaços maiores, é preferível optar por um ar condicionado com capacidade a partir de 3 kW.

Outro ponto a considerar é a possibilidade de também aquecerem a casa no inverno, sobretudo se costuma usar um aparelho portátil para o efeito, como um termoventilador ou um aquecedor a óleo. Só quatro dos modelos testados têm esta possibilidade. Podem ainda ser usados apenas como ventilador (sem arrefecer) e como desumidificador.

verificar a capacidade de arrefecimento, colocámos os equipamentos a baixar a temperatura de uma divisão dos 35°C para os 25°C. Demoraram entre 20 e 40 minutos. Nem todos conseguiram uma boa distribuição da temperatura, deixando zonas mais frescas do que outras.

O consumo de eletricidade foi aceitável na grande maioria dos aparelhos, mas nem todos revelaram a mesma eficiência, ou seja, uma boa relação entre o consumo de energia e a sua capacidade de arrefecimento.

 Há que lembrar que este equipamento inclui a parte que, nos modelos split, fica fora de casa e que é mais ruidosa. Por esta razão, poderá dificuldade em dormir com um ar condicionado portátil ligado.

Para refrescar a divisão, a temperatura deverá situar-se entre os 24°C ou 25°C. Um valor mais elevado aumenta o consumo de eletricidade sem que haja um grande acréscimo no conforto.

Há que ter alguns cuidados, para que funcione sempre em condições. A lavagem dos filtros é um deles: em regra, convém limpá-los a cada duas semanas, mas confirme no manual. Deixe secar, antes de colocar os filtros no sítio. Para uma limpeza mais profunda, siga as instruções do fabricante.


Tem um ar condicionado portátil? Partilhe a sua experiência com a Comunidade!

Equipa Energias Renováveis

User name

Junte-se a esta conversa

Participe nesta conversa, deixando o seu comentário ou questão em Aquecer o ar e climatizar da comunidade Energias Renováveis

Comentários

Seja o primeiro a comentar
eu disclaimer

O projeto que deu origem a esta comunidade recebeu financiamento através do programa de investigação e desenvolvimento “Horizon 2020”, sob o contrato de subvenção nº749402. Nem a EASME nem a Comissão Europeia são responsáveis pela informação veiculada nem pela utilização das informações contidas na mesma.