Dicas

Como tratar e estucar uma parede com humidade

No inverno, podem formar-se manchas negras nas paredes e tetos devido à humidade. Se não atuar rapidamente, estas vão-se alastrando e podem causar cheiro a mofo. Saiba como tratar paredes interiores e exteriores com sinais de humidade.

04 fevereiro 2022
parede com sinais de humidade

iStock

Em excesso, a humidade pode contribuir para a degradação dos materiais e objetos de uma habitação e para a diminuição da qualidade do ar interior. Se não atuar, esta pode levar ao aparecimento de fungos e manchas negras que se alastram pelas paredes e tetos.

Deve intervir de forma rápida, identificando a origem do problema, ou prevenindo a formação de condensação no interior da casa. Para isso, há três soluções.

Produzir menos vapor

Na casa de banho, a água quente não deve ultrapassar os 55ºC. Temperaturas superiores aumentam a produção de vapor de água. Regule a misturadora de forma a obter diretamente água à temperatura ideal.

Evite também secar roupa dentro de casa, a menos que o faça numa divisão bem ventilada. Alguns aparelhos de aquecimento sem evacuação, como os aquecedores a petróleo, também produzem muito vapor. Evite um uso muito prolongado.

Ventilar melhor

No inverno, a entrada de ar fresco que substitui o ar interior pode contribuir para diminuir o nível de humidade dentro de casa e evitar, assim, a condensação. Nas casas antigas, não isoladas, a ventilação é geralmente suficiente: como os caixilhos antigos não são herméticos e as paredes não são isoladas, a evacuação do vapor não é um problema. Pelo contrário, as habitações recentes ou remodeladas são frequentemente muito herméticas, o que resulta numa ventilação reduzida. Colocar um ventilador numa parede ou numa janela pode ajudar a resolver o problema.

Se necessário, consulte um especialista. Procure uma empresa com boas referências. Visite o DECO PROTESTE SELECT e encontre um profissional validado por nós.

CONHEÇA O DECO PROTESTE SELECT

Evitar as paredes frias

Para evitar paredes frias, deve isolar. No entanto, o isolamento do interior de uma habitação não é tarefa fácil. Por vezes, não é possível isolar toda a parede ou todo o teto.

A alternativa é aumentar a temperatura das paredes através do aquecimento. É aconselhável não deixar a temperatura das divisões descer abaixo dos 10ºC, sobretudo em tempo húmido.

Paredes e tetos com humidade: o que fazer

Se, por outro lado, os fungos já se instalaram, alastrando-se pelas paredes e tetos, pode ter de realizar alguns procedimentos de limpeza ou voltar a estucar as paredes. Saiba como.

Eliminar fungos numa parede ou teto interior

Para eliminar manchas de humidade em paredes interiores, prepare uma solução de lixívia (uma parte de lixívia ou de detergente para cinco partes de água) ou detergente multiúsos. Use luvas para aplicar a solução com uma esponja ou um pincel.

Em alternativa, opte por um produto antifungos e aplique-o com um vaporizador para plantas. Deixe atuar durante algum tempo e lave em seguida com água limpa e uma esponja.

Estucar uma parede atingida pela humidade

Por vezes, uma parede estucada está de tal modo atingida pela humidade que é preciso voltar a estucá-la. Se for necessário remover o estuque velho, tenha o cuidado de não retirar a membrana estanque aplicada na parte inferior da parede. De outra forma, o estuque novo pode absorver a humidade ascendente.

O gesso para estucar em pó é vendido em sacos. Comece por deitar água num recipiente de plástico e deite em seguida o gesso, mexendo. Se proceder pela ordem inversa (primeiro o gesso e depois a água), podem formar-se grumos.

Antes de começar o trabalho, deixe a parede secar por completo. Em seguida, com um raspador, retire o gesso que se solta da parede. Todos os pedaços devem ser retirados. Em certos casos, é necessário pôr a parede totalmente a nu. Elimine os resíduos e poeiras com uma vassoura. Depois, humedeça ligeiramente a parede, por exemplo, com um vaporizador de plantas, antes de voltar a estucar.

As áreas mais pequenas devem ser estucadas diretamente com uma espátula. Para as áreas maiores, use uma talocha e uma colher de pedreiro. Com a colher, deite uma porção de gesso na talocha. Aplique o gesso na parede com a talocha, com um movimento de baixo para cima. Mantenha a talocha num ângulo de 45 graus em relação à parede.

Quando o gesso começar a secar, alise-o com uma régua, deslocando esta ao longo da superfície com um movimento em ziguezague. Para terminar, use uma talocha equipada com uma esponja humedecida (ou só uma esponja), fazendo movimentos circulares sobre o estuque, para o deixar perfeitamente liso.

 

Comece por remover o estuque velho. Use uma espátula para estucar as áreas mais pequenas e uma talocha para áreas maiores. Quando o gesso começar a secar, alise-o com uma régua (Ilustrações: Geneviève Dejean & Co.).

Injetar um hidrófugo numa parede exterior

Nas paredes exteriores, os tijolos são revestidos desde o solo e até uma determinada altura com uma camada isolante de produto betuminoso ou de polietileno. Deste modo, isola-se a alvenaria ou os tetos que se encontram acima desta proteção da humidade ascendente. Se essa barreira estiver mal colocada ou tiver defeitos, a proteção será nula.

Em geral, a humidade ascendente sobe até uma altura de 80 a 120 centímetros e atinge toda a espessura da parede numa grande extensão. É isto que a distingue da humidade provocada por outros fatores. Existem dois métodos para lutar contra a humidade ascendente: a colocação de uma membrana de estanquidade ou a injeção de um produto hidrófugo. Este último é o mais fácil de executar. Consiste em saturar a parte de baixo da parede com o produto, de maneira a criar uma barreira contra a humidade ascendente. Faz-se uma série de furos uns a seguir aos outros e introduz-se um líquido, quer através de tubos, quer por injeção sob pressão. O sistema de tubos é muito prático para os amadores, porque existe em kits completos.

Comece por fazer os furos cinco centímetros acima do chão (se necessário, tire primeiro os rodapés) e a dez centímetros uns dos outros. Fure com uma inclinação de dez a 15 graus para baixo e a quatro quintos da espessura da parede (se se tratar de uma parede dupla, os quatro quintos referem-se à primeira fileira de tijolos). Aspire bem o pó.

Insira os tubos injetores nos furos e coloque os doseadores. Suspenda estes últimos a 60 centímetros de cada furo, eventualmente fixando-os à parede com uma ripa de madeira e pregos. Vede o espaço entre os tubos e a parede com cimento rápido, para evitar que o produto saia.

Em seguida, encha os doseadores com o líquido. Durante uma hora, vá enchendo os doseadores à medida que o líquido for penetrando na parede. Assegure-se de que não sai líquido dos furos.

Após 24 horas, repita o tratamento. A injeção termina ao fim de 48 horas. Retire os tubos e os doseadores e tape os furos na parede com argamassa. O produto injetado forma, por reação química, uma zona hidrófuga.

Faça furos cinco centímetros acima do chão. Insira os tubos injetores e coloque os doseadores. Encha os doseadores com o líquido (Ilustrações: Geneviève Dejean & Co.).

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.