última atualização: 24/01/2021

Climatização/Aquecimento águas sanitárias

Boa tarde,

 

Estou a construir uma moradia em Sesimbra com uma cave de 80m2 e mais dois pisos com 80m2 cada, e com telhado plano cada na qual vão habitar 4 pessoas.

Quanto à climatização da casa estou a pensar instalar ar condicionado, aqui a minha dúvida prende-se com possibilidade de ter 5 máquina exteriores associadas a 5 unidades interiores ou em alternativa ter apenas uma unidade exterior que irá alimentar todas as 5 unidades interiores.

Quanto ao aquecimento de aguas sanitárias estou inclinado para a utilização do sistema solar térmico, mas estou indeciso nas seguintes questões:

- Utilização do sistema de termossifão - menor investimento e mais fácil de instalar, mas com perda de calor mais acentuada em virtude de se encontrar no exterior.

- Utilização do sistema de circulação forçada mais eficiente por ficar dentro da habitação, mas com maior investimento sendo que o único sitio onde o posso instalar seria na cave com a consequente necessidade de bombear a água 2 pisos, acima onde se situam os quartos.

O sistema de apoio para aquecer a água nos dias onde a energia solar não seja suficiente seria a resistência eléctrica utilizada durante a noite com recorrendo à tarifa bi-horária.

Fico a guardar a vossa opinião acerca dos tópicos abordados.

Obrigado

Rui Manuel

User name

Junte-se a esta conversa

Participe nesta conversa, deixando o seu comentário ou questão em Aquecer água da comunidade Energias Renováveis

1 Comentários

Filtrar por :
Faça login para aceder a este conteúdo. 
24/01/2021

Bom dia,
Relativamente à climatização a opção de máquinas individuais possibilita um investimento de forma faseada e no caso de ter um problema com uma máquina, as restantes continuam a funcionar. Pode também ter a vantagem de ter uma menor distância entre unidade exterior e interior, conseguindo assim um melhor rendimento.
Terá como desvantagens a colocação de 5 aparelhos no exterior, com menor acesso para manutenção e implica a alimentação elétrica de cada uma delas a partir do quadro elétrico principal ou parcial.
Peça orçamento para as duas soluções e analise os preços. Consulte também os testes efetuados em: https://www.deco.proteste.pt/eletrodomesticos/ar-condicionado/testes/ar-condicionado/results)
Deverá ter atenção para que sejam efetuados testes de estanquicidade às tubagens de cobre colocadas entre unidade exterior e interior, para que após a instalação dos equipamentos não surjam problemas com fugas de gás. Tenha também em atenção ao esgoto colocado a partir de cada máquina interior, que deve conseguir escoar a água produzida pelo equipamento.
Se possível opte por máquinas que já utilizem o novo gás R32.

Relativamente ao sistema para produção de AQS deverá analisar aquilo que está no projeto, mas atendendo à tipologia aconselho a utilização de um volume de acumulação de 300L. Pode adquirir uma bomba de calor para produção de AQS com essa capacidade e interligar dois coletores solares térmicos (com funcionamento em circulação forçada) para redução dos consumos de eletricidade.
Os coletores solares pode adquirir numa segunda fase, desde que garanta a correta pré-instalação. Desta forma evita a utilização de uma resistência elétrica que tem um funcionamento ineficiente e que irá implicar uma menor classificação energética do imóvel

Tendo em conta que tem um depósito vertical pode efetuar uma recirculação das AQS, garantindo assim uma rápida entrega da água quente nos locais de consumo.
A utilização de um sistema solar térmico por termossifão também é uma boa opção, pois tem um menor investimento, menor manutenção, mas tem a desvantagem de não permitir a recirculação das AQS e utilizar uma resistência elétrica como apoio. Mesmo que opte pela solução do sistema de circulação forçada deixe a pré-instalação para o termossifão, pois apenas necessita de uma tubagem de água fria e quente a partir do WC do primeiro piso e uma interligação ao quadro elétrico para colocação de dispositivos de controlo da resistência elétrica (interruptor diferencial, disjuntor e relógio).

Aconselho também a colocação de painéis fotovoltaicos, podendo optar pela colocação de um inversor hibrido (permite upgrade posterior para baterias) colocado na zona técnica (cave) e interligado com o quadro principal. É importante que na altura da construção seja preparado o telhado para posteriormente receber a estrutura metálica de suporte dos painéis fotovoltaicos, assim como a existência de um ponto de internet junto do inversor e uma tubagem desde o inversor ao quadro elétrico principal (QP) para a colocação de cabo de comunicação. Também deve ser garantido no QP um espaço para o equipamento de medição de consumos (4 módulos) e disjuntor de proteção (2 a 4 módulos no caso do sistema ser trifásico).
Por ultimo e se possível deixar um ponto de eletricidade na garagem (direto QP) para a colocação de um posto de carregamento de viatura elétrica. No caso de ter corrente trifásica na moradia, no QP garantir o espaço de 8 módulos (interruptor diferencial e disjuntor).
Caso seja possível partilhe com a nossa comunidade as suas opções e no caso de necessitar de mais ajuda da nossa parte disponha.
Cumprimentos,
Equipa das energias renováveis