última atualização: 19/05/2020

Gás por botija ou gás natural?

Boa tarde,Estamos a restaurar um moradia e queríamos perceber a melhor estratégia para aquecimento das águas sanitárias.Somos uma família de 2 adultos e a rua tem gás natural.Será que compensa fazer a instalação do gás natural associado a um esquentador de gás natural, ou não compensa o investimento, sendo preferível um esquentador com gás de botija?Em quanto tempo conseguíriamos recuperar o investimento da instalação do gás?Que tipo de esquentador aconselham? (irá ficar numa 'espécie' de cabana no exterior, protegida, mas ventilada).

Obrigada pelos esclarecimentos.

Cumprimentos,

Sandra Brandão.

User name

Junte-se a esta conversa

Comentários

User name Moderator
19/05/2020
Ricardo José Coimbra Paiva Pereira | Moderador

Cara Sara,

se tem gás natural, opte sempre por este. O preço do kWh do gás natural é muito mais competitivo que o gás de garrafa (na casa dos 0,07€ do gás natural contra cerca de 0,15€ para o butano). Além do mais, mesmo para gás de garrafa, recomendamos que as habitações tenham sempre uma "instalação" de gás devidamente projetada e feita - ao contrário do que se pensa, o gás de garrafa deve operar numa rede doméstica com os mesmos requisitos técnicos que o natural. Por isso, em teoria, não poupa nada na questão da "instalação", pois terá que a executar nos dois casos.

Se terá o esquentador no exterior, há que escolher um modelo que seja apto para operar nessas condições - geralmente, são modelos que apresentam níveis de proteção IP adequados. Nunca instale um esquentador, seja ele qual for, exclusivo de interior no exterior da habitação - poderá ter problemas com varias e perda de garantias. Poderá ser, neste caso, um modelo de exaustão atmosférica (B11Bs). Deverá escolher a capacidade do mesmo de acordo com o número de casas de banho, por exemplo, e se terá ou não necessidade de usar água quente em dois pontos diferentes, ao mesmo tempo.

Em teoria, modelos até 20kW (antigos 11 litros) servem para um ponto de consumo e modelos até 24kW (antigos 14 litros) conseguem fornecer com conforto dois pontos de consumo ao mesmo tempo. Opte por modelos termostáticos para um superior controlo da temperatura e, se possível, com sistema de hidro-gerador (com o aparelho no exterior, de inverno não terá de sair de casa para lhe trocar as pilhas). Opte por um modelo compatível com uma (futura) integração do sistema solar térmico.

A Equipa Energias Renováveis 

eu disclaimer

O projeto que deu origem a esta comunidade recebeu financiamento através do programa de investigação e desenvolvimento “Horizon 2020”, sob o contrato de subvenção nº749402. Nem a EASME nem a Comissão Europeia são responsáveis pela informação veiculada nem pela utilização das informações contidas na mesma.