Notícias

Bimi e brócolos: quem vence a guerra dos nutrientes?

Comparado com os brócolos, o bimi é mais rico do ponto de vista nutricional e tem um sabor mais suave. O senão é o preço: 1 quilo de bimi é cerca de € 7 mais caro do que a mesma quantidade de brócolos.

23 abril 2018
Bimis num prato

iStock

O bimi é a verdura do momento. Surgiu do cruzamento de brócolos com a couve kailan, o que lhe dá um aspeto de "brócolos-bebé". Talvez por isso, nalguns supermercados e mercearias, encontra-o com esse nome.

Mas afinal porque está na moda? Além do sabor mais suave do que o brócolos, o bimi tem mais 60% de compostos bioativos - com efeitos anti-inflamatórios e antioxidantes - e mais 20% de vitamina C. Tal como outras verduras (como couve, couve-flor e brócolos), as suas propriedades nutricionais estão associadas à proteção contra algumas doenças, nomeadamente as cardiovasculares. No entanto, é sempre necessário fazer uma dieta variada e equilibrada. Se não forem devidamente integrados numa dieta saudável, nenhum alimento, ou grupo de alimentos, ajuda, por si, a prevenir doenças.

Outra vantagem do bimi é que nada se desperdiça. Como o talo é fino e o florete é pequeno, pode comê-lo cru, numa salada, por exemplo, com tomate, rúcula, alface e queijo mozzarela.

Se preferir cozinhar o bimi, faça-o a baixa temperatura e, no máximo, por três minutos. É suficiente para cozê-lo e conservar melhor as suas propriedades nutricionais. Outra alternativa é juntá-lo aos últimos 20 minutos da carne ou do peixe assado.

É no preço que esta verdura perde quando comparada com o brócolos. Um quilo de bimi custa, em média, € 9,94, mais do que € 7 euros em relação ao brócolos, que custa cerca de € 1,38 por quilo.